Em re­vés pa­ra go­ver­no, Trump diz que vai ta­xar aço bra­si­lei­ro

Ame­ri­ca­no acusa Brasil e Ar­gen­ti­na de des­va­lo­ri­zar mo­e­das e pro­me­te tam­bém au­men­tar tarifa so­bre alu­mí­nio

O Estado de S. Paulo - - Primeira página - /LUCIANA DYNIEWICZ, MÁRCIA DE CHIARA, LO­REN­NA RO­DRI­GUES e TIAGO AGUI­AR

O pre­si­den­te dos EUA, Do­nald Trump, acu­sou Brasil e Ar­gen­ti­na de pro­mo­ver uma “ma­ci­ça des­va­lo­ri­za­ção” de su­as mo­e­das e anun­ci­ou a re­to­ma­da de so­bre­ta­xas so­bre aço e alu­mí­nio pro­ce­den­tes dos dois paí­ses. A ati­tu­de de Trump, can­di­da­to à re­e­lei­ção, é mais um re­vés pa­ra o go­ver­no de Jair Bol­so­na­ro na re­la­ção com os EUA e pro­vo­cou sur­pre­sa até en­tre di­plo­ma­tas ame­ri­ca­nos. Bol­so­na­ro afir­mou que, “se for o ca­so”, en­tra­rá em con­ta­to com Trump por­que tem “ca­nal aber­to”. Ape­sar de enal­te­cer a pro­xi­mi­da­de que tem com o ame­ri­ca­no e de ter fei­to vá­ri­as con­ces­sões aos EUA, Bol­so­na­ro ob­te­ve pou­cas con­tra­par­ti­das. O Brasil já au­to­ri­zou o uso da ba­se de Al­cân­ta­ra (MA) pe­los ame­ri­ca­nos, li­be­rou os tu­ris­tas dos EUA de vis­tos e re­nun­ci­ou ao sta­tus de eco­no­mia emer­gen­te na OMC.

O pre­si­den­te dos Es­ta­dos Uni­dos, Do­nald Trump, anun­ci­ou on­tem que vai re­to­mar as ta­ri­fas so­bre o aço e o alu­mí­nio pro­ce­den­tes do Brasil e da Ar­gen­ti­na – me­di­da que foi vis­ta por es­pe­ci­a­lis­tas co­mo mais um re­vés pa­ra o go­ver­no de Jair Bol­so­na­ro na re­la­ção com os ame­ri­ca­nos. Trump es­cre­veu em sua con­ta no Twit­ter que os efei­tos da me­di­da são ime­di­a­tos, cau­san­do sur­pre­sa no go­ver­no bra­si­lei­ro e até en­tre di­plo­ma­tas ame­ri­ca­nos. Bol­so­na­ro afir­mou que vai pro­cu­rar o di­ri­gen­te ame­ri­ca­no se ne­ces­sá­rio: “Se for o ca­so, fa­lo com Trump, te­nho ca­nal aber­to”.

Trump jus­ti­fi­cou a so­bre­ta­xa­ção do aço e do alu­mí­nio di­zen­do que Brasil e Ar­gen­ti­na têm des­va­lo­ri­za­do su­as mo­e­das, o que pre­ju­di­ca­ria os agri­cul­to­res ame­ri­ca­nos. Com o re­al mais ba­ra­to, a so­ja bra­si­lei­ra, por exem­plo, se tor­na mais com­pe­ti­ti­va do que a ame­ri­ca­na.

Se­gun­do ana­lis­tas, po­rém, des­va­lo­ri­za­ção das mo­e­das bra­si­lei­ra e ar­gen­ti­na não tem ocor­ri­do de for­ma or­ques­tra­da pe­los go­ver­nos dos dois paí­ses. “Não exis­te con­tro­le es­ta­tal nem no Brasil nem na Ar­gen­ti­na. A mo­e­da des­va­lo­ri­zou-se por con­ta de ou­tros fa­to­res ma­cro­e­conô­mi­cos”, des­ta­cou Wel­ber Bar­ral, ex-se­cre­tá­rio de Co­mér­cio Ex­te­ri­or e só­cio da MJ Con­sul­to­res. En­tre es­ses fa­to­res, se­gun­do ana­lis­tas, es­tá a atu­al dis­pu­ta co­mer­ci­al en­tre EUA e Chi­na, que tem ge­ra­do ins­ta­bi­li­da­de no mer­ca­do in­ter­na­ci­o­nal de ca­pi­tais.

Pa­ra Jo­sé Au­gus­to de Cas­tro, pre­si­den­te da As­so­ci­a­ção de Co­mér­cio Ex­te­ri­or do Brasil, o anún­cio de Trump foi uma me­di­da elei­to­rei­ra. “Trump es­tá ar­ran­jan­do mo­ti­vos pa­ra dar ex­pli­ca­ções pa­ra o pú­bli­co in­ter­no de­le, pen­san­do na elei­ção do ano que vem.”

Em 2018, os EUA de­ter­mi­nou uma so­bre­ta­xa de 10% so­bre o alu­mí­nio bra­si­lei­ro e li­mi­tou a im­por­ta­ção de aço a 4 mi­lhões de to­ne­la­das por ano. Co­mo o alu­mí­nio já vem sen­do ta­xa­do, a As­so­ci­a­ção Bra­si­lei­ra do Alu­mí­nio (Abal) in­ter­pre­ta que não ca­be­ria um au­men­to de alí­quo­ta sem o aval do Con­gres­so ame­ri­ca­no e, por­tan­to, a me­di­da não atin­gi­ria o se­tor. “É o jei­to de fa­zer ne­gó­ci­os de Trump. Ele ame­a­ça (o Brasil e a Ar­gen­ti­na) com o que tem”, dis­se o pre­si­den­te exe­cu­ti­vo da en­ti­da­de, Mil­ton Re­go.

Já o Ins­ti­tu­to Aço afir­mou, em nota, que ha­via re­ce­bi­do a no­tí­cia com “per­ple­xi­da­de” e res­sal­tou que o câm­bio é li­vre no Brasil, não sen­do des­va­lo­ri­za­do ar­ti­fi­ci­al­men­te. “A de­ci­são de ta­xar o aço bra­si­lei­ro co­mo for­ma de ‘com­pen­sar’ o agri­cul­tor ame­ri­ca­no é uma re­ta­li­a­ção ao Brasil, que não con­diz com as re­la­ções de par­ce­ria en­tre os dois paí­ses.”

No ano pas­sa­do, o Brasil ex­por­tou 13,9 mi­lhões de to­ne­la­das de aço, o equi­va­len­te a 41,5% da sua pro­du­ção. Do to­tal ex­por­ta­do, 28,6% ti­ve­ram os EUA co­mo des­ti­no.

Re­la­ções. Ao re­tor­nar on­tem à noi­te ao Pa­lá­cio do Al­vo­ra­da, Bol­so­na­ro mi­ni­mi­zou o im­pac­to do anún­cio. “Pau­lo Gu­e­des (mi­nis­tro da Eco­no­mia) de­ve es­tar li­gan­do lá”, afir­mou. Ele man­te­ve o mes­mo tom ao dar en­tre­vis­ta pa­ra o Jor­nal da Record. Se­gun­do ele, o anún­cio de Trump não vai de­te­ri­o­rar as re­la­ções com os EUA. Dis­se ain­da que a de­cla­ra­ção faz par­te da estratégia po­lí­ti­ca do ame­ri­ca­no pe­ran­te às elei­ções de 2020. Em nota, o Mi­nis­té­rio das Re­la­ções Ex­te­ri­o­res in­for­mou es­tar em con­ta­to com in­ter­lo­cu­to­res em Washing­ton e que o go­ver­no “tra­ba­lha­rá pa­ra de­fen­der o in­te­res­se co­mer­ci­al bra­si­lei­ro”.

Na Ar­gen­ti­na, o pre­si­den­te Mau­ri­cio Ma­cri e o pre­si­den­te elei­to, Al­ber­to Fer­nán­dez, não co­men­ta­ram o as­sun­to. O mi­nis­tro da Pro­du­ção, Dan­te Si­ca, afir­mou ao jor­nal ar­gen­ti­no Perfil que a Ar­gen­ti­na ado­ta­rá uma po­si­ção con­jun­ta com o Brasil.

Ape­sar de enal­te­cer a pro­xi­mi­da­de que tem com Trump fre­quen­te­men­te e ter fei­to vá­ri­as con­ces­sões aos Es­ta­dos Uni­dos, Bol­so­na­ro ain­da não con­se­guiu ne­nhu­ma con­tra­par­ti­da do la­do ame­ri­ca­no. O Brasil já per­mi­tiu o uso da ba­se de Al­cân­ta­ra, no Ma­ra­nhão, pa­ra os ame­ri­ca­nos, li­be­rou os tu­ris­tas dos EUA de vis­to, re­nun­ci­ou ao tra­ta­men­to di­fe­ren­ci­a­do na Or­ga­ni­za­ção Mun­di­al do Co­mér­cio e ele­vou a co­ta de im­por­ta­ção de eta­nol sem tarifa.

O País, no en­tan­to, ain­da não con­se­guiu o apoio ame­ri­ca­no pa­ra fa­zer par­te da Or­ga­ni­za­ção pa­ra a Co­o­pe­ra­ção e De­sen­vol­vi­men­to Econô­mi­co (OCDE), nem que os EUA au­men­tas­sem a im­por­ta­ção do açú­car bra­si­lei­ro. O go­ver­no Bol­so­na­ro tam­bém não te­ve uma de­fi­ni­ção de Trump so­bre a re­a­ber­tu­ra do mer­ca­do ame­ri­ca­no pa­ra a car­ne bo­vi­na fres­ca bra­si­lei­ra.

“Es­se ca­so (do aço) con­fir­ma a in­ge­nui­da­de do go­ver­no bra­si­lei­ro de acre­di­tar que os Es­ta­dos Uni­dos da­ri­am um tra­ta­men­to be­ne­vo­len­te ao País. Mos­tra que eles (ame­ri­ca­nos) não têm a me­nor con­si­de­ra­ção por Bol­so­na­ro, que acha que há al­gu­ma re­la­ção es­pe­ci­al”, dis­se o di­plo­ma­ta Ru­bens Ri­cu­pe­ro, ex-em­bai­xa­dor nos EUA e ex-mi­nis­tro da Fa­zen­da.

ALAN SAN­TOS/PR - 19/3/2019

‘O Ami­go Ame­ri­ca­no’. En­con­tro de Jair Bol­so­na­ro com Trump, na Ca­sa Bran­ca, em mar­ço

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.