Sau­dá­vel sem dra­ma

Co­mer bem não é ne­nhum sa­cri­fí­cio

Todateen - - +TODATEEN -

Vo­cê ado­ra­ria vi­ver de bri­ga­dei­ro e lan­ches bem gor­du­ro­sos com batata fri­ta e re­fri? O pro­ble­ma é que se vo­cê op­tar por es­se ti­po de ali­men­ta­ção po­de fi­car com a saú­de com­pro­me­ti­da e até de­sen­vol­ver do­en­ças co­mo di­a­be­tes e co­les­te­rol, sem con­tar que a pe­le e o ca­be­lo fi­cam pre­ju­di­ca­dos. A gen­te aju­da vo­cê a ser mais sau­dá­vel com es­sas di­cas!

Ca­lo­ri­as são um pro­ble­ma?

Não ne­ces­sa­ri­a­men­te. Olha a ex­pli­ca­ção da nu­tri­ci­o­nis­ta Ca­ro­li­na La­ra: “A gen­te não de­ve se pre­o­cu­par com as ca­lo­ri­as e, sim com a qua­li­da­de do ali­men­to. Por exem­plo, uma ma­çã tem 90kcal, as­sim co­mo um bri­ga­dei­ro. Mas o bri­ga­dei­ro tem mui­to mais gor­du­ra em sua com­po­si­ção do que a ma­çã, que é ri­ca em nu­tri­en­tes que o doce não pos­sui”. Mo­ral da his­tó­ria: fa­ça su­as es­co­lhas pen­san­do nas vi­ta­mi­nas e ou­tros nu­tri­en­tes do ali­men­to, ok?

De­fi­ni­ção de re­fei­ção sau­dá­vel

Aque­la his­tó­ria de pra­to co­lo­ri­do es­tá cer­tís­si­ma. “Um pra­to sau­dá­vel tem nu­tri­en­tes co­mo pro­teí­nas, car­boi­dra­tos, gor­du­ras, vi­ta­mi­nas e mi­ne­rais, além das fi­bras – subs­tân­ci­as que nos aju­dam a cres­cer, de­sen­vol­ver e a nos fortalecer, pre­ve­nin­do do­en­ças”, con­ta a nu­tri. Na hora das re­fei­ções, vo­cê de­ve le­var em con­ta:

Pre­fe­rir sem­pre ali­men­tos fres­cos, na­tu­rais, in­te­grais e va­ri­a­dos.

Con­su­mir fru­tas, le­gu­mes e ver­du­ras to­do dia Di­mi­nuir as fri­tu­ras e os ali­men­tos com al­to te­or de açú­car Co­mer de­va­gar e mas­ti­gar bem Pre­fe­rir su­cos na­tu­rais aos re­fri­ge­ran­tes. Não be­lis­car ou subs­ti­tuir as re­fei­ções por bis­coi­tos, sal­ga­di­nhos, cho­co­la­tes, etc.

“Não acor­do com fo­me”

Ah, vo­cê vai pra es­co­la ze­ra­da? Que er­ro, mi­ga! “As­sim, vo­cê não te­rá ener­gia pa­ra aguen­tar o es­for­ço do co­lé­gio. Além dis­so, sem ca­fé da ma­nhã, vo­cê po­de sen­tir mui­ta fo­me no meio da ma­nhã e a ne­ces­si­da­de de uma gran­de quan­ti­da­de ener­gé­ti­ca, en­con­tra­das em pro­du­tos de al­to con­teú­do de açú­car e gor­du­ras”, con­ta Ca­ro­li­ne. A me­lhor coi­sa que vo­cê faz é acos­tu­mar seu cor­po a to­mar ca­fé. Io­gur­te, fru­ta, pão in­te­gral... Hmmm!

• Tex­to: Ma­ri­a­na Scher­ma• En­tre­vis­ta: Na­taly Pas­cho­al/ co­la­bo­ra­do­ra• Con­sul­to­ria: Ca­ro­li­na La­ra, nu­tri­ci­o­nis­ta clí­ni­ca fun­ci­o­nal

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.