TÉC­NI­CAS DE ME­MO­RI­ZA­ÇÃO

Segredos da Mente - - News -

Exis­tem al­guns mé­to­dos que vo­cê po­de apli­car em seu dia a dia pa­ra gra­var me­lhor con­teú­dos im­por­tan­tes co­mo ma­té­ri­as de pro­vas, in­for­ma­ções so­bre apre­sen­ta­ções de tra­ba­lho, com­pro­mis­sos ou qual­quer ou­tro co­nhe­ci­men­to que de­se­je ar­ma­ze­nar e re­cor­dar ra­pi­da­men­te. Con­fi­ra:

1) Pa­lá­cio da me­mó­ria

Uti­li­za­da por ora­do­res da an­ti­gui­da­de que pre­ci­sa­vam de­co­rar seus dis­cur­sos, es­ta é uma das téc­ni­cas mais an­ti­gas exis­ten­tes. “Tra­ta­se da cons­tru­ção ima­gi­ná­ria de um lo­cal co­nhe­ci­do do in­di­ví­duo ou fic­tí­cio (o que for me­lhor pa­ra a pes­soa), e a as­so­ci­a­ção dos itens que fa­zem par­te do tra­je­to des­se ‘pa­lá­cio’ a con­cei­tos que pre­ci­sa me­mo­ri­zar”, ex­pli­ca o psi­có­lo­go Au­gus­to Ji­me­nez.

As­sim, ao pro­je­tar seu pa­lá­cio, ten­te co­lo­car o má­xi­mo de de­ta­lhes que vo­cê pre­ci­sa, uma vez que ca­da ob­je­to ou ação de ca­da cô­mo­do de­ve ser li­ga­da ao con­teú­do que vo­cê pre­ci­se re­cor­dar (se­ja ele uma lis­ta, no­mes ou ou­tros da­dos). Além dis­so, re­la­ci­o­nar o as­sun­to a pes­so­as co­nhe­ci­das e ob­je­tos que te­nham im­por­tân­cia na sua vi­da po­de po­ten­ci­a­li­zar a lem­bran­ça.

2) Mé­to­do mnemô­ni­co

Es­sa téc­ni­ca con­sis­te em as­so­ci­ar as ini­ci­ais das pa­la­vras que vo­cê pre­ci­sa me­mo­ri­zar com ou­tros ter­mos de fá­cil as­si­mi­la­ção. Por exem­plo, a pa­la­vra FACA po­de ser as­so­ci­a­da com um com­pro­mis­so co­mo: Fes­ta de Ani­ver­sá­rio na Ca­sa da Ana.

É um bom mé­to­do pa­ra ser uti­li­za­do na es­co­la, na ho­ra de gra­var fór­mu­las de fí­si­ca, os ele­men­tos da ta­be­la pe­rió­di­ca ou con­teú­dos de bi­o­lo­gia, en­tre ou­tras in­for­ma­ções que vo­cê pre­ci­se se lem­brar. Um exem­plo é a fra­se: “Mi­nha Vó Tem Ma­nia de Jan­tar So­bre­me­sa Uma Noi­te”, na qu­al ca­da pa­la­vra se re­fe­re a um pla­ne­ta do Sis­te­ma So­lar – Mer­cú­rio, Vê­nus, Ter­ra, Mar­te, Jú­pi­ter, Sa­tur­no, Ura­no e Ne­tu­no. (Exer­ci­te es­ta e ou­tras téc­ni­cas na pá­gi­na 26).

3) Se­ja cri­a­ti­vo!

Re­cor­dar-se de si­tu­a­ções en­gra­ça­das ou es­tra­nhas são mais fá­ceis do que lem­brar fa­tos cor­ri­quei­ros e co­muns. Por is­so, uma das téc­ni­cas é cri­ar uma his­tó­ria ou con­tex­to en­vol­ven­do pes­so­as co­nhe­ci­das, ob­je­tos ou

ações en­vol­vi­dos com o con­teú­do a ser lem­bra­do. Vo­cê po­de co­lo­car o vi­lão ci­ne­ma­to­grá­fi­co Darth

Va­der co­mo um mé­di­co da con­sul­ta que não po­de ser per­di­da ou co­lo­car a Re­vo­lu­ção Fran­ce­sa em um ta­bu­lei­ro de xa­drez de ho­lo­gra­ma jo­ga­do por uma ze­bra e uma gi­ra­fa ves­tin­do ter­nos e gra­va­tas. Além dis­so, vo­cê po­de as­so­ci­ar pes­so­as im­por­tan­tes da Ida­de Mé­dia em meio à sé­rie

Ga­me of Th­ro­nes. Nes­se mé­to­do, quan­to mais ima­gi­na­ção me­lhor.

4) Es­tu­de an­tes de dor­mir

O so­no é um dos mai­o­res au­xi­li­a­res na ho­ra de lem­brar in­for­ma­ções. É nes­se mo­men­to que as me­mó­ri­as se con­so­li­dam, ou se­ja, o que vo­cê apren­deu du­ran­te o dia, se tor­na co­nhe­ci­men­to a noi­te. Por is­so, es­tu­dar um tem­po an­tes de ir dor­mir pro­por­ci­o­na mai­or ar­ma­ze­na­men­to das idei­as, se­ja pa­ra pro­va, dis­cur­sos ou apre­sen­ta­ções de pro­je­tos. No en­tan­to, es­tu­dar com so­no po­de pre­ju­di­car a pro­du­ti­vi­da­de. Além dis­so, es­tu­dar lo­go que acor­da tam­bém po­de tra­zer be­ne­fí­ci­os, uma vez que o cé­re­bro es­tá re­no­va­do e ener­gi­za­do. Nes­te mo­men­to do dia, vo­cê te­rá mais con­cen­tra­ção no que pre­ci­sa ser lem­bra­do e, con­se­quen­te­men­te, mais pro­du­ti­vi­da­de lo­go de ma­nhã.

5) Em al­to e bom som

Fa­lar em voz al­ta aqui­lo que pre­ci­sa ser me­mo­ri­za­do aju­da a gra­var me­lhor na men­te as in­for­ma­ções. É o que in­di­cou um es­tu­do re­a­li­za­do pe­la Uni­ver­si­da­de de Wa­ter­loo, no Ca­na­dá. Is­so acon­te­ce por­que ou­vir de al­guém e fa­lar os da­dos a se­rem re­cor­da­dos são dois fa­to­res que po­ten­ci­a­li­zam o apren­di­za­do. Des­se mo­do, ler em voz al­ta o com­pro­mis­so ou con­teú­do a ser lem­bra­do une as du­as ma­nei­ras de for­ma efi­ci­en­te.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.