GPA anun­cia com­pro­mis­so pa­ra ve­tar com­pras de car­ne de áre­as de des­ma­te

Ob­je­ti­vo de no­va ori­en­ta­ção da va­re­jis­ta é im­pe­dir des­ma­ta­men­to na Amazô­nia

Valor Econômico - - AGRONEGÓCI­OS - Bet­ti­na Bar­ros

O Gru­po Pão de Açú­car (GPA) reu­ni­rá ho­je em sua se­de, em São Pau­lo, seus for­ne­ce­do­res de car­ne bo­vi­na pa­ra anun­ci­ar um com­pro­mis­so ofi­ci­al pe­lo des­ma­ta­men­to ze­ro na Amazô­nia. A mai­or re­de va­re­jis­ta do país pre­ten­de dar uma res­pos­ta à so­ci­e­da­de ci­vil so­bre co­mo pre­ten­de evi­tar a aqui­si­ção da car­ne de ani­mais oriun­dos de áre­as de des­ma­te atra­vés de uma política na­ci­o­nal de com­pras pa­ra o seg­men­to. É tam­bém uma ação vol­ta­da pa­ra o gru­po am­bi­en­ta­lis­ta Gre­en­pe­a­ce, que jo­gou o pe­so da ca­deia pre­da­tó­ria da car­ne so­bre gran­des fri­go­rí­fi­cos e, pos­te­ri­or­men­te, so­bre gran­des re­des de su­per­mer­ca­dos. Em seu úl­ti­mo re­la­tó­rio, in­ti­tu­la­do “Car­ne com gos­to de des­ma­ta­men­to: em um su­per­mer­ca­do per­to de vo­cê”, o Gre­en­pe­a­ce acu­sou o GPA e ou­tros de não ter po­lí­ti­cas co­mer­ci­ais res­pon­sá­veis e ain­da ig­no­rar ris­cos ine­ren­tes da pe­cuá­ria em cri­mes am­bi­en­tais e do tra­ba­lho. O que se pre­ten­de com a no­va ori­en­ta­ção é cri­ar pro­ces­sos que iden­ti­fi­quem ir­re­gu­la­ri­da­des am­bi­en­tais nas pro­pri­e­da­des ru­rais, mas, so­bre­tu­do, ca­pa­zes de tra­zer o se­tor pa­ra a re­gu­la­ri­za­ção. “Es­se não de­ve ser um pro­ces­so de ex­clu­são do for­ne­ce­dor, mas de in­clu­são. Se­não ou­tro com­pra a car­ne que eu re­jei­tei, e a mu­dan­ça na ca­deia não acon­te­ce”, afir­ma Pau­lo Pom­pí­lio, di­re­tor de Re­la­ções Cor­po­ra­ti­vas do GPA. De acor­do com o exe­cu­ti­vo, as no­vas re­gras de com­pra atin­gi­rão to­dos os 30 for­ne­ce­do­res atu­ais de car­ne bo­vi­na do gru­po, res­pon­sá­veis pe­la en­tre­ga de seis mil to­ne­la­das de car­ne por mês às ban­dei­ras Pão de Açú­car, Ex­tra, Mi­ni­mer­ca­do Ex­tra e Mi­nu­to Pão. Três de­les — JBS, Mi­ner­va e Mar­frig — en­tre­gam cer­ca de 70% do vo­lu­me to­tal de car­ne bo­vi­na ad­qui­ri­da pe­lo gru­po e já de­sen­vol­ve­ram sis­te­mas pró­pri­os de ave­ri­gua­ção da pro­ce­dên­cia dos ani­mais, que vêm fun­ci­o­nan­do com mai­or ou me­nor grau de efi­ci­ên­cia. O pro­ble­ma, aler­ta o Gre­en­pe­a­ce, es­tá nos 30% res­tan­tes. Por es­se mo­ti­vo, o lan­ça­men­to de uma política na­ci­o­nal de com­pras era uma rei­vin­di­ca­ção an­ti­ga da ONG. “Sa­bía­mos que al­can­çar os for­ne­ce­do­res me­no­res se­ria mais efi­ci­en­te via o va­re­jo, que é qu­em tem o po­der da com­pra”, afir­ma Adri­a­na Cha­rouz, da cam­pa­nha Amazô­nia do Gre­en­pe­a­ce. “Pa­ra nós, o anún­cio pú­bli­co do com­pro­mis­so aju­da­rá a de­sen­ca­de­ar as mudanças ne­ces­sá­ri­as no se­tor”. Con­for­me Lau­ra Pires, ge­ren­te de sus­ten­ta­bi­li­da­de do GPA, uma em­pre­sa de con­sul­to­ria de­sen­vol­veu o soft­ware que se­rá ofe­re­ci­do aos for­ne­ce­do­res. A em­pre­sa dis­po­ni­bi­li­za­rá a fer­ra­men­ta até ju­nho e os for­ne­ce­do­res do gru­po te­rão até o fim des­te mês pa­ra pre­en­cher as in­for­ma­ções que da­rão su­por­te a um di­ag­nós­ti­co in lo­co pe­la con­sul­to­ria. “Mas os for­ne­ce­do­res que se ne­ga­rem a co­la­bo­rar com a im­ple­men­ta­ção des­sa política se­rão ex­cluí­dos do nos­so port­fó­lio”. Lau­ra afir­ma que o te­ma des­ma­ta­men­to não es­ta­va to­tal­men- te no ra­dar do gru­po, mas vem ga­nhan­do im­por­tân­cia na me­di­da em que o se­tor, co­mo um to­do, ama­du­re­ce pa­ra o as­sun­to. Qu­es­ti­o­na­da, ela diz não sa­ber “qual a fo­to­gra­fia” que re­ce­be­rá dos di­ag­nós­ti­cos dos for­ne­ce­do­res. A ex­pec­ta­ti­va do GPA é de que os for­ne­ce­do­res re­ce­bam bem a me­di­da, e eles se­rão in­for­ma­dos so­bre os pró­xi­mos pas­sos tão lo­go eles se­jam de­fi­ni­dos. Ain­da fal­tam de­fi­ni­ções cru­ci­ais pa­ra o su­ces­so des­sa política — por ora, o GPA não sa­be di­zer co­mo se­rá o mo­ni­to­ra­men­to dos for­ne­ce­do- res após o di­ag­nós­ti­co ini­ci­al, nem a pe­ri­o­di­ci­da­de das ave­ri­gua­ções nas pro­pri­e­da­des ru­rais. De acor­do com o Gre­en­pe­a­ce, ou­tros con­cor­ren­tes do GPA, gran­des e re­gi­o­nais, ain­da pre­ci­sam avan­çar na agenda do des­ma­ta­men­to da Amazô­nia.

SIL­VIA COSTANTI/VA­LOR

For­ne­ce­dor que se ne­gar a co­la­bo­rar com a im­ple­men­ta­ção da política se­rá ex­cluí­do do port­fó­lio, diz Lau­ra Pires, do GPA

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.