Pla­no do BNDES des­car­ta pri­va­ti­zar es­ta­tal de sa­ne­a­men­to do RJ

Valor Econômico - - ESPECIAL - Ro­dri­go Car­ro

A pre­si­den­te do Ban­co Na­ci­o­nal de De­sen­vol­vi­men­to Econô­mi­co e So­ci­al (BNDES), Ma­ria Sil­via Bas­tos Mar­ques, in­for­mou on­tem que no má­xi­mo den­tro de uma se­ma­na o ban­co di­vul­ga­rá no­vas con­di­ções pa­ra fi­nan­ci­a­men­tos ao se­tor de sa­ne­a­men­to, com pra­zos mais lon­gos, ju­ros mais bai­xos e per­cen­tu­ais de par­ti­ci­pa­ção mais al­tos. “Va­mos ter con­di­ções de fi­nan­ci­a­men­to, em ter­mos de ta­xa e de pra­zo, pa­ra o se­tor de sa­ne­a­men­to am­bi­en­tal, que é sa­ne­a­men­to bá­si­co mais re­sí­du­os só­li­dos”, ex­pli­cou.

A exe­cu­ti­va par­ti­ci­pou de reu­nião no Pa­lá­cio Gu­a­na­ba­ra pa­ra apre­sen­tar ao go­ver­no do Rio de Ja­nei­ro um mo­de­lo de con­ces­são pa­ra ser­vi­ços de sa­ne­a­men­to que man­te­ria a Com­pa­nhia Es­ta­du­al de Águas e Es­go­tos (Ce­dae) sem ser pri­va­ti­za­da mas re­par­ti­ria en­tre qua­tro con­ces­si­o­ná­ri­as a res­pon­sa­bi­li­da­de pe­la dis­tri­bui­ção de água, a cap­ta­ção e o tra­ta­men­to de es­go­to ao con­su­mi­dor fi­nal. Ma­ria Sil­via dis­se ain­da que o ban­co de fo­men­to ini­cia já no pró­xi­mo mês uma sé­rie de en­con­tros com go­ver­na­do­res pa­ra tra­tar de ini­ci­a­ti­vas si­mi­la­res à dis­cu­ti­da no Rio. “A par­tir de se­tem­bro, a equi­pe téc­ni­ca do ban­co vai fa­zer um ro­ad show, pro­cu­rar in­di­vi­du­al­men­te ca­da go­ver­na­dor. São 27 ro­ad shows. Nós já es­ta­mos con­ver­san­do com vá­ri­os mas va­mos fa­zer de uma for­ma es­tru­tu­ra­da”, con­tou ela após reu­nião no Pa­lá­cio Gu­a­na­ba­ra com o go­ver­na­dor em exer­cí­cio do Rio, Fran­cis­co Dor­nel­les; o go­ver­na­dor afas­ta­do Luiz Fer­nan­do Pe­zão; e o se­cre­tá­rio exe­cu­ti­vo do Pro­gra­ma de Par­ce­ri­as de In­ves­ti­men­tos (PPI) da Pre­si­dên­cia, Mo­rei­ra Fran­co; além de se­cre­tá­ri­os de Es­ta­do.

No ca­so es­pe­cí­fi­co da Ce­dae, há re­sis­tên­cia den­tro de se­to­res do go­ver­no es­ta­du­al à pri­va­ti­za­ção da com­pa­nhia. Se­gun­do Ma­ria Sil­via, a pro­pos­ta do BNDES se­rá ava­li­a­da tec­ni­ca­men­te pe­lo go­ver­no flu­mi­nen­se e, de­pen­den­do da ve­lo­ci­da­de da res­pos­ta, a Ce­dae po­de­rá ser a pri­mei­ra em­pre­sa de sa­ne­a­men­to es­ta­du­al a ser in­cluí­da no Pro­gra­ma de PPI, cu­ja pri­mei­ra reu­nião acon­te­ce na quin­ta-fei­ra da pró­xi­ma se­ma­na. No mo­de­lo ela­bo­ra­do pe­lo ban­co de fo­men­to, a Ce­dae per­ma­ne­ce­ria co­mo for- ne­ce­do­ra de água tra­ta­da no “ata­ca­do” às con­ces­si­o­ná­ri­as. A ideia é — atra­vés de um sub­sí­dio cru­za­do — uni­ver­sa­li­zar os ser­vi­ços de água e es­go­to no Es­ta­do. A ta­ri­fa pa­ra o con­su­mi­dor fi­nal se man­te­ria a mes­ma, ar­gu­men­tou a exe­cu­ti­va: os sub­sí­di­os pa­ra fi­nan­ci­ar pro­je­tos em re­giões de me­nor vi­a­bi­li­da­de econô­mi­ca vi­ri­am do va­lor mais al­to co­bra­do so­bre a água for­ne­ci­da pe­la Ce­dae pa­ra a con­ces­si­o­ná­ria que ex­plo­rar o ser­vi­ço na ci­da­de do Rio de Ja­nei­ro, mer­ca­do de mai­or po­ten­ci­al.

Em re­la­ção à pos­si­bi­li­da­de de se­rem re­a­li­za­dos ain­da es­te ano lei­lões de con­ces­sões, o mi­nis­tro Mo­rei­ra Fran­co dis­se que es­ta é uma hi­pó­te­se viá­vel. “Evi­den­te­men­te nós va­mos mu­dar o pra­zo por­que nin­guém con­se­gue fa­zer ava­li­a­ção em 45 di­as co­mo era an­tes. En­tão, o pra­zo é de no mí­ni­mo cem di­as en­tre a pu­bli­ca­ção do edi­tal e a re­a­li­za­ção do lei­lão”, es­cla­re­ceu ele. En­tre as mu­dan­ças re­gu­la­tó­ri­as que pre­ten­de apre­sen­tar ao pre­si­den­te em exer­cí­cio Mi­chel Te­mer, Mo­rei­ra ci­tou a pu­bli­ca­ção de edi­tais de lei­lões so­men­te após a con­ces­são de li­cen­ça am­bi­en­tal pré­via.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.