Acen­tu­a­ção grá­fi­ca

Superguia Enem - Português e Redação - - Sumário -

Na lín­gua por­tu­gue­sa, te­mos os se­guin­tes acen­tos: agu­do ( ´ ), gra­ve ( ` ) – uti­li­za­do pa­ra in­di­car cra­se – e cir­cun­fle­xo (^). Além dos acen­tos grá­fi­cos, tam­bém fa­ze­mos uso do til (~) pa­ra in­di­car na­sa­li­za­ção.

De acor­do com o No­vo Acor­do Or­to­grá­fi­co, de 1990, o tre­ma ( ¨ ) foi to­tal­men­te abo­li­do. Por­tan­to, pa­la­vras co­mo lin­gui­ça e tran­qui­lo não são mais ser es­cri­tas com tre­ma.

Pa­ra re­lem­brar­mos as re­gras de acen­tu­a­ção, va­mos re­cor­dar a clas­si­fi­ca­ção das sí­la­bas tô­ni­cas: Oxí­to­na: a úl­ti­ma sí­la­ba é a tô­ni­ca (cha­mi­né) Pa­ro­xí­to­na: a pe­núl­ti­ma sí­la­ba é a tô­ni­ca ( me­sa) Pro­pa­ro­xí­to­na: a an­te­pe­núl­ti­ma sí­la­ba é a tô­ni­ca ( lâm­pa­da).

Ago­ra que já re­lem­bra­mos a clas­si­fi­ca­ção quan­to à sí­la­ba tô­ni­ca, va­mos pas­sar pa­ra as prin­ci­pais re­gras:

Acen­tu­a­ção das oxí­to­nas Acen­tu­am-se as oxí­to­nas ter­mi­na­das em: a(s): ma­ra­cu­já, Pa­ra­ná. e(s): ca­fé, den­dê. o(s): fi­ló, ro­co­có. em, ens: Be­lém, pa­ra­béns. Tam­bém acen­tu­a­mos os mo­nos­sí­la­bos tô­ni­cos ter­mi­na­dos em a(s), e(s), o(s): chá, pó, pé.

E as for­mas ver­bais ter­mi­na­das em a, e, o tô­ni­co, se­gui­das de la(s), lo(s): apa­zi­guá-las, amá-los, ven­cê-lo.

Acen­tu­a­ção das pa­ro­xí­to­nas Acen­tu­am-se as pa­ro­xí­to­nas ter­mi­na­das em: ã(s), ão(s): ór­fã, ór­fão. i(s), us: tá­xi, bô­nus. um, uns: ál­bum, mé­diuns r: açú­car. x: clí­max. n: pó­len. l: fá­cil. ps: bí­ceps. di­ton­gos orais (jun­ção de du­as vo­gais orais): má­goa, fa­mí­lia, dici­oná­rio.

Di­ca: não acen­tu­a­mos os pre­fi­xos pa­ro­xí­to­nos ter­mi­na­dos em “i” ou “r”: se­mi­deus, in­ter­lo­cu­tor.

Acen­tu­a­ção das pro­pa­ro­xí­to­nas To­das as pa­la­vras pro­pa­ro­xí­to­nas são acen­tu­a­das. Exem­plos: ár­vo­re, már­mo­re, pe­da­gó­gi­co, ou­vís­se­mos, pês­se­go.

Re­gras es­pe­ci­ais

a) As oxí­to­nas e mo­nos­sí­la­bas re­ce­bem acen­to agu­do nos di­ton­gos de pro­nún­cia aber­ta éu, éi, ói: tro­féu, anéis, he­rói.

b) Não re­ce­bem mais acen­to agu­do as pa­ro­xí­to­nas com di­ton­gos aber­tos éi e ói, desde o acor­do or­to­grá­fi­co de 1990: as­sem­bleia, he­roi­co.

c) Nas pa­ro­xí­to­nas acen­tu­am-se as vo­gais i e u tô­ni­cas dos hi­a­tos, quan­do fi­cam so­zi­nhas na sí­la­ba ou são se­gui­das da le­tra s: saí­da, Luí­za, saú­de, ba­laús­tre.

d) Acen­tu­am-se os ver­bos ter e vir, e to­dos os seus de­ri­va­dos (de­ter, man­ter, in­ter­vir, so­bre­vir, etc.) na ter­cei­ra pes­soa do plu­ral no pre­sen­te do in­di­ca­ti­vo: eles vêm, eles têm, eles de­têm, eles man­têm, eles in­ter­vêm, eles so­bre­vêm.

Di­cas: se­gun­do o acor­do or­to­grá­fi­co de 1990, fi­ca abo­li­do o acen­to cir­cun­fle­xo na ter­cei­ra pes­soa do plu­ral dos ver­bos crer, dar, ler, ver, e seus de­ri­va­dos. O acor­do tam­bém abo­liu o acen­to di­fe­ren­ci­al que exis­tia em al­gu­mas pa­la­vras. As du­as úni­cas que per­ma­ne­cem com o acen­to di­fe­ren­ci­al são: pô­de (pre­té­ri­to per­fei­to) e po­de (pre­sen­te do in­di­ca­ti­vo), pôr (ver­bo) e por (pre­po­si­ção). Ain­da se­gun­do o Acor­do Or­to­grá­fi­co de 1990, tor­nou-se fa­cul­ta­ti­vo o uso do acen­to di­fe­ren­ci­al em: fôr­ma (subs­tan­ti­vo) e for­ma (subs­tan­ti­vo ou ver­bo), dê­mos (pri­mei­ra pes­soa do plu­ral do pre­sen­te do sub­jun­ti­vo) e de­mos (pri­mei­ra pes­soa do plu­ral no pre­té­ri­to per­fei­to do in­di­ca­ti­vo).

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.