Ora­ções e san­tos po­de­ro­sos

A for­ça das pa­la­vras po­de mu­dar sua vi­da. É só acre­di­tar!

Salmos & Anjos - - News - Fon­te: cruz­ter­ra­san­ta.com.br

Nossa Senhora da Paz

No ano de 1682, em um vi­la­re­jo de El Sal­va­dor, al­guns mer­ca­do­res en­con­tra­ram uma cai­xa fe­cha­da. Sem con­se­guir abri-la após mui­tas ten­ta­ti­vas, le­va­ram o ob­je­to até à ci­da­de de São Mi­guel pa­ra en­tre­gá-lo a uma au­to­ri­da­de. Ao pas­sa­rem di­an­te de uma igre­ja, os ho­mens con­se­gui­ram abrir a cai­xa. De lá re­ti­ra­ram uma ima­gem de Nossa Senhora. En­quan­to is­so, acon­te­cia uma gran­de bri­ga nos ar­re­do­res. Po­rém, ao sa­be­rem da san­ta, as pes­so­as pa­ra­ram a lu­ta. Por ter con­se­gui­do es­ta­be­le­cer a har­mo­nia do lo­cal, ela foi no­me­a­da Nossa Senhora da Paz. A da­ta de sua ce­le­bra­ção é dia 9 de ju­lho.

“Nossa Senhora Rai­nha da Paz, ore­mos pa­ra que se vol­te aos ir­mãos so­fre­do­res com to­da a sua be­nig­ni­da­de e al­ma aben­ço­a­da por Je­sus Cris­to, pa­ra que su­as vidas se­jam menos aba­la­das pe­las do­res, pe­las des­gra­ças e pe­los so­fri­men­tos. Que te­nham o seu am­pa­ro, sua paz,

com o cor­po ali­vi­a­do de qual­quer mal. Amém”.

São To­mé

Pes­ca­dor e ju­deu da Ga­li­leia, foi dis­cí­pu­lo de Je­sus du­ran­te to­da sua vi­da pú­bli­ca. Após a mor­te de Cris­to, To­mé foi um dos após­to­los que re­ce­be­ram o Es­pí­ri­to San­to no dia de Pen­te­cos­tes. De­pois dis­so, pre­gou o Evan­ge­lho na Ín­dia. É co­me­mo­ra­do em 3 de ju­lho.

“Ó após­to­lo São To­mé, ex­pe­ri­men­tas­te o de­se­jo de que­rer mor­rer com Je­sus, sen­tis­te a di­fi­cul­da­de de não co­nhe­cer o ca­mi­nho, e vi­ves­te na in­cer­te­za e na obs­cu­ri­da­de da dú­vi­da, no dia de Pás­coa. Na alegria do en­con­tro com Je­sus res­sus­ci­ta­do, na co­mo­ção da fé re­en­con­tra­da, num ím­pe­to de ter­no amor, ex­cla­mas­te: “meu Se­nhor e meu Deus!” O Es­pí­ri­to San­to, no dia de Pen­te­cos­tes, trans­for­mou-te num co­ra­jo­so mis­si­o­ná­rio de Cris­to, in­can­sá­vel pe­re­gri­no do mun­do, até aos ex­tre­mos con­fins da Ter­ra. Pro­te­ge a tua Igre­ja, a mim e à mi­nha fa­mí­lia e faz com que to­dos en­con­trem o ca­mi­nho, a paz e a alegria pa­ra anun­ci­ar, com pai­xão e aber­ta­men­te, que Cris­to é o úni­co Sal­va­dor do mun­do, on­tem, ho­je e sem­pre. Amém.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.