Vo­an­do al­to

Bru­na Ma­to­so é uma das me­lho­res atle­tas ama­do­ras do país e en­con­trou a fór­mu­la pa­ra ter um cor­po ba­ca­na, saú­de e per­for­man­ce

Runner’s World (Brazil) - - INSPIRAÇÃO JOÃO MAGALHÃES -

A pu­bli­ci­tá­ria Bru­na Ma­to­so é de San­tos, ci­da­de do li­to­ral pau­lis­ta fa­mo­sa por su­as gran­des fai­xas de areia ba­ti­da. Mas foi em São Pau­lo, pa­ra on­de se mu­dou há 12 anos, que ela co­nhe­ceu a li­ber­da­de pro­por­ci­o­na­da pe­la cor­ri­da. “Em San­tos, a cor­ri­da era só a par­te ae­ró­bi­ca do meu trei­no, já que eu fa­zia vá­ri­as ati­vi­da­des co­mo mus­cu­la­ção, spin­ning e na­ta­ção. Em São Pau­lo, ela me con­quis­tou pe­la pra­ti­ci­da­de”, con­ta.

Bru­na foi pe­gan­do gos­to pe­las lon­gas dis­tân­ci­as e pas­sou a con­tar com uma equi­pe mul­ti­dis­ci­pli­nar, que in­clui nu­tri­ci­o­nis­ta, fi­si­o­lo­gis­ta e nu­tró­lo­ga. No ano pas­sa­do, te­ve uma le­são no pé que a fez adi­ar por um ano o pla­no de cor­rer a Ma­ra­to­na de Por­to Ale­gre em bus­ca da qua­li­fi­ca­ção pa­ra Bos­ton. Fo­ram qua­se no­ve me­ses sem par­ti­ci­par de uma úni­ca pro­va. Fez mui­ta fi­si­o­te­ra­pia, con­tou com o apoio do trei­na­dor e ami­go Ce­sar de Oli­vei­ra e, por fim, do or­to­pe­dis­ta Ro­dri­go Zo­gaib, que foi fun­da­men­tal no pro­ces­so de cu­ra. “Em ou­tu­bro de 2017, vol­tei a com­pe­tir e, em ju­nho de 2018, con­quis­tei o tem­po que pre­ci­sa­va pa­ra a Bos­ton 2019”, con­ta.

Ho­je Bru­na vi­ve sua me­lhor fa­se no es­por­te e sua re­la­ção com o cor­po nun­ca es­te­ve tão boa. Cor­re qua­tro ve­zes por se­ma­na e faz mus­cu­la­ção de três a qua­tro. Em ju­lho des­te ano, con­quis­tou seu re­cor­de nos 10 km, com 43min31 – nos 21 km, tem 1h40, de 2017. A se­guir, ela com­par­ti­lha al­gu­mas di­cas pa­ra vo­cê tam­bém con­quis­tar o seu me­lhor na cor­ri­da e na saú­de.

“O trei­na­dor vai de­sen­vol­ver uma pla­ni­lha es­pe­ci­al­men­te pa­ra vo­cê com ba­se nos seus tem­pos, nas su­as pro­vas e no seu po­ten­ci­al. Eu trei­no na MPR e fi­co fe­liz de­mais em fa­zer par­te des­se ti­me. Além dos trei­nos de cor­ri­da, é im­por­tan­te tam­bém fa­zer al­gum for­ta­le­ci­men­to, que aju­da a evi­tar le­sões”.

Bus­que ori­en­ta­ção:

“Amo pão de quei­jo, ba­la e cho­co­la­te. En­tão cos­tu­mo an­dar com cas­ta­nhas na bol­sa e evi­to fi­car muito tem­po sem co­mer. Além dis­so, uma em­pre­sa de congelados sau­dá­veis pre­pa­ra as mi­nhas re­fei­ções de acor­do com a su­ges­tão de ali­men­ta­ção pas­sa­da pe­la mi­nha nu­tri­ci­o­nis­ta”.

Pla­ne­je o car­dá­pio:

“É es­sen­ci­al pa­ra a re­cu­pe­ra­ção, mas pa­ra mim cer­ca de seis a se­te ho­ras são su­fi­ci­en­tes. Na cor­re­ria en­tre tra­ba­lho, trei­nos, afa­ze­res e la­zer, pa­re­ce que fal­tam ho­ras pa­ra fa­zer tu­do. Nor­mal­men­te a pro­gra­ma­ção de sex­ta-fei­ra à noi­te é com­pro­me­ti­da por causa do lon­go de sá­ba­do. Não dá pa­ra fa­zer tu­do”.

Dur­ma bem: Te­nha uma vál­vu­la de es­ca­pe (que não se­ja a co­mi­da):

“Sou uma pes­soa an­si­o­sa. É aí que mais uma vez a cor­ri­da me ‘sal­va’. Ela me li­ber­ta to­dos os di­as. É o meu mo­men­to, do qual eu não abro mão. Mo­men­to no qual eu sou a me­lhor ver­são de mim mes­ma. A cor­ri­da é a mi­nha te­ra­pia”.

“Agra­de­ço e muito pe­la fa­mí­lia que eu te­nho e pe­los ami­gos que fiz. Mi­nha fa­mí­lia é a mi­nha ba­se, meu por­to se­gu­ro. Te­nho ami­gos da cor­ri­da, do tri­a­tlo, da ba­la­da, do bar, da praia e pe­lo mun­do. Acho muito im­por­tan­te ter ami­gos de to­dos os ti­pos, que fa­lam de vá­ri­os as­sun­tos”.

Cer­que-se de pes­so­as que­ri­das:

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.