Ru­bens Bar­bo­sa

O Estado de S. Paulo - - Primeira página - Ru­bens Bar­bo­sa EX-EM­BAI­XA­DOR DO BRASIL EM WASHING­TON E EM LON­DRES, PRE­SI­DE O IRICE

Me­di­da anun­ci­a­da por Trump é ile­gal, dis­cri­mi­na­tó­ria e par­te de pre­mis­sas equi­vo­ca­das. Prag­ma­tis­mo e re­a­lis­mo de­ve­ri­am pre­va­le­cer nas re­la­ções en­tre paí­ses.

Oa­nún­cio do pre­si­den­te Trump de im­po­si­ção ime­di­a­ta de ta­ri­fas so­bre as ex­por­ta­ções de aço e alu­mí­nio do Brasil e da Ar­gen­ti­na cau­sou per­ple­xi­da­de. Ra­zão: po­lí­ti­ca bra­si­lei­ra de des­va­lo­ri­za­ção cam­bi­al e pre­juí­zo à in­dús­tria e ao agro­ne­gó­cio dos EUA. A me­di­da é ile­gal, dis­cri­mi­na­tó­ria e par­te de pre­mis­sas equi­vo­ca­das.

O Brasil não es­tá pra­ti­can­do uma po­lí­ti­ca de des­va­lo­ri­za­ção do re­al e o vo­lu­me do aço bra­si­lei­ro não pre­ju­di­ca a in­dús­tria nor­te-ame­ri­ca­na. O agro­ne­gó­cio nos EUA es­tá se be­ne­fi­ci­an­do das me­di­das pro­te­ci­o­nis­tas que afe­tam as ex­por­ta­ções bra­si­lei­ras, co­mo car­ne e su­co de la­ran­ja, e o Brasil aten­deu à so­li­ci­ta­ção de Washing­ton e au­to­ri­zou a im­por­ta­ção, sem tarifa, de 750.000 to­ne­la­das de tri­go.

O go­ver­no bra­si­lei­ro in­for­mou es­tar em con­ta­to com au­to­ri­da­des nor­te-ame­ri­ca­nas pa­ra de­fen­der os in­te­res­ses co­mer­ci­ais bra­si­lei­ros e é ce­do pa­ra apon­tar as con­sequên­ci­as ne­ga­ti­vas, ca­so a me­di­da se­ja man­ti­da.

A apro­xi­ma­ção ide­o­ló­gi­ca com os EUA e o acom­pa­nha­men­to em vo­ta­ções nos fó­runs in­ter­na­ci­o­nais em di­fe­ren­tes áre­as, co­mo gê­ne­ro, di­rei­tos hu­ma­nos, meio am­bi­en­te e re­li­gião, além de ge­rar des­gas­te na per­cep­ção ex­ter­na do Brasil, não en­con­tram re­ci­pro­ci­da­de nas nos­sas rei­vin­di­ca­ções. Ape­sar de ha­ver aber­to mão do tra­ta­men­to es­pe­ci­al e di­fe­ren­ci­a­do na OMC, o go­ver­no bra­si­lei­ro não re­ce­beu apoio ime­di­a­to no pe­di­do pa­ra in­gres­so na OCDE. O re­sul­ta­do mais im­por­tan­te ob­ti­do até aqui foi a as­si­na­tu­ra de acor­do de sal­va­guar­da tec­no­ló­gi­ca, que abre bo­as pers­pec­ti­vas pa­ra o País no mer­ca­do es­pa­ci­al glo­bal.

No mo­men­to em que se vol­ta a fa­lar que os EUA po­de­ri­am res­sus­ci­tar a ne­go­ci­a­ção de uma área de li­vre-co­mér­cio nas Ame­ri­cas (Al­ca), Washing­ton pa­ra­li­sa a OMC e blo­queia a in­di­ca­ção de juí­zes pa­ra o ór­gão de ape­la­ção, dei­xan­do paí­ses co­mo o Brasil sem ins­tru­men­to le­gal pa­ra re­cor­rer con­tra me­di­das dis­cri­mi­na­tó­ri­as na área co­mer­ci­al.

Co­mo di­zia o in­sus­pei­to John Fos­ter Dul­les, “os paí­ses não têm ami­gos, têm in­te­res­ses”. O re­la­ci­o­na­men­to com os EUA vai pas­sar por mais um tes­te im­por­tan­te quan­do for re­a­li­za­da a li­ci­ta­ção pa­ra a aqui­si­ção de tec­no­lo­gia pa­ra a im­plan­ta­ção do sis­te­ma 5G. Co­mo fi­ca­rá a co­o­pe­ra­ção com os EUA em áre­as sen­sí­veis se ga­nhar uma em­pre­sa chi­ne­sa, co­mo a Huawei?

Prag­ma­tis­mo e re­a­lis­mo de­ve­ri­am pre­va­le­cer aci­ma de ques­tões ide­o­ló­gi­cas nas re­la­ções com os EUA, um de nos­sos prin­ci­pais par­cei­ros.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.