GARRA E ENERGIA BRA­SI­LEI­RA EM NYC

Runner’s World (Brazil) - - OFERECIDO POR UNDER ARMOUR -

EMBALADA PE­LA CON­FI­AN­ÇA EM SEU NO­VO UA HOVR SO­NIC, PA­O­LA CAR­RI­JO ACEI­TOU O DE­SA­FIO DE COR­RER A PRI­MEI­RA MA­RA­TO­NA IN­TER­NA­CI­O­NAL APÓS UMA GRA­VE LE­SÃO E FEZ BO­NI­TO EM NO­VA YORK

OS 42KM GE­RAL­MEN­TE MAR­CAM o fi­nal de um ci­clo pa­ra um cor­re­dor. Pa­ra al­guns, a me­ta mai­or quan­do es­tão co­me­çan­do uma vi­da na corrida. Pa­ra ou­tros, o mo­men­to de bus­car re­cor­des pes­so­ais, en­cer­ran­do uma fa­se es­pe­cí­fi­ca de pre­pa­ra­ção. Pa­ra Pa­o­la Car­ri­jo, po­rém, a Ma­ra­to­na de No­va York, no úl­ti­mo dia 04 de no­vem­bro, mar­cou um re­co­me­ço.

As­ses­so­ra ju­rí­di­ca no Mi­nis­té­rio Pú­bli­co de Cu­ri­ti­ba, Pa­o­la é co­nhe­ci­da no mun­do vir­tu­al por com­par­ti­lhar sua mes­cla­da ro­ti­na de tra­ba­lho e trei­nos em seu Ins­ta­gram – que ul­tra­pas­sou a mar­ca de 100 mil se­gui­do­res no úl­ti­mo mês. Após ini­ci­ar a tra­je­tó­ria na corrida de for­ma des­pre­ten­si­o­sa nos tem­pos de fa­cul­da­de, vi­san­do ape­nas ga­ran­tir uma va­ga nos jo­gos uni­ver­si­tá­ri­os, a cu­ri­ti­ba­na ho­je não vive lon­ge das pis­tas.

Mas es­sa história nem sem­pre foi re­ga­da a pas­sa­das, ve­lo­ci­da­de, en­dor­fi­na e pro­vas marcantes. A atle­ta ama­do­ra, em su­as pró­pri­as pa­la­vras, “sem­pre vi­veu uma história de amor e ódio com a corrida”. Em 2017, apren­deu a con­vi­ver com as do­res após ser di­ag­nos­ti­ca­da com a Sín­dro­me do Pi­ri­for­me (dis­túr­bio cau­sa­do pe­la com­pres­são do ner­vo ciá­ti­co pe­lo mús­cu­lo pi­ri­for­me), que além de cau­sar fre­quen­tes do­res no pos­te­ri­or da co­xa a pre­ju­di­cou bas­tan­te du­ran­te sua ro­ti­na de pre­pa­ra­ção. Pou­cos me­ses de­pois, em abril des­se ano, viu a si­tu­a­ção agra­var-se após fa­zer uma bo­lha no pé du­ran­te a dis­pu­ta da Meia Ma­ra­to­na de San­ti­a­go, no Chi­le. Na vol­ta pa­ra ca­sa, uma in­fec­ção cau­sa­da por uma bac­té­ria na re­gião ma­chu­ca­da a man­dou pa­ra o hos­pi­tal, on­de fi­cou oi­to di­as in­ter­na­da. O re­sul­ta­do: 40 di­as de re­pou­so, sem qual­quer ati­vi­da­de fí­si­ca, e qua­tro me­ses lon­ge da corrida.

A es­pe­ra foi lon­ga, mas a de­ter­mi­na­ção fa­lou mais al­to. E se o pe­río­do que se ini­ci­a­va era de re­co­me­ço, Pa­o­la re­sol­veu ex­pe­ri­men­tar um no­vo cal­ça­do vi­san­do tor­nar sua vol­ta às pis­tas mais con­for­tá­vel e com mais per­for­man­ce. E ali co­me­çou a história da cu­ri­ti­ba­na de 30 anos com o no­vo UA HOVR So­nic, lan­ça­men­to da Un­der Ar­mour que traz a ino­va­do­ra pla­ta­for­ma de amor­te­ci­men­to UA HOVR. Sem­pre re­ce­o­sa a no­vas ex­pe­ri­ên­ci­as com cal­ça­dos, de­vi­do a pro­ble­mas na plan­ta do pé so­fri­dos ao lon­go da vi­da co­mo cor­re­do­ra, Pa­o­la sur­pre­en­deu-se com o “amor­te­ci­men­to e le­ve­za” do no­vo mo­de­lo, que se “en­cai­xou co­mo uma lu­va” em seus pés, co­mo ela mes­mo des­cre­ve.

Não bas­tas­se tra­zer be­ne­fí­ci­os prá­ti­cos e de cur­to pra­zo em sua ain­da cau­te­lo­sa vol­ta às cor­ri­das, a tro­ca de mo­de­lo vi­ria acom­pa­nha­da de uma no­tí­cia que trans­for­ma­ria pa­ra sem­pre sua vi­da – den­tro e fo­ra das pis­tas. Se 2018 pa­re­cia

um ano que ter­mi­na­ria de for­ma me­lan­có­li­ca, lon­ge da ati­vi­da­de que mais ama, um sur­pre­en­den­te e de­sa­fi­a­dor con­vi­te che­gou: re­pre­sen­tar a Un­der Ar­mour Bra­sil na ma­ra­to­na mais fa­mo­sa do mun­do, em No­va York.

So­nho de to­do cor­re­dor, a res­pos­ta po­de­ria pa­re­cer ób­via em cir­cuns­tan­ci­as nor­mais. No ca­so de Pa­o­la, po­rém, a si­tu­a­ção es­ta­va lon­ge dis­so. Pou­cas se­ma­nas an­tes, a cu­ri­ti­ba­na es­ta­va na ca­ma de um hos­pi­tal, sem sa­ber quan­do po­de­ria vol­tar a cor­rer. Ago­ra, ha­via aca­ba­do de vol­tar às pis­tas, com o trei­no mais lon­go re­a­li­za­do até en­tão sen­do um exaus­ti­vo 4km. O tem­po de pre­pa­ra­ção pa­ra a pro­va? Dois me­ses, o me­nor des­de que co­me­çou a dis­pu­tar ma­ra­to­nas (já ha­via par­ti­ci­pa­do de du­as pro­vas de 42km em sua cidade na­tal).

Mas a cor­re­do­ra sa­bia que a res­pos­ta não po­dia ser di­fe­ren­te. Com a es­pe­ran­ço­sa, mas ao mes­mo tem­po cau­te­lo­sa, apro­va­ção de seu mé­di­co, pro­fes­sor de corrida e fi­si­o­te­ra­peu­ta, to­pou en­ca­rar o de­sa­fio de se pre­pa­rar pa­ra a pro­va mais im­por­tan­te de sua vi­da. Co­mo to­do atle­ta que bus­ca sem­pre seu me­lhor, que tem a de­ter­mi­na­ção e garra cor­ren­do nas vei­as, em­ba­lou-se pe­la con­fi­an­ça e energia que o UA HOVR So­nic vi­nha lhe dan­do nos trei­nos e mon­tou um ou­sa­do pla­no de pre­pa­ra­ção – que in­cluía a re­a­li­za­ção de lon­gos pro­gres­si­vos par­tin­do de 16km e ter­mi­nan­do com um 35km a pou­cos di­as da pro­va.

Já nos Es­ta­dos Uni­dos, Pa­o­la jun­tou-se a um gru­po de ou­tros três in­flu­en­ci­a­do­res de di­fe­ren­tes par­tes do mun­do pa­ra re­pre­sen­tar a Un­der Ar­mour não só na ma­ra­to­na co­mo tam­bém em um even­to glo­bal da mar­ca em Por­tland pa­ra apre­sen­tar mais de­ta­lhes da tecnologia HOVR, pla­ta­for­ma de amor­te­ci­men­to que re­vo­lu­ci­o­nou o mer­ca­do da corrida em 2018. A com­bi­na­ção en­tre uma es­pu­ma su­per­ma­cia – cri­a­da em par­ce­ria com pro­fis­si­o­nais ino­va­do­res da Dow Che­mi­cal – e a ma­lha de com­pres­são Energy Web – que en­vol­ve e mol­da a es­pu­ma – pro­por­ci­o­na a “sen­sa­ção de flu­tu­ar” com al­to re­tor­no de energia, re­du­zin­do o im­pac­to a ca­da pas­sa­da.

E o re­sul­ta­do de ta­ma­nha tecnologia a seu ser­vi­ço, so­ma­da à sua garra e de­ter­mi­na­ção nas ru­as no­va-ior­qui­nas, foi que Pa­o­la não só con­se­guiu ven­cer o de­sa­fio de com­ple­tar uma ma­ra­to­na com ape­nas dois me­ses de pre­pa­ra­ção e vin­do de uma gra­ve le­são co­mo tam­bém que­brou seu re­cor­de pes­so­al em No­va York, bai­xan­do seu tem­po em mais de 12 mi­nu­tos e fe­chan­do os 42km em in­crí­veis 03h41. Pro­va vi­va, e ma­te­má­ti­ca, de que a de­ter­mi­na­ção nos aju­da a ven­cer os de­sa­fi­os, su­pe­rar os me­dos e al­can­çar o me­lhor de nós mes­mos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.