8.1. Di­cas pa­ra a con­clu­são

Superguia Enem - Português e Redação - - Sumário -

a) Res­pei­tar os di­rei­tos hu­ma­nos: as­sim co­mo no tex­to to­do, mas prin­ci­pal­men­te na con­clu­são, os di­rei­tos hu­ma­nos de­vem ser res­pei­ta­dos. As pro­pos­tas de in­ter­ven­ção na so­ci­e­da­de de­vem se­guir es­ses pre­cei­tos pa­ra se­rem vá­li­das. Quais­quer su­ges­tões de in­ter­ven­ção que co­li­dam com os di­rei­tos bá­si­cos da pes­soa hu­ma­na, por mais que apa­ren­tem ser vá­li­das e efi­ca­zes pa­ra aque­la te­má­ti­ca, de­vem ser des­con­si­de­ra­das.

b) Ser pon­tu­al e cons­ci­en­te: di­an­te de qual­quer pro­ble­má­ti­ca, é mui­to fá­cil di­zer que o go­ver­no pre­ci­sa agir com mai­o­res in­ves­ti­men­tos e que a po­pu­la­ção pre­ci­sa se unir. É uma ideia ób­via que, por mais ver­da­dei­ra que se­ja, não de­mons­tra ha­bi­li­da­de al­gu­ma por par­te do alu­no. As pro­pos­tas po­dem es­tar re­la­ci­o­na­das a in­ves­ti­men­tos do go­ver­no e, até mes­mo, à união da po­pu­la­ção. No en­tan­to, de­vem ser pon­tu­ais: in­ves­ti­men­tos em quê? Co­mo? Qu­an­do? União pa­ra quê? De que for­ma? O alu-

no pre­ci­sa ser re­a­lis­ta, for­ne­cen­do de­ta­lhes ar­ti­cu­la­dos à dis­cus­são, em vez de sim­ples­men­te pas­sar a “ba­ta­ta quen­te” pa­ra o go­ver­no ou pa­ra a po­pu­la­ção de mo­do ge­ral.

c) Ser ori­gi­nal: por fim, o mai­or de­sa­fio é a ori­gi­na­li­da­de. Bus­car su­ges­tões que se­jam ori­gi­nais e per­ti­nen­tes aju­dam mui­to na ho­ra de con­cluir a re­da­ção do Enem. Es­sa ha­bi­li­da­de só po­de ser de­sen­vol­vi­da com lei­tu­ra, pois ela ad­vém de vas­to co­nhe­ci­men­to de mun­do. As­sim co­mo na con­fec­ção do res­tan­te do tex­to, o alu­no que as­si­mi­la con­teú­do es­ta­rá mui­to mais pro­pí­cio a fa­zer uma boa con­clu­são di­an­te da­que­le que não pos­sui es­sa ba­ga­gem.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.