Nos­sa Se­nho­ra Apa­re­ci­da

A po­de­ro­sa Pa­dro­ei­ra do Bra­sil

Salmos & Anjos - - News -

Em 1717, o go­ver­na­dor da pro­vín­cia de São Pau­lo e Mi­nas Ge­rais es­ta­va de pas­sa­gem pe­la re­gião da Vi­la de San­to Antô­nio de Gu­a­ra­tin­gue­tá, por is­so, foi ofe­re­ci­do um ban­que­te. Para tan­to, um gru­po de três pes­ca­do­res, João Al­ves, Felipe Pe­dro­so e Do­min­gos Gar­cia, fo­ram bus­car pei­xes no Rio Pa­raí­ba. Co­mo não era tem­po de pes­ca, eles pas­sa­ram mui­to tem­po sem con­se­guir pe­gar na­da. Quan­do já es­ta­vam de­ses­pe­ra­dos em pen­sar que vol­ta­ri­am sem os pei­xes, lan­ça­ram as re­des mais uma vez. Ao pu­xá-las, per­ce­be­ram que ha­via o cor­po da ima­gem de uma san­ta ne­gra. Lan­ça­ram as re­des no­va­men­te e, des­ta vez, veio a ca­be­ça da ima­gem. De­pois dis­so, os pes­ca­do­res con­se­gui­ram tan­tos pei­xes que pre­ci­sa­ram pa­rar a pescaria por­que o bar­co já es­ta­va cheio.

San­ta mi­la­gro­sa

En­tre os mi­la­gres mais fa­mo­sos de Nos­sa Se­nho­ra Apa­re­ci­da, es­tão o da me­ni­na ce­ga que pas­sou a en­xer­gar ao vi­si­tar o San­tuá­rio da san­ta, o do es­cra­vo que teve su­as cor­ren­tes que­bra­das após re­zar para a Pa­dro­ei­ra do Bra­sil e o das ve­las que ilu­mi­na­vam a ima­gem de Nos­sa Se­nho­ra em uma pe­que­na ca­pe­la e apa­ga­ram-se e acen­de­ram-se so­zi­nhas.

De­vo­ção a Nos­sa Se­nho­ra da Con­cei­ção Apa­re­ci­da

Em ju­nho de 1888, foi inau­gu­ra­da a an­ti­ga Ba­sí­li­ca de Nos­sa Se­nho­ra Apa­re­ci­da, que, mais tar­de, em 1893, re­ce­beu o tí­tu­lo de San­tuá­rio. O no­vo San­tuá­rio co­me­çou a ser cons­truí­do em 1955 e só em 1982 co­me­ça­ram a ce­le­brar mis­sas no lo­cal. Ho­je, mui­tos fiéis vão em ro­ma­ria até lá em bus­ca de um mi­la­gre ou para agra­de­cer uma gra­ça al­can­ça­da.

Pa­dro­ei­ra do Bra­sil

Em 1930, o car­de­al ar­ce­bis­po do Rio de Ja­nei­ro, Dom Se­bas­tião Le­me,

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.