Em meio à cri­se da Amazô­nia, pe­cu­a­ris­tas cri­am as­so­ci­a­ção li­ga­da à sus­ten­ta­bi­li­da­de

Cri­a­do­res de ga­do da re­gião do Ara­guaia, em Ma­to Gros­so, se or­ga­ni­zam em uma en­ti­da­de pa­ra mos­trar que a in­te­gra­ção en­tre la­vou­ra, pe­cuá­ria e flo­res­ta ge­ra va­lor à ca­deia de car­ne; pro­du­to­res te­mem boi­co­te ao agro­ne­gó­cio bra­si­lei­ro

O Estado de S. Paulo - - Economia - Mô­ni­ca Sca­ra­muz­zo

Em meio ao aba­lo na ima­gem do Bra­sil cau­sa­do pe­los in­cên­di­os da Amazô­nia, um gru­po de cri­a­do­res de ga­do da re­gião do Ara­guaia, em Ma­to Gros­so, de­ci­diu cri­ar uma as­so­ci­a­ção na­ci­o­nal pa­ra ge­rar va­lor à pe­cuá­ria sus­ten­tá­vel. En­ca­be­ça­da pe­la em­pre­sá­ria Vi­vi­en Su­ru­agy, os pe­cu­a­ris­tas que­rem pro­var que a ati­vi­da­de in­te­gra­da à la­vou­ra e à flo­res­ta é al­ta­men­te sus­ten­tá­vel, não po­lui­do­ra, e po­de dar va­lor à ca­deia da car­ne.

À fren­te da As­so­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Pro­du­to­res de Car­ne Car­bo­no Neu­tro e Bai­xo Car­bo­no (ABCNN), Vi­vi­en, que é en­ge­nhei­ra ci­vil e tam­bém atua no se­tor de te­le­co­mu­ni­ca­ções, reu­niu um gru­po de pe­cu­a­ris­tas pa­ra com­ba­ter o pre­con­cei­to ao pro­du­tor bra­si­lei­ro, em um mo­men­to que as ques­tões am­bi­en­tais es­tão nos ho­lo­fo­tes. Há um for­te te­mor do se­tor de so­frer boi­co­tes de paí­ses im­por­ta­do­res, so­bre­tu­do da Eu­ro­pa.

“Nos­so ob­je­ti­vo é mos­trar que es­sas di­ver­sas men­ti­ras que es­tão sen­do fa­la­das so­bre o Bra­sil são cer­ca­das por in­te­res­ses econô­mi­cos, mas que não cor­res­pon­dem à re­a­li­da­de”, dis­se a em­pre­sá­ria, re­fe­rin­do às acu­sa­ções dos paí­ses eu­ro­peus de que os agri­cul­to­res bra­si­lei­ros são res­pon­sá­veis pe­lo des­ma­ta­men­to ilegal da Amazô­nia.

Vi­vi­en re­co­nhe­ce que há prá­ti­cas ile­gais, so­bre­tu­do de gri­lei­ros, e de par­te do se­tor, mas que os pe­cu­a­ris­tas que ado­tam prá­ti­cas sus­ten­tá­veis não po­dem ser pe­na­li­za­dos por is­so.

Cri­a­da em se­tem­bro, a en­ti­da­de es­tá, nes­te mo­men­to, pre­pa­ran­do seu pla­no es­tra­té­gi­co de atu­a­ção, e de­ve co­me­çar a ar­re­gi­men­tar pe­cu­a­ris­tas que se iden­ti­fi­cam com as prá­ti­cas sus­ten­tá­veis. “Qu­e­re­mos mos­trar pa­ra o mun­do que nós pre­ser­va­mos, não so­mos po­lui­do­res.”

Ade­são. Vi­vi­en tam­bém faz par­te do gru­po de pe­cu­a­ris­tas da Li­ga do Ara­guaia, cri­a­da em 2015, re­gião do Cen­tro-Oes­te que fi­cou co­nhe­ci­da por mui­to tem­po co­mo “Va­le dos es­que­ci­dos”. Pre­si­den­te do Gru­po de Tra­ba­lho da Pe­cuá­ria Sus­ten­tá­vel, Caio Pe­ni­do, co­or­de­na­dor da Li­ga do Ara­guaia, tem par­ti­ci­pa­do ati­va­men­te de dis­cus­sões so­bre co­mo va­lo­ri­zar a pe­cuá­ria bra­si­lei­ra.

“A li­ga sur­giu em 2015, às vés­pe­ras da Olim­pía­da. O se­tor sem­pre so­freu mui­tas crí­ti­cas e o pro­du­tor sem­pre se sen­tiu in­jus­ti­ça­do. En­ten­de­mos que a nos­sa ati­vi­da­de de­ve­ria car­re­gar es­sa bi­o­di­ver­si­da­de em for­ma de va­lor, com al­gum be­ne­fí­cio econô­mi­co.”

Pe­ni­do pon­tua que em paí­ses do He­mis­fé­rio Nor­te os cri­a­do­res com­pram a área pro­du­ti­va sem um com­pro­me­ti­men­to de pre­ser­var flo­res­ta. “Aqui no Bra­sil, os pro­du­to­res bra­si­lei­ros têm to­do um cus­to de ma­nu­ten­ção, com en­ge­nhei­ros am­bi­en­tais, pa­ra man­ter es­sa di­ver­si­da­de. E is­so tem de ser co­lo­ca­do na con­ta. Es­se de­ve­ria ser o nos­so di­fe­ren­ci­al”, dis­se.

Le­van­ta­men­to da Em­pre­sa Bra­si­lei­ra de Pes­qui­sa Agro­pe­cuá­ria (Em­bra­pa) mos­tra que o País pre­ser­va 66,3% do ter­ri­tó­rio agrícola na for­ma de ma­tas e flo­res­tas na­ti­vas – um to­tal de 563 mi­lhões de hec­ta­res pro­te­gi­dos. A Em­bra­pa cri­ou um se­lo, o Car­ne Car­bo­no Neu­tro (CCN), uma mar­ca que ates­ta a car­ne bo­vi­na pro­du­zi­da em sis­te­mas de in­te­gra­ção pe­cuá­ria-flo­res­ta e la­vou­ra-pe­cuá­ria e flo­res­ta, e es­tá em fa­se de de­sen­vol­ver a me­to­do­lo­gia de cer­ti­fi­ca­ção.

Pro­je­to de lei. No ca­lor das dis­cus­sões am­bi­en­tais por con­ta dos in­cên­di­os na Amazô­nia, o de­pu­ta­do fe­de­ral Arnaldo Jar­dim, do Ci­da­da­nia, con­se­guiu apro­var na Câ­ma­ra, há um mês, o pro­je­to de lei nú­me­ro 312, de 2015, pro­pos­to pe­los de­pu­ta­dos Ru­bens Bu­e­no e Arnaldo Jordy, que tem co­mo ob­je­ti­vo premiar as ações vol­ta­das à pre­ser­va­ção do meio am­bi­en­te.

“O Pa­ga­men­to por Ser­vi­ços Am­bi­en­tais (PSA) abre ca­mi­nho pa­ra que se re­co­nhe­çam bo­as prá­ti­cas am­bi­en­tais e se­jam as­sim re­mu­ne­ra­das”, dis­se o de­pu­ta­do ao Es­ta­do. “O de­sa­fio se­rá ago­ra no Se­na­do. Es­ta­mos ba­ta­lhan­do pa­ra que a apro­va­ção ocor­ra ain­da es­te ano.”

“An­tes se di­zia que o com­bus­tí­vel fós­sil e as in­dús­tri­as eram os gran­des po­lui­do­res. Ago­ra, a pe­cuá­ria é gran­de po­lui­dor. Is­so é uma fa­lá­cia. Qu­e­re­mos mos­trar que nós pre­ser­va­mos, não so­mos po­lui­do­res.”

Vi­vi­en Su­ru­agy

EM­PRE­SÁ­RIA

DA­NI­EL TEI­XEI­RA/ESTADÃO

Uni­da­de. Pa­ra em­pre­sá­ria Vi­vi­en Su­ru­agy, crí­ti­cas de paí­ses im­por­ta­do­res es­tão cer­ca­das de in­te­res­ses econô­mi­cos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.