SP da­rá vou­cher pa­ra com­pra de uni­for­me

Tes­te re­pro­vou amos­tras de em­pre­sas que es­ta­vam no pro­ces­so, can­ce­la­do após su­pos­ta frau­de; com­pra é pa­ra a re­de mu­ni­ci­pal

O Estado de S. Paulo - - Primeira página - Bru­no Ribeiro

Em meio a in­ves­ti­ga­ção de frau­de em li­ci­ta­ção pa­ra com­pra de uni­for­me es­co­lar, o pre­fei­to Bru­no Co­vas anun­ci­ou on­tem que vai dar um car­tão com R$ 215 a ca­da pai de alu­no pa­ra que pos­sa usar em lo­jas pré-cre­den­ci­a­das.

Em meio a uma in­ves­ti­ga­ção que apu­ra frau­des na li­ci­ta­ção pa­ra aqui­si­ção de uni­for­mes es­co­la­res pa­ra es­te ano, o pre­fei­to de São Pau­lo, Bru­no Co­vas (PSDB), anun­ci­ou on­tem que sus­pen­deu a con­cor­rên­cia e vai for­ne­cer aos pais um vou­cher pa­ra a com­pra das rou­pas no va­lor de R$ 215 por alu­no. O car­tão po­de­rá ser usa­do em lo­jas cre­den­ci­a­das pa­ra a ven­da. A ex­pec­ta­ti­va é que o cre­den­ci­a­men­to das lo­jas e o for­ne­ci­men­to do vou­cher ocor­ra até o fim do pró­xi­mo mês. As au­las co­me­çam an­tes, no dia 5 de fe­ve­rei­ro.

No mo­de­lo pau­lis­ta­no, a Pre­fei­tu­ra é obri­ga­da a for­ne­cer os uni­for­mes aos alu­nos, mas as es­co­las não são obri­ga­das a co­brar o uso pe­los es­tu­dan­tes. Des­se mo­do, o atra­so não de­ve im­pe­dir que eles fre­quen­tem a es­co­la. O ma­te­ri­al é usa­do pe­los es­tu­dan­tes do en­si­no fun­da­men­tal, do 1. ao 9.ª ano.

Os pro­ble­mas na com­pra dos uni­for­mes des­te ano co­me­ça­ram em no­vem­bro, quan­do um tes­te fei­to com ma­te­ri­ais for­ne­ci­dos pe­las 20 em­pre­sas que dis­pu­ta­vam a li­ci­ta­ção re­pro­vou to­das as amos­tras. Por is­so, diz o Mu­ni­cí­pio, a li­ci­ta­ção te­ve de ser sus­pen­sa. O tes­te foi fei­to por­que a Pre­fei­tu­ra, nes­te ano, mu­dou nor­mas de qua­li­da­de do ma­te­ri­al, aten­den­do a uma re­co­men­da­ção do Tri­bu­nal de Con­tas do Mu­ni­cí­pio (TCM). São cer­ca 660 mil kits de uni­for­me. Ca­da kit tem cin­co ca­mi­se­tas, ber­mu­da, aga­sa­lho, cal­ça, ja­que­ta e tê­nis.

Con­for­me o Es­ta­do apu­rou, a Pre­fei­tu­ra sus­pei­ta­va que em­pre­sas es­ta­ri­am for­çan­do a ad­mi­nis­tra­ção mu­ni­ci­pal a ter de fa­zer uma con­tra­ta­ção de emer­gên­cia, sem li­ci­ta­ção, pe­las nor­mas de qua­li­da­de an­ti­gas, uma vez que te­ci­dos de Tac­tel já ha­vi­am si­do com­pra­dos de for­ne­ce­do­res chi­ne­ses e, ago­ra, não po­de­ri­am mais ser usa­dos.

“Não há a me­nor dú­vi­da pa­ra mim que a in­ten­ção des­sas em­pre­sas era fi­car com a fa­ca no pes­co­ço do pre­fei­to, do se­cre­tá­rio, es­pe­ran­do que a gen­te re­du­zis­se as exi­gên­ci­as”, dis­se Co­vas. Os no­mes das em­pre­sas não fo­ram di­vul­ga­dos.

Ain­da se­gun­do o pre­fei­to, ape­nas 5% dos alu­nos usa­vam os cal­ça­dos for­ne­ci­dos pe­la Pre­fei­tu­ra por cau­sa da má qua­li­da­de do ma­te­ri­al. “De ca­da 25 tê­nis que a Pre­fei­tu­ra com­pra, ape­nas um é usa­do”, dis­se Co­vas, ci­tan­do da­dos do TCM.

Frau­de. Apu­ra­ção da Con­tro­la­do­ria-Ge­ral do Mu­ni­cí­pio (CGM) ve­ri­fi­cou “in­dí­ci­os de

pos­sí­vel atu­a­ção frau­du­len­ta por par­te de al­guns li­ci­tan­tes”, se­gun­do no­ta do ór­gão. Du­as das em­pre­sas usa­vam o mes­mo do­mí­nio de e-mail e fo­ram re­pre­sen­ta­das pe­la mes­ma pes­soa. Qua­tro de­las não ti­nham ne­nhum fun­ci­o­ná­rio re­gis­tra­do, o que si­na­li­za pos­sí­vel “uti­li­za­ção de pes­soa ju­rí­di­ca pa­ra ocul­ta­ção da iden­ti­da­de da em­pre­sa be­ne­fi­ci­a­da” por par­te de “em­pre­sa de fa­cha­da”.

O con­tro­la­dor-ge­ral do Mu­ni­cí­pio, Gus­ta­vo Un­ga­ro, afir­mou que ne­nhum ser­vi­dor foi re­la­ci­o­na­do a uma pos­sí­vel frau­de, mas dis­se que vai en­ca­mi­nhar a apu­ra­ção ao Mi­nis­té­rio Pú­bli­co Es­ta­du­al e à Po­lí­cia Ci­vil. Co­vas des­ta­cou que, ve­ri­fi­ca­da a atu­a­ção de um gru­po or­ga­ni­za­do pa­ra frau­dar a com­pra, a Pre­fei­tu­ra tam­bém en­vi­a­rá as in­for­ma­ções ao Con­se­lho Ad­mi­nis­tra­ti­vo de De­fe­sa Econô­mi­ca (Ca­de), do Mi­nis­té­rio da Jus­ti­ça e da Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca.

A Pre­fei­tu­ra vai con­tra­tar uma em­pre­sa pa­ra fa­zer a ges­tão dos car­tões for­ne­ci­dos aos pais dos es­tu­dan­tes e in­for­mou que se­rão fei­tos tes­tes de qua­li­da­de com os uni­for­mes ofe­re­ci­dos pe­lo va­re­jo. Co­vas des­ta­cou, ain­da, que es­pe­ra par­ce­ria dos pais pa­ra fis­ca­li­zar a qua­li­da­de do ma­te­ri­al.

O no­vo mo­de­lo de com­pra, com a en­tre­ga de car­tões pa­ra que os res­pon­sá­veis fa­çam a com­pra, já vi­nha sen­do es­tu­da­do pe­los téc­ni­cos da Se­cre­ta­ria Mu­ni­ci­pal de Edu­ca­ção, mas a apli­ca­ção des­sa me­to­do­lo­gia só se­ria ini­ci­a­da no ano que vem. Com a im­pos­si­bi­li­da­de da con­clu­são da li­ci­ta­ção des­te ano, a de­ci­são da Pre­fei­tu­ra foi pe­la an­te­ci­pa­ção do mo­de­lo.

Me­ren­da. Es­sa é se­gun­da in­ter­ven­ção fei­ta pe­la Con­tro­la­do­ria-Ge­ral em con­tra­tos com a Pre­fei­tu­ra no úl­ti­mo ano. Em 2019, a ges­tão Co­vas anun­ci­ou ter des­cre­den­ci­a­do cer­ca de cem en­ti­da­des que ad­mi­nis­tra­vam cre­ches mu­ni­ci­pais, após in­ves­ti­ga­ção cons­ta­tar ir­re­gu­la­ri­da­des na com­pra de me­ren­da. As en­ti­da­des re­ce­bi­am ver­ba pa­ra a com­pra, mas ad­qui­ri­am me­nos co­mi­da do que de­ve­ri­am ou de qua­li­da­de in­fe­ri­or.

PRE­FEI­TU­RA SP

En­si­no fun­da­men­tal. Kit in­clui ca­mi­se­tas, ber­mu­da, aga­sa­lho, cal­ça, ja­que­ta e tê­nis

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.