MUN­DO SUSHI...

Sushi Art - - NESTA EDIÇÃO -

A CUL­TU­RA ALI­MEN­TAR JA­PO­NE­SA, KIICHI LAN­ÇA ES­PA­ÇO EXCLUSIVO OMAKASÊ, E MAIS.

Sé­cu­lo e meio des­de a re­a­ber­tu­ra do Ja­pão ao oci­den­te, o país de­sen­vol­veu uma cul­tu­ra ali­men­tar in­cri­vel­men­te ri­ca e va­ri­a­da, que in­clui não só a cu­li­ná­ria na­ti­va ja­po­ne­sa, mas tam­bém mui­tos pra­tos es­tran­gei­ros, al­guns dos qu­ais fo­ram adap­ta­dos ao pa­la­dar ja­po­nês e ou­tros que fo­ram im­por­ta­dos pra­ti­ca­men­te inal­te­ra­dos.

Nos sé­cu­los se­guin­tes à in­tro­du­ção do bu­dis­mo no Ja­pão du­ran­te o sé­cu­lo VI, as leis e de­cre­tos im­pe­ri­ais eli­mi­na­ram gra­du­al­men­te o uso de di­ver­sos ti­pos de car­ne ani­mal e aves na ali­men­ta­ção. O es­ti­lo cu­li­ná­rio vegetarian­o co­nhe­ci­do co­mo sho­jin ryo­ri foi pos­te­ri­or­men­te po­pu­la­ri­za­do pe­lo seg­men­to zen e, por vol­ta do sé­cu­lo XV, mui­tas das co­mi­das e in­gre­di­en­tes da ali­men­ta­ção ja­po­ne­sa atu­al já ha­vi­am si­do in­tro­du­zi­dos, co­mo, por exem­plo, o mo­lho de so­ja (shoyu), o mi­so, o to­fu e ou­tros pro­du­tos fei­tos de so­ja. Por vol­ta do mes­mo pe­río­do, um es­ti­lo for­mal e ela­bo­ra­do de ban­que­tes se de­sen­vol­veu a par­tir da cu­li­ná­ria da cor­te aris­to­crá­ti­ca. Co­nhe­ci­do co­mo hon­zen ryo­ri, ele é um dos três es­ti­los bá­si­cos de cu­li­ná­ria ja­po­ne­sa jun­ta­men­te com o cha­kai­se­ki ryo­ri (cu­li­ná­ria das re­fei­ções de ce­rimô­ni­as de chá) e o kai­se­ki ryo­ri. Com uma ên­fa­se na apre­sen­ta­ção ar­tís­ti­ca de in­gre­di­en­tes sa­zo­nais fres­cos, a re­fei­ção do chá ca­sa­va as for­ma­li­da­des do hon­zen ryo­ri com o es­pí­ri­to e a sim­pli­ci­da­de do zen. O Kai­se­ki ryo­ri se de­sen­vol­veu pa­ra a for­ma atu­al no iní­cio do sé­cu­lo XIX e con­ti­nua sen­do ser­vi­do nos me­lho­res res­tau­ran­tes ja­po­ne­ses, co­nhe­ci­dos co­mo ryo­tei, e nas hos­pe­da­ri­as tra­di­ci­o­nais ja­po­ne­sas. Man­ten­do os in­gre­di­en­tes fres­cos sa­zo­nais e a apre­sen­ta­ção ar­tís­ti­ca dos es­ti­los an­te­ri­o­res, as re­fei­ções kai­se­ki têm me­nos re­gras de eti­que­ta e uma at­mos­fe­ra mais re­la­xa­da. O saquê é to­ma­do du­ran­te a re­fei­ção e, uma vez que os ja­po­ne­ses nor­mal­men­te não co­mem ar­roz en­quan­to be­bem saquê, o ar­roz é ser­vi­do ao fi­nal da re­fei­ção. Ape­ri­ti­vos, sashi­mi (pei­xe cru fa­ti­a­do), sui­mo­no (so­pa cla­ra), ya­ki­mo­no (ali­men­tos gre­lha­dos), mushi­mo­no (co­mi­das co­zi­das no va­por), ni­mo­no (ali­men­tos co­zi­dos em fo­go bran­do), e ae­mo­no (ali­men­tos si­mi­la­res à sa­la­da tem­pe­ra­da) são ser­vi­dos pri­mei­ro, se­gui­dos da so­pa mi­so, tsu­ke­mo­no (pi­cles), ar­roz, do­ces ja­po­ne­ses e fru­tas. O chá fi­na­li­za a re­fei­ção.

Con­tem­po­ra­nei­da­de

O sushi que mui­tas pes­so­as co­nhe­cem atu­al­men­te ‒ ar­roz tem­pe­ra­do com vinagre com­bi­na­do ou re­che­a­do com itens co­mo pei­xe cru e ma­ris­cos ‒ se de­sen­vol­veu em Edo (atu­al Tó­quio) no iní­cio do sé­cu­lo XIX. O sushi da­que­la épo­ca era ven­di­do em ten­das co­mo pe­tis­cos, e es­sas ten­das fo­ram os pre­cur­so­res dos res­tau­ran­tes de sushi atu­ais.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.