Sal­mos pa­ra tu­do

Re­ze com fé e con­si­ga aqui­lo que de­se­ja

Salmos & Anjos - - Content -

Sal­mo 56

Leia es­se sal­mo pa­ra... ...pe­dir pro­te­ção e pro­fe­ti­zar a fé no Cri­a­dor

Tem mi­se­ri­cór­dia de mim, ó Deus, por­que o ho­mem pro­cu­ra de­vo­rar-me; pe­le­jan­do to­do dia, me opri­me. ✥ 2 Os meus ini­mi­gos pro­cu­ram de­vo­rar-me to­do dia; pois são mui­tos os que pe­le­jam con­tra mim, ó Al­tís­si­mo. ✥ 3 Em qual­quer tem­po em que eu te­mer, con­fi­a­rei em ti. ✥ 4 Em Deus lou­va­rei a sua pa­la­vra, em Deus pus a mi­nha con­fi­an­ça; não te­me­rei o que me pos­sa fa­zer a car­ne. ✥ 5 To­dos os di­as tor­cem as mi­nhas pa­la­vras; to­dos os seus pen­sa­men­tos são con­tra mim pa­ra o mal. ✥ 6 Ajun­tam-se, es­con­dem­se, mar­cam os meus pas­sos, co­mo aguar­dan­do a mi­nha al­ma. ✥ 7 Por­ven­tu­ra es­ca­pa­rão eles por meio da sua ini­qui­da­de? O Deus, der­ru­ba os po­vos na tua ira! ✥ 8 Tu con­tas as mi­nhas va­gue­a­ções; põe as mi­nhas lá­gri­mas no teu odre. Não es­tão elas no teu li­vro? ✥ 9 Quan­do eu a ti cla­mar, en­tão vol­ta­rão pa­ra trás os meus ini­mi­gos: is­to sei eu, por­que Deus é por mim. ✥ 10 Em Deus lou­va­rei a sua pa­la­vra; no Se­nhor lou­va­rei a sua pa­la­vra. ✥ 11 Em Deus te­nho pos­to a mi­nha con­fi­an­ça; não te­me­rei o que me pos­sa fa­zer o ho­mem. ✥ 12 Os teus vo­tos es­tão so­bre mim, ó Deus; eu te ren­de­rei ações de gra­ças; ✥ 13 Pois tu li­vras­te a mi­nha al­ma da mor­te; não li­vra­rás os meus pés da que­da, pa­ra an­dar di­an­te de Deus na luz dos vi­ven­tes?

Sal­mo 69

Leia es­se sal­mo pa­ra... ...per­se­ve­rar na bus­ca por um em­pre­go

Li­vra-me, ó Deus, pois as águas en­tra­ram até a mi­nha al­ma. ✥ 2 Ato­lei-me em pro­fun­do la­ma­çal, on­de se não po­de es­tar em pé; en­trei na pro­fun­de­za das águas, on­de a cor­ren­te me le­va. ✥ 3 Es­tou can­sa­do de cla­mar; a mi­nha gar­gan­ta se se­cou; os meus olhos des­fa­le­cem es­pe­ran­do o meu Deus. ✥ 4 Aque­les que me odei­am

sem cau­sa são mais do que os ca­be­los da mi­nha ca­be­ça; aque­les que pro­cu­ram des­truir-me, sen­do in­jus­ta­men­te meus ini­mi­gos, são po­de­ro­sos; en­tão res­ti­tuí o que não fur­tei. ✥ 5 Tu, ó Deus, bem co­nhe­ces a mi­nha es­tul­ti­ce; e os meus pe­ca­dos não te são en­co­ber­tos. ✥ 6 Não se­jam en­ver­go­nha­dos por mi­nha cau­sa aque­les que es­pe­ram em ti, ó Se­nhor, Deus dos exér­ci­tos; não se­jam con­fun­di­dos por mi­nha cau­sa aque­les que te bus­cam, ó Deus de Is­ra­el. ✥ 7 Por­que por amor de ti te­nho su­por­ta­do afron­tas; a con­fu­são co­briu o meu ros­to. ✥ 8 Te­nho­me tor­na­do um es­tra­nho pa­ra com meus ir­mãos, e um des­co­nhe­ci­do pa­ra com os fi­lhos de mi­nha mãe. ✥ 9 Pois o ze­lo da tua ca­sa me de­vo­rou, e as afron­tas dos que te afron­tam caí­ram so­bre mim. ✥ 10 Quan­do cho­rei, e cas­ti­guei com je­jum a mi­nha al­ma, is­to me tor­nou em afron­tas. ✥ 11 Pus por ves­ti­do um sa­co, e me fiz um pro­vér­bio pa­ra eles. ✥ 12 Aque­les que se as­sen­tam à por­ta fa­lam con­tra mim; e fui o cân­ti­co dos be­be­do­res de be­bi­da for­te. ✥ 13 Eu, po­rém, fa­ço a mi­nha ora­ção a ti, Se­nhor, num tem­po acei­tá­vel; ó Deus, ou­ve-me se­gun­do a gran­de­za da tua mi­se­ri­cór­dia, se­gun­do a ver­da­de da tua sal­va­ção. ✥ 14 Ti­ra-me do la­ma­çal, e não me dei­xes ato­lar; se­ja eu li­vre dos que me odei­am, e das pro­fun­de­zas das águas. ✥ 15 Não me le­ve a cor­ren­te das águas, e não me ab­sor­va ao pro­fun­do, nem o po­ço cer­re a sua bo­ca so­bre mim. ✥ 16 Ou­ve-me, Se­nhor, pois boa é a tua mi­se­ri­cór­dia. Olha pa­ra mim se­gun­do a tua mui­tís­si­ma pi­e­da­de. ✥ 17 E não es­con­das o teu ros­to da tua ser­va, por­que es­tou an­gus­ti­a­da; ou­ve-me de­pres­sa. ✥ 18 Apro­xi­ma-te da mi­nha al­ma, e res­ga­ta-a; li­vra-me por cau­sa dos meus ini­mi­gos. ✥ 19 Bem tens co­nhe­ci­do a mi­nha afron­ta, e a mi­nha ver­go­nha, e a mi­nha con­fu­são; di­an­te de ti es­tão to­dos os meus ad­ver­sá­ri­os. ✥ 20 Afron­tas me que­bran­ta­ram o co­ra­ção, e es­tou fraquís­si­ma; es­pe­rei por al­guém que ti­ves­se com­pai­xão, mas não hou­ve ne­nhum; e por con­so­la­do­res, mas não os achei. ✥ 21 De­ram-me fel por man­ti­men­to, e na mi­nha se­de me de­ram a be­ber vi­na­gre. ✥ 22 Tor­ne-se­lhes a sua me­sa di­an­te de­les em la­ço, e a pros­pe­ri­da­de em ar­ma­di­lha. ✥ 23 Es­cu­re­çam-se-lhes os seus olhos, pa­ra que não ve­jam, e fa­ze com que os seus lom­bos tre­mam cons­tan­te­men­te. ✥ 24 Der­ra­ma so­bre eles a tua in­dig­na­ção, e pren­da-os o ar­dor da tua ira. ✥ 25 Fi­que de­so­la­do o seu pa­lá­cio; e não ha­ja quem ha­bi­te nas su­as ten­das. ✥ 26 Pois per­se­guem àque­le a quem fe­ris­te, e con­ver­sam so­bre a dor da­que­les a quem cha­gas­te. ✥ 27 Acres­cen­ta ini­qui­da­de à ini­qui­da­de de­les, e não en­trem na tua jus­ti­ça. ✥ 28 Se­jam ris­ca­dos do li­vro dos vi­vos, e não se­jam ins­cri­tos com os jus­tos. ✥ 29 Eu, po­rém, sou po­bre e es­tou tris­te; po­nha-me a tua sal-

va­ção, ó Deus, num al­to re­ti­ro. ✥ 30 Lou­va­rei o no­me de Deus com um cân­ti­co, e en­gran­de­cê-lo-ei com ação de gra­ças. ✥ 31 Is­to se­rá mais agra­dá­vel ao Se­nhor do que boi, ou be­zer­ro que tem chi­fres e unhas. ✥ 32 Os man­sos ve­rão is­to, e se agra­da­rão; o vos­so co­ra­ção vi­ve­rá, pois que bus­cais a Deus. ✥ 33 Por­que o Se­nhor ou­ve os ne­ces­si­ta­dos, e não des­pre­za os seus ca­ti­vos. ✥ 34 Lou­vem-no os Céus e a Ter­ra, os ma­res e tu­do quan­to ne­les se mo­ve. ✥ 35 Por­que Deus sal­va­rá a Sião, e edi­fi­ca­rá as ci­da­des de Ju­dá; pa­ra que ha­bi­tem ali e a pos­su­am. ✥ 36 E her­da-la-á a se­men­te de seus ser­vos, e os que amam o seu no­me ha­bi­ta­rão ne­la.

Sal­mo 86

Leia es­se sal­mo pa­ra... ...atrair gló­ri­as

In­cli­na, Se­nhor, os teus ou­vi­dos, e ou­ve-me, por­que es­tou ne­ces­si­ta­do e afli­to. ✥ 2 Gu­ar­da a mi­nha al­ma, pois sou san­to: ó Deus meu, sal­va o teu ser­vo, que em ti con­fia. ✥ 3 Tem mi­se­ri­cór­dia de mim, ó Se­nhor, pois a ti cla­mo to­do o dia. ✥ 4 Ale­gra a al­ma do teu ser­vo, pois a ti, Se­nhor, le­van­to a mi­nha al­ma. ✥ 5 Pois tu, Se­nhor, és bom, e pron­to a per­do­ar, e abun­dan­te em be­nig­ni­da­de pa­ra to­dos os que te in­vo­cam. ✥ 6 Dá ou­vi­dos, Se­nhor, à mi­nha ora­ção e aten­de à voz das mi­nhas sú­pli­cas. ✥ 7 No dia da mi­nha an­gús­tia cla­mo a ti, por­quan­to me res­pon­des. ✥ 8 En­tre os deu­ses não há se­me­lhan­te a ti, Se­nhor, nem há obras co­mo as tu­as. ✥ 9 To­das as na­ções que fi­zes­te vi­rão e se pros­tra­rão pe­ran­te a tua fa­ce, Se­nhor, e glo­ri­fi­ca­rão o teu no­me. ✥ 10 Por­que tu és gran­de e fa­zes ma­ra­vi­lhas; só tu és Deus. ✥ 11 En­si­na-me, Se­nhor, o teu ca­mi­nho, e an­da­rei na tua ver­da­de; une o meu co­ra­ção ao te­mor do teu no­me. ✥ 12 Lou­var-te-ei, Se­nhor Deus meu, com to­do o meu co­ra­ção, e glo­ri­fi­ca­rei o teu no­me pa­ra sem­pre. ✥ 13 Pois gran­de é a tua mi­se­ri­cór­dia pa­ra co­mi­go; e li­vras­te a mi­nha al­ma do in­fer­no mais pro­fun­do. ✥ 14 O Deus, os so­ber­bos se le­van­ta­ram con­tra mim, e as as­sem­blei­as dos ti­ra­nos pro­cu­ra­ram a mi­nha al­ma, e não te pu­se­ram pe­ran­te os seus olhos. ✥ 15 Po­rém tu, Se­nhor, és um Deus cheio de com­pai­xão, e pi­e­do­so, so­fre­dor, e gran­de em be­nig­ni­da­de e em ver­da­de. ✥ 16 Vol­ta­te pa­ra mim, e tem mi­se­ri­cór­dia de mim; dá a tua for­ta­le­za ao teu ser­vo, e sal­va ao fi­lho da tua ser­va. ✥ 17 Mos­tra-me um si­nal pa­ra bem, pa­ra que o ve­jam aque­les que me odei­am, e se con­fun­dam; por­que tu, Se­nhor, me aju­das­te e me con­so­las­te.

Sal­mo 93

Leia es­se sal­mo pa­ra... ...pe­dir bên­çãos pa­ra o lar

OSe­nhor rei­na; es­tá ves­ti­do de ma­jes­ta­de. O Se­nhor se re­ves­tiu e cin­giu de po­der; o mun­do tam­bém es­tá fir­ma­do, e não po­de­rá va­ci­lar. ✥ 2 O teu tro­no es­tá fir­me

des­de en­tão; tu és des­de a eter­ni­da­de. ✥ 3 Os ri­os le­van­tam, ó Se­nhor, os ri­os le­van­tam o seu ruí­do, os ri­os le­van­tam as su­as on­das. ✥ 4 Mas o Se­nhor nas al­tu­ras é mais po­de­ro­so do que o ruí­do das gran­des águas e do que as gran­des on­das do mar. ✥ 5 Mui fiéis são os teus tes­te­mu­nhos; a san­ti­da­de con­vém à tua ca­sa, Se­nhor, pa­ra sem­pre.

Sal­mo 101

Leia es­se sal­mo pa­ra... ...am­pa­rar as mães que de­se­jam ter fi­lhos

Can­ta­rei a mi­se­ri­cór­dia e o juí­zo; a ti, Se­nhor, can­ta­rei. ✥ 2 Por­tar-me-ei com in­te­li­gên­cia no ca­mi­nho re­to. Quan­do vi­rás a mim? An­da­rei em mi­nha ca­sa com um co­ra­ção sin­ce­ro. ✥ 3 Não po­rei coi­sa má di­an­te dos meus olhos. Odeio a obra da­que­les que se des­vi­am; não se me pe­ga­rá a mim. ✥ 4 Um co­ra­ção per­ver­so se apar­ta­rá de mim; não co­nhe­ce­rei o ho­mem mau. ✥ 5 Aque­le que mur­mu­ra do seu pró­xi­mo às es­con­di­das, eu o des­trui­rei; aque­le que tem olhar al­ti­vo e co­ra­ção so­ber­bo, não su­por­ta­rei. ✥ 6 Os meus olhos es­ta­rão so­bre os fiéis da ter­ra, pa­ra que se as­sen­tem co­mi­go; o que an­da num ca­mi­nho re­to, es­se me ser­vi­rá. ✥ 7 O que usa de en­ga­no não fi­ca­rá den­tro da mi­nha ca­sa; o que fa­la men­ti­ras não es­ta­rá fir­me pe­ran­te os meus olhos. ✥ 8 Pe­la ma­nhã des­trui­rei to­dos os ím­pi­os da ter­ra, pa­ra de­sar­rai­gar da ci­da­de do Se­nhor to­dos os que pra­ti­cam a ini­qui­da­de.

Sal­mo 102

Leia es­se sal­mo pa­ra... ...as pes­so­as ido­sas que ne­ces­si­tam de pa­ci­ên­cia e dis­po­si­ção

Se­nhor, ou­ve a mi­nha ora­ção, e che­gue a ti o meu cla­mor. ✥ 2 Não es­con­das de mim o teu ros­to no dia da mi­nha an­gús­tia, in­cli­na pa­ra mim os teus ou­vi­dos; no dia em que eu cla­mar, ou­ve­me de­pres­sa. ✥ 3 Por­que os meus di­as se con­so­mem co­mo a fu­ma­ça, e os meus os­sos ar­dem co­mo le­nha. ✥ 4 O meu co­ra­ção es­tá fe­ri­do e se­co co­mo a er­va, por is­so me es­que­ço de co­mer o meu pão. ✥ 5 Por cau­sa da voz do meu ge­mi­do os meus os­sos se ape­gam à mi­nha pe­le. ✥ 6 Sou se­me­lhan­te ao pe­li­ca­no no de­ser­to; sou co­mo um mo­cho nas so­li­dões. ✥ 7 Vi­gio, sou co­mo o par­dal so­li­tá­rio no te­lha­do. ✥ 8 Os meus ini­mi­gos me afron­tam to­do o dia; os que se en­fu­re­cem con­tra mim têm ju­ra­do con­tra mim. ✥ 9 Pois te­nho co­mi­do cin­za co­mo pão, e mis­tu­ra­do com lá­gri­mas a mi­nha be­bi­da, ✥ 10 Por cau­sa da tua ira e da tua in­dig­na­ção, pois tu me le­van­tas­te e me ar­re­mes­sas­te. ✥ 11 Os meus di­as são co­mo a som­bra que de­cli­na, e co­mo a er­va me vou se­can­do. ✥ 12 Mas tu, Se­nhor, per­ma­ne­ce­rás pa­ra sem­pre, a tua me­mó­ria de ge­ra­ção em ge­ra­ção. ✥ 13 Tu te le­van­ta­rás e te­rás pi­e­da­de de Sião; pois o tem­po de te com­pa-

de­ce­res de­la, o tem­po de­ter­mi­na­do, já che­gou. ✥ 14 Por­que os teus ser­vos têm pra­zer nas su­as pe­dras, e se com­pa­de­cem do seu pó. ✥ 15 En­tão os gen­ti­os te­me­rão o no­me do Se­nhor, e to­dos os reis da ter­ra a tua gló­ria. ✥ 16 Quan­do o Se­nhor edi­fi­car a Sião, apa­re­ce­rá na sua gló­ria. ✥ 17 Ele aten­de­rá à ora­ção do de­sam­pa­ra­do, e não des­pre­za­rá a sua ora­ção. ✥ 18 Is­to se es­cre­ve­rá pa­ra a ge­ra­ção fu­tu­ra; e o po­vo que se cri­ar lou­va­rá ao Se­nhor. ✥ 19 Pois olhou des­de o al­to do seu san­tuá­rio, des­de os céus o Se­nhor con­tem­plou a ter­ra, ✥ 20 Pa­ra ou­vir o ge­mi­do dos pre­sos, pa­ra sol­tar os sen­ten­ci­a­dos à mor­te; ✥ 21 Pa­ra anun­ci­a­rem o no­me do Se­nhor em Sião, e o seu lou­vor em Je­ru­sa­lém, ✥ 22 Quan­do os po­vos se ajun­ta­rem, e os rei­nos, pa­ra ser­vi­rem ao Se­nhor. ✥ 23 Aba­teu a mi­nha for­ça no ca­mi­nho; abre­vi­ou os meus di­as. ✥ 24 Di­zia eu: Meu Deus, não me le­ves no meio dos meus di­as, os teus anos são por to­das as ge­ra­ções. ✥ 25 Des­de a an­ti­gui­da­de fun­das­te a ter­ra, e os céus são obras das tu­as mãos. ✥ 26 Eles pe­re­ce­rão, mas tu per­ma­ne­ce­rás; to­dos eles se en­ve­lhe­ce­rão co­mo um ves­ti­do; co­mo rou­pa os mu­da­rás, e fi­ca­rão mu­da­dos. ✥ 27 Po­rém tu és o mes­mo, e os teus anos nun­ca te­rão fim. ✥ 28 Os fi­lhos dos teus ser­vos con­ti­nu­a­rão, e a sua se­men­te fi­ca­rá fir­ma­da pe­ran­te ti.

Sal­mo 117

Leia es­se sal­mo pa­ra... ...re­ce­ber pro­te­ção dos Céus

Lou­vai ao Se­nhor to­das as na­ções, lou­vai-o to­dos os po­vos. ✥ 2 Por­que a sua be­nig­ni­da­de é gran­de pa­ra co­nos­co, e a ver­da­de do Se­nhor du­ra pa­ra sem­pre. Lou­vai ao Se­nhor.

Sal­mo 128

Leia es­se sal­mo pa­ra... ...vi­ver em har­mo­nia

Bem-aven­tu­ra­do aque­le que te­me ao Se­nhor e an­da nos seus ca­mi­nhos. ✥ 2 Pois co­me­rás do tra­ba­lho das tu­as mãos; fe­liz se­rás, e te irá bem. ✥ 3 A tua mu­lher se­rá co­mo a vi­dei­ra fru­tí­fe­ra aos la­dos da tua ca­sa; os teus fi­lhos co­mo plan­tas de oli­vei­ra à ro­da da tua me­sa. ✥ 4 Eis que as­sim se­rá aben­ço­a­do o ho­mem que te­me ao Se­nhor. ✥ 5 O Se­nhor te aben­ço­a­rá des­de Sião, e tu ve­rás o bem de Je­ru­sa­lém em to­dos os di­as da tua vi­da. ✥ 6 E ve­rás os fi­lhos de teus fi­lhos, e a paz so­bre Is­ra­el.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.