IPCA de 0,10% é o me­nor pa­ra o mês des­de 98

Con­ta de luz pres­si­o­na in­fla­ção pa­ra bai­xo em ou­tu­bro; acu­mu­la­do em 12 me­ses é 2,54%

O Estado de S. Paulo - - Economia - Da­ni­e­la Amo­rim / RIO CO­LA­BO­ROU THAÍS BARCELLOS

O au­men­to nos pre­ços da ga­so­li­na e das car­nes pres­si­o­nou a in­fla­ção ofi­ci­al no País em ou­tu­bro, mas a con­ta de luz mais ba­ra­ta man­te­ve o Ín­di­ce Na­ci­o­nal de Pre­ços ao Con­su­mi­dor Am­plo (IPCA) em pa­ta­mar com­por­ta­do, a 0,10%, me­nor re­sul­ta­do pa­ra o mês em mais de du­as dé­ca­das. Os da­dos fo­ram di­vul­ga­dos on­tem pe­lo IBGE.

A ta­xa acu­mu­la­da em 12 me­ses des­ceu a 2,54%, abai­xo do pi­so de to­le­rân­cia da meta de 4,25% per­se­gui­da pe­lo Ban­co

Cen­tral es­te ano. Em­bo­ra se­ja es­pe­ra­da uma no­va ace­le­ra­ção nos pró­xi­mos me­ses, o ce­ná­rio in­fla­ci­o­ná­rio per­ma­ne­ce fa­vo­rá­vel a no­va re­du­ção na ta­xa bá­si­ca de ju­ros, a Se­lic, atu­al­men­te em 5% ao ano.

“O ce­ná­rio é con­di­zen­te com a nos­sa ex­pec­ta­ti­va de mais um cor­te de 0,5 pon­to por­cen­tu­al (na Se­lic) na reu­nião do Co­mi­tê de Po­lí­ti­ca Mo­ne­tá­ria em de­zem­bro, e acre­di­ta­mos em mais um cor­te de 0,25 pon­to por­cen­tu­al na reu­nião sub­se­quen­te, em 2020. A ta­xa de ju­ros vai pa­ra 4,25% e per­ma­ne­ce nes­se pa­ta­mar ao lon­go de to­do o ano que vem”, pre­viu Fá­bio Romão, eco­no­mis­ta da LCA Con­sul­to­res.

A in­fla­ção es­tá em pa­ta­mar con­for­tá­vel, em­bo­ra a ta­xa em 12 me­ses de­va ace­le­rar em no­vem­bro, cor­ro­bo­rou Pe­dro Kis­la­nov, ge­ren­te do Sis­te­ma Na­ci­o­nal de Ín­di­ces de Pre­ços do IBGE. “A ta­xa em 12 me­ses es­tá in­flu­en­ci­a­da por uma de­fla­ção de 0,21% em no­vem­bro de 2018. Se ti­ver qual­quer va­ri­a­ção po­si­ti­va em no­vem­bro des­te ano, o IPCA em 12 me­ses vol­ta a ace­le­rar”, ex­pli­cou Kis­la­nov.

A LCA es­pe­ra que a in­fla­ção en­cer­re o ano em 3,36%. A pro­je­ção do Itaú Uni­ban­co é de 3,30%.

Em ou­tu­bro, a ta­ri­fa de ener­gia elé­tri­ca re­cu­ou 3,22%, item de mai­or im­pac­to ne­ga­ti­vo so­bre a in­fla­ção do mês, o equi­va­len­te a -0,13 pon­to por­cen­tu­al. A que­da na con­ta de luz é re­sul­ta­do, en­tre ou­tras co­si­as, da en­tra­da em vi­gor da ban­dei­ra ta­ri­fá­ria ama­re­la, com co­bran­ça ex­tra de R$ 1,50 pa­ra ca­da 100 qui­lowatts-ho­ra con­su­mi­dos, em subs­ti­tui­ção à ban­dei­ra ta­ri­fá­ria ver­me­lha pa­ta­mar 1 que co­bra­va em se­tem­bro R$ 4,00 a ca­da 100 qui­lowatts-ho­ra con­su­mi­dos. Ape­sar da tré­gua, a ten­dên­cia é de no­va pres­são da con­ta de luz so­bre o or­ça­men­to das fa­mí­li­as em no­vem­bro.

Além da ener­gia elé­tri­ca, são es­pe­ra­das pres­sões em no­vem­bro do re­a­jus­te de jo­gos de loteria, ali­men­tos in na­tu­ra e car­nes, se­gun­do a LCA Con­sul­to­res. /

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.