CE­LE­BRAN­DO o Amor na Ilha de Pás­coa

Qual Viagem - - PELO MUNDO - ga­rim­pan­do.li­fe@ga­rim­pan­do.li­fe Tra­vel Box Bra­zil ( TV a ca­bo de quar­ta-fei­ra às 20h e sex­ta-fei­ra às 22h)

Sim, fiz Bo­das de Pra­ta de ca­sa­men­to. Uma his­tó­ria lin­da e in­crí­vel mi­nha com Edu­ar­do, his­tó­ria de con­quis­tas em to­dos os sen­ti­dos. Há 25 anos atrás ca­sa­mos em No­va Ior­que e de­pois há 07 anos em 2011 re­a­li­za­mos o ca­sa­men­to ci­vil e re­li­gi­o­so no Bra­sil co­mo o pri­mei­ro ca­sal ho­mo­a­fe­ti­vo a ca­sar na lei. Lu­ta­mos por es­sa con­quis­ta por nos­so mo­le­que Ma­no­el que tam­bém foi a pri­mei­ra cri­an­ça ado­ta­da por du­as pes­so­as do mes­mo se­xo.

Nos­sas Bo­das co­me­mo­ra­mos em fa­mí­lia em nos­sa ca­sa com al­guns pou­cos ami­gos de for­ma ín­ti­ma e bas­tan­te aben­ço­a­da em se­tem­bro úl­ti­mo. Re­sol­ve­mos re­a­li­zar a se­gun­da lua de mel (a pri­mei­ra foi pa­ra o Mé­xi­co) e o des­ti­no es­co­lhi­do foi a mis­te­ri­o­sa e má­gi­ca Ilha de Pás­coa, ou Ra­pa Nui. São ape­nas 4 ho­ras de vôo até San­ti­a­go do Chi­le e de­pois mais 5 ho­ras e meia até Ra­pa Nui, uma ilha no meio do Oce­a­no Pa­cí­fi­co, con­si­de­ra­do o lu­gar mais dis­tan­te de to­dos os con­ti­nen­tes. Lo­go ao che­gar­mos fo­mos re­ce­bi­dos com mui­ta mú­si­ca lo­cal e dan­ças, ah e cla­ro por lin­dos lo­cais com co­la­res de flo­res na­tu­rais. Um char­me!

O Ho­tel Ex­plo­ra, um íco­ne no que­si­to ele­gân­cia com na­tu­ra­li­da­de, re­ce­beu-nos co­mo ver­da­dei­ros prín­ci­pes Ra­pa Nuis e com eles vi­ve­mos as mais fan­tás­ti­cas ex­pe­ri­ên­ci­as atra­vés de ex­pe­di­ções ma­ra­vi­lho­sas en­tre Mo­ais, vul­cões, la­gos, prai­as e mon­ta­nhas. Mer­gu­lha­mos na his­tó­ria des­se lin­do e ca­lo­ro­so po­vo e pu­de­mos en­ten­der um pou­co dos mis­té­ri­os e ma­gi­as que en­vol­vem es­sa des­lum­bran­te Ilha.

O pri­mei­ro en­con­tro com a his­tó­ria an­ti­ga acon­te­ceu em Ahu Ton­ga­ri­ki com os prin­ci­pais Mo­ais (15 na pla­ta­for­ma), um mo­men­to de ar­re­pi­ar. Im­pos­sí­vel con­ter as lá­gri­mas di­an­te de ta­ma­nha be­le­za e ar­te. Até ho­je não se ex­pli­ca 100% co­mo os Ra­pa Nuis con­se­gui­ram re­a­li­zar ta­ma­nhas pro­e­zas afi­nal as dis­tân­ci­as são imen­sas e as es­tá­tu­as gi­gan­tes além de se­rem pe­sa­dís­si­mas. Por to­da a Ilha exis­tem pla­ta­for­mas de Mo­ais es­pa­lha­das e em ca­da uma de­las um

sen­ti­do di­fe­ren­te des­sas sim­bó­li­cas co­lo­ca­ções. No­ve tri­bos fo­ram for­ma­das a par­tir da che­ga­da do pri­mei­ro rei há mais de 800 anos, pro­va­vel­men­te vin­dos da Po­li­né­sia on­de es­tá lo­ca­li­za­do a No­va Ze­lân­dia. São es­tu­dos e mais es­tu­dos sem ne­nhu­ma cer­te­za, afi­nal per­ma­ne­ce­ram iso­la­dos do mun­do por sé­cu­los e sé­cu­los com um oce­a­no sem fim ao seu re­dor.

O Ho­tel Ex­plo­ra sur­pre­en­de des­de o pri­mei­ro ins­tan­te ao re­ce­ber-nos com co­la­res de flo­res e de con­chas além de can­tis de alu­mí­nio de for­ma a es­tar­mos sem­pre bem hi­dra­ta­dos em qual­quer ti­po de ca­mi­nha­da.

A ar­qui­te­tu­ra do ho­tel, as­si­na­da por Jo­sé Cruz Oval­le, é apai­xo­nan­te va­lo­ri­zan­do ma­dei­ras e pe­dras na­ti­vas o que en­can­ta ain­da mais pe­la ino­va­ção e be­le­za. Cur­vas e cur­vas, vi­dros e sim­pli­ci­da­de com mui­ta so­fis­ti­ca­ção. Es­sa é a fór­mu­la des­se lu­gar sen­sa­ci­o­nal que ho­je de­tém mais 3 uni­da­des, sen­do mais 2 no Chi­le (Pa­tagô­nia e Ata­ca­ma) e uma no Pe­ru (Va­le Sa­gra­do). Cla­ro que a al­ta qua­li­da­de dos ser­vi­ços é um dos car­ros che­fes do su­ces­so Ex­plo­ra!

A gas­tro­no­mia en­tão é ab­so­lu­ta­men­te im­pe­cá­vel va­lo­ri­zan­do in­gre­di­en­tes lo­cais e re­cei­tas que mes­clam a vi­da Ra­pa Nui com a di­ver­si­da­de de sa­bo­res chi­le­na. Que sau­da­des da­que­les pei­xes e fru­tos do mar fres­cos pre­pa­ra­dos de for­ma sim­ples e gour­met do com­pe­ten­te chef do ho­tel. Car­nes, Mas­sas, Sa­la­das e Cre­mes com­ple­tam es­sa in­fi­ni­ta ex­pe­ri­ên­cia de sa­bo­res. Por si­nal to­das as re­fei­ções es­tão in­cluí­das de for­ma equi­li­bra­da e al­ta­men­te sa­bo­ro­sas har­mo­ni­zan­do com vi­nhos de pri­mei­ra cas­ta. Um All In­clu­si­ve so­fis­ti­ca­do, di­fe­ren­te de tu­do já vis­to e vi­vi­do.

Um dos pas­sei­os mais alu­ci­nan­tes foi a Pe­drei­ra Ra­no Ra­ra­ku exis­ten­te no en­tor­no de um gi­gan­te vul­cão. Um lu­gar de ver­da­de es­pe­ci­al, on­de a Paz gri­ta atra­vés do si­lên­cio e da be­le­za na­tu­ral. Lá pu­de­mos en­ten­der um pou­co mais da ener­gia en­vol­vi­da em tu­do e em to­dos. Re­a­li­za­mos uma das 7 tri­lhas dos Mo­ais de 7km por ca­mi­nhos que sa­em da Pe­drei­ra pas­san­do por pe­nhas­cos, vis­tas sen­sa­ci­o­nais e sí­ti­os ar­que­o­ló­gi­cos. Que vi­su­al, que ex­pe­ri­ên­cia vi­ve­mos os 3, que vi­a­gem úni­ca!

Fi­ze­mos a pé tam­bém ou­tras tri­lhas e saí­mos por ma­tas, avis­tan­do mi­lha­res de ca­va­los sol­tos, por ca­mi­nhos an­tes fre­quen­ta­dos pe­los mis­te­ri­o­sos Ra­pa Nuis. Di­ver­sas e di­ver­ti­das ex­pe­di­ções são re­a­li­za­das pe­lo Ex­plo­ra e seus hós­pe­des mas um lo­cal cha­ma­do Ahu Aki­vi, on­de vi­vi­am os che­fes Ra­pa Nuis e ou­tros guer­rei­ros e de fren­te a Ilha Mo­to Nui, é de su­ma im­por­tân­cia e im­per­dí­vel. Foi ali que ti­ve uma das mais im­pres­si­o­nan­tes vis­tas de mi­nha vi­da, um lu­xo na­tu­ral pa­ra o olhos. Do al­to da Ilha re­cor­ta­da por imen­sas fa­lé­si­as cir­cu­la­mos por es­se sí­tio ar­que­o­ló­gi­co com an­ti­gas re­si­dên­ci­as e es­pa­ços re­li­gi­o­sos.

Lá en­ten­de­mos co­mo fun­ci­o­na­va o so­ci­e­da­de da épo­ca e seus cos­tu­mes bem co­mo seu po­si­ci­o­na­men­to so­ci­al.

A Ilha de Pás­coa é um des­ti­no afas­ta­do de tu­do e de to­dos com cos­tu­mes mui­to pró­pri­os sem mui­tas in­fluên­ci­as ex­ter­nas. Uma opor­tu­ni­da­de úni­ca vi­ver is­so tu­do aos la­do das pes­so­as mais im­por­tan­tes da mi­nha vi­da num mo­men­to tão fes­ti­vo e em­ble­má­ti­co. Op­ta­mos pe­la vi­a­gem cer­ta pa­ra es­sa gran­de ce­le­bra­ção. Op­ta­mos pe­los me­lho­res ser­vi­ços pres­ta­dos com afin­co e res­pon­sa­bi­li­da­de. Pre­ten­do vol­tar, sim um dia qu­e­ro re­vi­ver tu­do is­so em mi­nha vi­da.

Qu­e­ro vi­ver mais ex­pe­ri­ên­ci­as pe­la Amé­ri­ca do Sul com Ex­plo­ra, mer­gu­lhar com eles mais a fun­do em ca­da des­ti­no. Qu­e­ro vi­ver e vi­ver e vi­ver o quan­to for pos­sí­vel, mui­to além da­qui, bem além do co­nhe­ci­do.

Ga­rim­par é per­mi­tir-se, Ga­rim­par é en­con­trar no ou­tro al­go no­vo ca­paz de agre­gar pa­ra si o me­lhor do que exis­te por es­se mun­do afo­ra!

IN­FOR­MA­ÇÕES: ex­plo­ra.com | the­glo­bal­no­mads.com.br

Mar­ce­lo, Edu­ar­do e Ma­no­el no ho­tel Ex­plo­ra em Ra­pa Nui

Pe­drei­ra Ra­no Ra­ra­ku on­de eram fei­tos os Mo­ais

Tri­lha do Ex­plo­ra por um dos 7 ca­mi­nhos dos Mo­ais

Fa­mí­lia reu­ni­da di­an­te dos 15 fa­mo­sos Mo­ais de Ahu Ton­ga­ri­ki

Praia Ana­ke­na, che­ga­da dos pri­mei­ros Ra­pa Nuis

Fa­lé­sia de Oron­go

Ma­ri­na do Vi­la­re­jo cen­tral de Ra­pa Nui

Di­an­te da Cra­te­ra Vul­cão Ra­no Kau

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.