O fu­tu­ro de Lu­la

Lei não im­põe res­tri­ções ao ex-pre­si­den­te ca­so ele dei­xe pri­são em Cu­ri­ti­ba nos pró­xi­mos di­as; PT já pre­pa­ra uma agen­da po­lí­ti­ca

O Estado de S. Paulo - - Primeira página - Bru­no Ri­bei­ro Ri­car­do Ga­lhar­do / CO­LA­BO­RA­RAM RA­FA­EL MO­RA­ES MOU­RA E RI­CAR­DO BRANDT

Ca­so o ex-pre­si­den­te re­ce­ba aval da Va­ra de Exe­cu­ções Pe­nais pa­ra sair da pri­são, po­de­rá vi­a­jar pe­lo País e par­ti­ci­par de atos po­lí­ti­cos, mas não te­rá au­to­ri­za­ção pa­ra dis­pu­tar car­gos pú­bli­cos.

O jul­ga­men­to de on­tem no Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF) abriu ca­mi­nho pa­ra que o ex-pre­si­den­te Luiz Iná­cio Lu­la da Sil­va dei­xe a pri­são em Cu­ri­ti­ba, on­de es­tá des­de abril do ano pas­sa­do, qu­an­do foi con­de­na­do em se­gun­da ins­tân­cia por cor­rup­ção e la­va­gem de di­nhei­ro no pro­ces­so do tri­plex do Gu­a­ru­já. Em no­ta após a de­ci­são do STF, a de­fe­sa do ex-pre­si­den­te in­for­mou que vai en­trar ho­je com o pe­di­do de sol­tu­ra do pe­tis­ta.

Ca­so Lu­la re­ce­ba au­to­ri­za­ção da Va­ra de Exe­cu­ções Pe­nais pa­ra sair do cár­ce­re, não se­rá impedido de vi­a­jar pe­lo País nem de par­ti­ci­par de atos po­lí­ti­cos, se­gun­do o que é pre­vis­to no Có­di­go de Pro­ces­so Pe­nal (CPP). Por ou­tro la­do, co­mo já foi con­de­na­do por du­as ins­tân­ci­as, Lu­la não po­de con­cor­rer a car­gos pú­bli­cos em ra­zão da Lei da Ficha Lim­pa.

Em te­se, a lei tam­bém não o obri­ga a cum­prir me­di­das co­mo se re­co­lher em ca­sa à noi­te, usar tor­no­ze­lei­ra ele­trô­ni­ca ou en­tre­gar seu pas­sa­por­te à po­lí­cia. Há uma ex­ce­ção, po­rém. Se o Mi­nis­té­rio Pú­bli­co Fe­de­ral (MPF) ava­li­ar que o réu ofe­re­ce al­gum ris­co à in­ves­ti­ga­ção, ao pro­ces­so ou a tes­te­mu­nhas, po­de pe­dir à Jus­ti­ça uma pri­são pre­ven­ti­va ou al­gu­ma me­di­da cau­te­lar, co­mo a proi­bi­ção de sair do País, por exem­plo. Des­de que co­me­çou a ser in­ves­ti­ga­do na Ope­ra­ção La­va Ja­to, no en­tan­to, o ex-pre­si­den­te não foi al­vo de ne­nhu­ma de­ci­são des­te ti­po.

Di­ri­gen­tes do PT es­tão em Cu­ri­ti­ba des­de on­tem pa­ra pre­pa­rar a pos­sí­vel saí­da de Lu­la da sa­la da Po­lí­cia Fe­de­ral on­de es­tá de­ti­do. Eles tra­ba­lham com a hi­pó­te­se de que o ex-pre­si­den­te pos­sa dei­xar o lo­cal ain­da ho­je.

“Lu­la não pra­ti­cou qual­quer ato ilí­ci­to e é ví­ti­ma do uso es­tra­té­gi­co do di­rei­to pa­ra fins de per­se­gui­ção po­lí­ti­ca”, dis­se­ram em no­ta os ad­vo­ga­dos de Lu­la, Cris­ti­a­no Za­nin Mar­tins e Va­les­ka Mar­tins. Ape­sar da ex­pec­ta­ti­va dos pe­tis­tas, pro­cu­ra­do­res e po­li­ci­ais fe­de­rais que tra­ba­lham no Pa­ra­ná acre­di­tam que a sol­tu­ra de Lu­la ain­da de­ve de­mo­rar al­guns di­as.

Ju­ris­tas ou­vi­dos pe­lo Es­ta­do afir­ma­ram que o jul­ga­men­to do Su­pre­mo faz com que, se for sol­to, Lu­la pas­se a ter di­rei­to às mes­mas li­ber­da­des de um ci­da­dão que não res­pon­de a ne­nhum pro­ces­so e po­de go­zar da pre­sun­ção

de ino­cên­cia en­quan­to seu pro­ces­so não che­gar ao trân­si­to em jul­ga­do.

“Lu­la po­de­rá ter de cum­prir al­gu­ma me­di­da cau­te­lar, mas is­so

de­pen­de de um pe­di­do do Mi­nis­té­rio Pú­bli­co”, dis­se o pro­fes­sor da Fun­da­ção Getúlio Var­gas (FGV) Da­vi Tan­ge­ri­no.

Se­gun­do o ar­ti­go 282 do CPP,

a de­ter­mi­na­ção de me­di­das cau­te­la­res es­tá li­ga­da ao cum­pri­men­to de re­qui­si­tos. “Lu­la res­pon­deu ao pro­ces­so in­tei­ro em li­ber­da­de, não deu cau­sa a ne­nhum ti­po me­di­da cau­te­lar nem pe­di­do de pri­são pre­ven­ti­va. En­tão, a prin­cí­pio, es­ta­rá go­zan­do de sua li­ber­da­de ple­na”, afir­mou a pre­si­den­te da Co­mis­são de Di­rei­to Pe­nal da Or­dem dos Ad­vo­ga­dos do Bra­sil se­ção São Pau­lo (OAB-SP), Da­ni­el­la Meg­gi­o­la­ro Paes de Aze­ve­do.

Agen­da. Mes­mo an­tes de ter­mi­nar o jul­ga­men­to do Su­pre­mo, di­ri­gen­tes do PT co­me­ça­ram a dis­cu­tir uma agen­da po­lí­ti­ca pa­ra Lu­la. A ideia é or­ga­ni­zar o má­xi­mo pos­sí­vel de vi­a­gens an­tes do fim des­te ano. Se­gun­do a de­pu­ta­da Glei­si Hoff­mann, pre­si­den­te na­ci­o­nal do par­ti­do, o PT vai con­ti­nu­ar ba­ten­do na te­cla do “Lu­la li­vre” até que o ex-pre­si­den­te te­nha a con­de­na­ção por cor­rup­ção pas­si­va e la­va­gem de di­nhei­ro anu­la­da. A pres­são é pa­ra que ha­ja o jul­ga­men­to da sus­pei­ção do ex-juiz Sér­gio Mo­ro.

Os pe­tis­tas acre­di­tam que a pri­mei­ra apa­ri­ção pú­bli­ca de Lu­la se­rá na vi­gí­lia que foi mon­ta­da em um ter­re­no na fren­te da su­pe­rin­ten­dên­cia da PF em Cu­ri­ti­ba. O gran­de pal­co po­lí­ti­co pa­ra Lu­la, no en­tan­to, de­ve ser o Con­gres­so Na­ci­o­nal do PT, en­tre 22 e 24 de no­vem­bro, em São Pau­lo.

THEO MAR­QUES/FRAMEPHOTO–14/8/2019

Ex­pec­ta­ti­va. Di­ri­gen­tes do PT es­tão no Pa­ra­ná pa­ra es­pe­rar sol­tu­ra do ex-pre­si­den­te Lu­la, pre­so na se­de da PF em Cu­ri­ti­ba

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.