Go­ver­no ga­nha opo­si­ção

O Estado de S. Paulo - - Primeira página - Eli­a­ne Ca­ta­nhê­de É COLUNISTA

O que ain­da não es­tá cla­ro é em que are­na o em­ba­te en­tre Lu­la e Bol­so­na­ro vai ocor­rer.

Oex-pre­si­den­te Lu­la já saiu da pri­são cha­man­do o pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro pa­ra a bri­ga. Após cor­rer sol­to nes­te seu pri­mei­ro ano de go­ver­no, di­gla­di­an­do con­tra a mí­dia e ini­mi­gos ima­gi­ná­ri­os, Bol­so­na­ro pas­sa a ter fi­nal­men­te opo­si­ção. E não uma opo­si­ção qual­quer.

Jun­tan­do as du­as pon­tas, sig­ni­fi­ca que a po­la­ri­za­ção po­lí­ti­ca do País, já for­te e ir­ra­ci­o­nal, de­ve atin­gir ní­veis pra­ti­ca­men­te in­su­por­tá­veis. De um la­do, as es­quer­das reu­ni­das em tor­no de Lu­la, ten­tan­do se li­vrar de er­ros e acu­sa­ções que não eva­po­ram com o “Lu­la Li­vre”. Do ou­tro, a di­rei­ta pen­du­ran­do-se em Bol­so­na­ro, fin­gin­do que não há na­da de­mais na de­fe­sa de tor­tu­ra e AI-5 nem nos ata­ques ao meio am­bi­en­te e aos ali­a­dos his­tó­ri­cos do Brasil no mun­do.

O que ain­da não es­tá cla­ro é em que are­na es­se em­ba­te vai ocor­rer. Lu­la te­rá for­ça pa­ra ar­re­gi­men­tar mul­ti­dões nas ru­as das ca­pi­tais e gran­des ci­da­des? Bol­so­na­ro con­se­gui­rá re­a­gir à al­tu­ra? E até que pon­to po­de con­ta­gi­ar o Con­gres­so, nu­ma épo­ca de vo­ta­ções de gran­des re­for­mas es­tru­tu­rais?

Os pre­ce­den­tes não in­di­cam uma gu­er­ra cam­pal, de­pois que o im­pe­a­ch­ment de Dil­ma Rous­seff ocor­reu sem gran­des ma­ni­fes­ta­ções pe­lo País ou pro­tes­tos di­an­te do Con­gres­so Na­ci­o­nal. Na pri­são de Lu­la, nin­guém ma­tou, nin­guém mor­reu, co­mo pre­vi­ra a pre­si­den­te do PT, Glei­si Hoffmann.

No seu dis­cur­so a mi­li­tan­tes, lo­go ao sair da car­ce­ra­gem da PF em Cu­ri­ti­ba, Lu­la ele­geu ali­a­dos e ini­mi­gos. Os ali­a­dos são os de sem­pre, o PC­doB, o PSOL, a CUT, o MST... Os ini­mi­gos são Bol­so­na­ro, tra­ta­do com pro­vo­ca­ções, e a for­ça-ta­re­fa da Ope­ra­ção La­va Ja­to, acu­sa­da de “ban­da po­dre” do Es­ta­do. Aí in­cluí­dos Jus­ti­ça, Mi­nis­té­rio Pú­bli­co e Po­lí­cia Fe­de­ral.

Foi uma re­pe­ti­ção pra­ti­ca­men­te li­te­ral do que Lu­la já ti­nha di­to 580 di­as an­tes. Is­so re­for­çou a sen­sa­ção de que ele en­trou e saiu com o mes­mo dis­cur­so, os mes­mos al­vos e os mes­mos ami­gos do pei­to.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.