Agência na­ci­o­nal in­ter­di­ta 54 bar­ra­gens

Mai­o­ria es­tá em Mi­nas e par­te tem ní­vel de emer­gên­cia aci­o­na­do; em­pre­sas não en­vi­a­ram lau­do ou não ates­ta­ram es­ta­bi­li­da­de es­tru­tu­ral

O Estado de S. Paulo - - Metrópole - An­dré Bor­ges /BRA­SÍ­LIA

A Agência Na­ci­o­nal de Mi­ne­ra­ção (ANM) in­for­mou que 54 bar­ra­gens fo­ram in­ter­di­ta­das por não en­vi­a­rem ou não ates­ta­rem a De­cla­ra­ção de Con­di­ção de Es­ta­bi­li­da­de (DCE) exi­gi­da des­sas es­tru­tu­ras. A lis­ta in­clui 14 bar­ra­gens da Va­le, em Mi­nas Ge­rais.

O do­cu­men­to é obri­ga­tó­rio pa­ra as 423 bar­ra­gens in­se­ri­das na Po­lí­ti­ca Na­ci­o­nal de Se­gu­ran­ça de Bar­ra­gens e de­ve­ria ser en­tre­gue até 30 de se­tem­bro. “As bar­ra­gens in­ter­di­ta­das e sem DCE es­tão sen­do mo­ni­to­ra­das de per­to e di­a­ri­a­men­te pe­los agen­tes da ANM”, in­for­mou Luiz Pa­ni­a­go, ge­ren­te de Se­gu­ran­ça de Bar­ra­gens de Mi­ne­ra­ção da ANM, por meio de no­ta.

Ao to­do, 369 mi­ne­ra­do­ras en­vi­a­ram DCE ates­tan­do a es­ta­bi­li­da­de de su­as es­tru­tu­ras, 21 en­tre­ga­ram de­cla­ra­ção não ates­tan­do a es­ta­bi­li­da­de e 33 não en­vi­a­ram DCEs. Quan­do não se en­via a DCE, pres­su­põe-se que a es­tru­tu­ra não tem es­ta­bi­li­da­de ates­ta­da. A mai­o­ria des­sas in­ter­di­ções es­tá re­la­ci­o­na­da a bar­ra­gens ina­ti­vas, que não re­ce­bem mais ma­te­ri­al.

A DCE pre­ci­sa ser en­vi­a­da à ANM du­as ve­zes ao ano: em mar­ço e se­tem­bro. Na pri­mei­ra eta­pa, quem de­cla­ra a DCE é o em­pre­en­de­dor. Ele tem a op­ção de fa­zer na pró­pria em­pre­sa ou con­tra­tar con­sul­to­ria ex­ter­na. Já na se­gun­da, se­gun­do a ANM, a em­pre­sa é obri­ga­da a con­tra­tar con­sul­to­ria ex­ter­na. Quan­do o em­pre­en­de­dor não en­tre­ga a DCE, o sis­te­ma cria mul­ta e a bar­ra­gem é in­ter­di­ta­da.

Mi­nas Ge­rais é o Es­ta­do que mais tem bar­ra­gens in­ter­di­ta­das (33), se­gui­do por Rondô­nia (5), Ma­to Gros­so (4) e São Paulo (3). San­ta Ca­ta­ri­na, Bahia, Rio Grande do Sul e Pa­rá têm du­as bar­ra­gens in­ter­di­ta­das.

A lis­ta de bar­ra­gens in­ter­di­ta­das in­clui 14 da Va­le, em Mi­nas. Du­as de­las, em Ou­ro Preto e Ba­rão

de Co­cais, são clas­si­fi­ca­das com “ní­vel 3”, que sig­ni­fi­ca “ris­co imi­nen­te” de rom­pi­men­to. Ou­tras du­as es­tão clas­si­fi­ca­das com “ní­vel 2”, quan­do há ação pa­ra sanar o pro­ble­ma, mas o con­tro­le não es­tá sen­do efi­caz. As ou­tras dez, em “ní­vel 1”, es­tão com “com­pro­me­ti­men­to po­ten­ci­al de se­gu­ran­ça”.

Por meio de no­ta, a Va­le in­for­mou que fo­ram emi­ti­das 82 DCEs po­si­ti­vas. “Três es­tru­tu­ras me­lho­ra­ram su­as con­di­ções de es­ta­bi­li­da­de e, por­tan­to, ob­ti­ve­ram DCEs po­si­ti­vas nes­te se­gun­do se­mes­tre, após ava­li­a­ção ne­ga­ti­va em mar­ço.” A mi­ne­ra­do­ra tam­bém dis­se es­tar tra­ba­lhan­do “pa­ra o in­cre­men­to dos fa­to­res de se­gu­ran­ça, com o ob­je­ti­vo de as­se­gu­rar a es­ta­bi­li­da­de de su­as es­tru­tu­ras”.

WERTHER SANTANA/ES­TA­DÃO

Re­cei­ta. Es­pe­ci­a­lis­tas su­ge­rem aber­tu­ra de da­dos so­bre pro­je­to pa­ra ten­tar atrair con­tri­bui­ções e con­fi­an­ça da po­pu­la­ção

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.