MA­RI­NA WEF­FORT

O Estado de S. Paulo - - Capa -

➨ A pro­du­ção mais re­cen­te de Ma­ri­na Wef­fort con­sis­te em for­mar ima­gens ge­o­mé­tri­cas re­ti­ran­do fi­os de pa­nos pré-fa­bri­ca­dos. Na me­di­da em que ex­plo­ra as pos­si­bi­li­da­des dos te­ci­dos, pas­san­do ho­ras em seu ate­liê pa­ra en­con­trar pon­tos pre­ci­sos de cor­tes do ma­te­ri­al, a qui­e­tu­de e a in­tros­pec­ção aca­bam por mar­car sua ro­ti­na. No dia em que re­ce­beu o Di­vir­ta-se, a ar­tis­ta fi­na­li­za­va os tra­ba­lhos que são exi­bi­dos, até 14/12, em uma ex­po­si­ção in­di­vi­du­al que ocu­pa a Sim Ga­le­ria

(R. Sa­ran­di, 113, Cer­quei­ra Cé­sar, 3062-8980;

2ª a 6ª, 10h/19h; sáb., 10h/15h; grá­tis).

Qu­an­do se for­mou em ar­tes plás­ti­cas, na Faap, Ma­ri­na já ti­nha con­vic­ção de que que­ria ser ar­tis­ta. No en­tan­to, pre­fe­riu tra­ba­lhar com ou­tras ati­vi­da­des re­la­ci­o­na­das ao meio, en­quan­to ama­du­re­cia su­as idei­as na bus­ca por uma tra­je­tó­ria “ge­nuí­na”. As­sim, atu­ou co­mo as­sis­ten­te de ar­tis­ta, de pro­du­ção e tam­bém cui­dou de uma co­le­ção. “Eu en­ca­ro tu­do is­so co­mo um pro­ces­so até eu de­ci­dir que eu ia mes­mo vi­ver de ar­te”, re­ve­la a ar­tis­ta, que man­tém sua ro­ti­na de tra­ba­lho em um ate­liê ins­ta­la­do no fun­do de sua ca­sa, na Vi­la Madalena, em um lo­cal si­len­ci­o­so e ar­bo­ri­za­do.

Li­dar com a obra de ou­tros ar­tis­tas aca­bou lhe dan­do se­gu­ran­ça pa­ra li­dar com seu prin­ci­pal ma­te­ri­al de tra­ba­lho. “A de­li­ca­de­za do te­ci­do me as­sus­ta­va um pou­co, mas eu fui ven­do que era pos­sí­vel. O ma­te­ri­al que vo­cê es­co­lhe te exi­ge e vo­cê re­ba­te – tem sem­pre um cer­to diá­lo­go ali.”

Co­mo ela re­cor­da, até che­gar no es­tá­gio atu­al de sua car­rei­ra, pre­ci­sou cri­ar di­fe­ren­tes ma­nei­ras de dar vi­si­bi­li­da­de ao seu tra­ba­lho, re­cor­ren­do, so­bre­tu­do, a es­pa­ços mais aber­tos a jo­vens ar­tis­tas. Em 2009, Ma­ri­na foi se­le­ci­o­na­da e pre­mi­a­da por um edi­tal do CCSP, opor­tu­ni­da­de que lhe ren­deu um con­vi­te pa­ra in­te­grar o ti­me da Ga­le­ria Ma­ri­lia Ra­zuk – com a qual tra­ba­lhou até 2018, qu­an­do pas­sou a ser re­pre­sen­ta­da pe­la Sim. Nem sem­pre foi um ca­mi­nho es­tá­vel, mas, co­mo ex­pli­ca, a es­ta­bi­li­da­de, pa­ra ela, es­tá mui­to mais li­ga­da à flui­dez de seu pro­ces­so cri­a­ti­vo.

➨ FIO A FIO: te­ci­dos exi­gem pre­ci­são da ar­tis­ta

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.