De to­dos os sa­bo­res

É pos­sí­vel apro­vei­tar os be­ne­fí­ci­os do li­mão em di­ver­sas for­mas

O Poder dos Alimentos - - NEWS - Tex­to IURI SAN­TOS/CO­LA­BO­RA­DOR | De­sign ANA MAS­SA/CO­LA­BO­RA­DO­RA CON­SUL­TO­RIA Fer­nan­do Cas­tro, nu­tri­ci­o­nis­ta e edu­ca­dor fí­si­co FO­TOS An­dré For­tes/co­la­bo­ra­dor

JÁ NÃO É MAIS SE­GRE­DO: O LI­MÃO POS­SUI UMA VA­RI­E­DA­DE DE NU­TRI­EN­TES QUE CUM­PREM DI­VER­SAS FUN­ÇÕES NO OR­GA­NIS­MO. An­ti-in­fla­ma­tó­rio, an­ti­o­xi­dan­te e fon­te de uma sé­rie de mi­ne­rais, es­sa fru­ta, ain­da, é uma op­ção mui­to prá­ti­ca pa­ra atin­gir os ní­veis cor­re­tos de vi­ta­mi­na C no cor­po. Mas vo­cê sa­bia que não é ne­ces­sá­rio fi­car pre­so no clás­si­co li­mão-tai­ti pa­ra extrair to­dos es­ses be­ne­fí­ci­os do ali­men­to? Há uma quan­ti­da­de in­te­res­san­te de va­ri­a­ções da fru­ta: cra­vo, si­ci­li­a­no e ga­le­go, por exem­plo, tam­bém po­dem ser en­con­tra­dos no Bra­sil. Além do mais, mu­dar a op­ção é van­ta­jo­so pa­ra não cansar de con­su­mir sem­pre o mes­mo ti­po, e não faz tan­ta di­fe­ren­ça nu­tri­ci­o­nal. “Exis­tem mui­tas va­ri­e­da­des des­sa fru­ta, po­rém, nu­tri­ci­o­nal­men­te, as di­fe­ren­ças são im­per­cep­tí­veis, se dan­do, prin­ci­pal­men­te, no te­or de aci­dez, sa­bor e na quan­ti­da­de de ma­té­ria lí­qui­da, o que tor­na al­gu­mas va­ri­e­da­des me­lho­res, por exem­plo, pa­ra o uso em su­cos”, ex­pli­ca o nu­tri­ci­o­nis­ta e edu­ca­dor fí­si­co Fer­nan­do Cas­tro. Con­fi­ra as prin­ci­pais ca­rac­te­rís­ti­cas dos ti­pos de li­mão e on­de uti­li­zá-los!

TAI­TI

O clás­si­co li­mão da cai­pi­ri­nha é o mais pre­sen­te na mesa dos bra­si­lei­ros. Ele tem a cas­ca fi­na e é ar­re­don­da­do. Ver­di­nho, o tai­ti não é tão áci­do e tem me­nos se­men­tes.

On­de usar: li­mo­na­das.

CRA­VO

Bem pe­que­ni­ni­nho, es­sa va­ri­e­da­de é mais ala­ran­ja­da. Tam­bém co­nhe­ci­do por li­mão cai­pi­ra ou li­mão ro­sa, não é uma ver­são mui­to áci­da e é mais do­ce que os ou­tros. On­de usar: mo­lho de sa­la­das.

SI­CI­LI­A­NO

O mais po­pu­lar no mun­do in­tei­ro, é aque­la ver­são “oval” e de cas­ca ama­re­la­da. Mais áci­do que os de­mais, o li­mão si­ci­li­a­no é a es­pé­cie mais an­ti­ga da fru­ta. On­de usar: ri­so­tos.

GA­LE­GO

Com a cas­ca fi­na e ver­de, é mui­to su­cu­len­to, ape­sar de pe­que­no. Es­sa ver­são po­de ser uti­li­za­da em di­ver­sas re­cei­tas, por ser pou­co áci­do. On­de usar: do­ces.

“Em ca­so de uti­li­za­ção na cu­li­ná­ria, ao aque­cer o su­co do li­mão, per­de-se gran­de quan­ti­da­de de vi­ta­mi­nas. Por is­so, pre­fi­ra sem­pre o uso a frio e lo­go após ser ex­traí­do”, Fer­nan­do Cas­tro, nu­tri­ci­o­nis­ta

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.