Pda­er­ra­re ter na­bo­ca!

Apren­da tru­ques que vão dei­xar seu pu­dim ain­da mais gos­to­so e fa­zer su­ces­so na fa­mí­lia

Receita Minuto - - PAVÊS -

Opu­dim é uma re­cei­ta pre­pa­ra­da tra­di­ci­o­nal­men­te com ovos, lei­te e açú­car. Pos­sui con­sis­tên­cia li­sa, ma­cia e cre­mo­sa. É ser­vi­do de­sen­for­ma­do e po­de ser co­zi­do no for­no ou no fo­go, em ba­nho-ma­ria. O flan e o man­jar são va­ri­a­ções da re­cei­ta.

O flan é um ti­po de pu­dim fei­to à ba­se de lei­te, ge­la­ti­na, açú­car e ovos. É mais le­ve que o pu­dim, po­den­do ser pre­pa­ra­do com lei­te ou su­co de fru­tas. É uma so­bre­me­sa que en­du­re­ce ao es­fri­ar. Exis­tem ver­sões com­pra­das pron­tas em pó, que são co­zi­das no fo­go até fer­ver.

O man­jar clás­si­co é pre­pa­ra­do co­mo um min­gau de lei­te, lei­te de co­co, ami­do de milho e açú­car. Co­mu­men­te é ser­vi­do com amei­xa em cal­da. Sua se­me­lhan­ça com o pu­dim fi­ca por con­ta da con­sis­tên­cia ge­la­ti­no­sa.

SEM CHEI­RO DE OVO

Pa­ra evi­tar gos­to ou chei­ro de ovo no pu­dim, sem­pre pas­se as ge­mas por uma pe­nei­ra an­tes de uti­li­zar na re­cei­ta. Se for usar o ovo in­tei­ro, não pre­ci­sa se­pa­rar a ge­ma, bas­ta pe­nei­rar jun­to com a cla­ra. Mas, ao pe­nei­rar não fi­que for­çan­do com a co­lher. Dei­xei pin­gar da pe­nei­ra nor­mal­men­te. O chei­ro de ovo vem da pe­lí­cu­la que re­co­bre a ge­ma. Se vo­cê for­çar com a co­lher, ela passa jun­to.

CAL­DAS E CARAMELOS

As cal­das, em ge­ral, usam a pro­por­ção de uma par­te de água pa­ra du­as de açú­car. A di­fe­ren­ça es­tá no tem­po e na tem­pe­ra­tu­ra do fo­go. Quan­do mais tem­po fi­car no fo­go, mais gros­sa e con­sis­ten­te. Um er­ro co­mum é quei­mar a cal­da. Evi­te usar o fo­go al­to, por­que mui­tas ve­zes o ca­ra­me­lo se for­ma tão rá­pi­do que vo­cê nem per­ce­be. O fo­go bai­xo é a me­lhor op­ção. Le­ve o açú­car ao fo­go até der­re­ter e fi­car dou­ra­di­nho. Jun­te a quan­ti­da­de de água in­di­ca­da. Nes­sa ho­ra, te­nha cui­da­do pa­ra não se quei­mar, pois ao en­trar em con­ta­to com o açú­car, a água po­de es­pir­rar. Dei­xe os pe­da­ços de açú­car se dis­sol­ve­rem e a cal­da en­cor­par, em fo­go bai­xo.

DE­SEN­FOR­ME SEM ME­DO

Pa­ra de­sen­for­mar o pu­dim fei­to em fôr­ma ca­ra­me­li­za­da, após dei­xar na ge­la­dei­ra pe­lo tem­po in­di­ca­do na re­cei­ta, pas­se o fun­do da fôr­ma por al­guns se­gun­dos pela cha­ma do fo­gão aces­sa. Is­so vai fa­zer a cal­da der­re­ter le­ve­men­te e o pu­dim des­gru­dar com mais fa­ci­li­da­de. Em se­gui­da, pas­se uma fa­ca sem pon­ta pe­las la­te­rais do pu­dim, ba­lan­ce um pou­co a fôr­ma e vi­re so­bre um pra­to.

Nas re­cei­tas fei­tas sem o ca­ra­me­lo, é pre­ci­so ume­de­cer a fôr­ma com água an­tes de co­lo­car a mas­sa do pu­dim. Se pre­fe­rir, un­te a fôr­ma com óleo. Nes­se ca­so, o pu­dim vai ga­nhar um vi­su­al mais bri­lhan­te de­pois de de­sen­for­ma­do.

LI­SI­NHO OU COM FURINHOS

Pa­ra uma mas­sa com tex­tu­ra li­sa, mis­tu­re os in­gre­di­en­tes com um ba­te­dor ma­nu­al, que não a dei­xe tão ae­ra­da. Em se­gui­da, as­se de­va­gar, em tem­pe­ra­tu­ra bai­xa. Mas, pa­ra quem pre­fe­re um pu­dim cheio de furinhos, com mas­sa bem ae­ra­da, bas­ta ba­ter os in­gre­di­en­tes no li­qui­di­fi­ca­dor e as­sar em fo­go mais al­to. Nun­ca dis­pen­se o ba­nho-ma­ria, ao pre­pa­rar pu­dins de for­no. Ele ga­ran­te uma tex­tu­ra cre­mo­sa ao do­ce. En­cha a as­sa­dei­ra com 2/3 de água e co­lo­que a fôr­ma do pu­dim den­tro pa­ra le­var ao for­no. Se se­car du­ran­te o pre­pa­ro, co­lo­que mais água quen­te.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.