Rús­sia mi­ra mi­lhões de usuá­ri­os da web, di­zem EUA

Valor Econômico - - INTERNACIONAL - Ka­tri­na Man­son e Max Sed­don

Os EUA e o Rei­no Uni­do emi­ti­ram on­tem um aler­ta con­jun­to de que a Rús­sia es­tá in­ter­fe­rin­do de­li­be­ra­da­men­te na in­fra­es­tru­tu­ra oci­den­tal ba­se­a­da na in­ter­net, com uma sé­rie de in­tru­sões ci­ber­né­ti­cas que ame­a­çam ro­te­a­do­res do­més­ti­cos e cor­po­ra­ti­vos.

Je­a­net­te Man­fra, se­cre­tá­ria as­sis­ten­te do De­par­ta­men­to de Se­gu­ran­ça Na­ci­o­nal dos EUA, dis­se que Washing­ton tem “um al­to grau de con­fi­an­ça” de que o go­ver­no rus­so es­tá por trás das su­pos­tas in­tru­sões. “Res­pon­sa­bi­li­za­mos o Krem­lin pe­las ati­vi­da­des ci­ber­né­ti­cas mal-in­ten­ci­o­na­das”, dis­se, acres­cen­tan­do não foi pos­sí­vel de­ter­mi­nar o al­can­ce total do ale­ga­do com­pro­me­ti­men­to.

Au­to­ri­da­des ame­ri­ca­nas e bri­tâ­ni­cas vêm aler­tan­do há me­ses que Mos­cou es­tá ten­tan­do com­pro­me­ter re­des de dis­tri­bui­ção de ener­gia e ou­tras in­fra­es­tru­tu­ras, co­mo ban­cos, hos­pi­tais e sis­te­mas de con­tro­le de trá­fe­go aé­reo. Mas es­ta é a pri­mei­ra vez que os ali­a­dos emi­tem uma di­re­triz es­pe­cí­fi­ca pa­ra os ci­vis e o mun­do cor­po­ra­ti­vo, so­bre co­mo se pro­te­ger. Um re­la­tó­rio con­jun­to pu­bli­ca­do on­tem in­clui con­se­lhos so­bre se­nhas e se­gu­ran­ça de dis­po­si­ti­vos.

“Uma vez que vo­cê con­tro­la o ro­te­a­dor, vo­cê é do­no do trá­fe­go”, dis­se Man­fra. A Rús­sia es­tá ten­tan­do as­su­mir o con­tro­le da co­nec­ti­vi­da­de, in­cluin­do ro­te­a­do­res, fi­rewalls e sis­te­mas de de­tec­ção de in­tru­são em re­des, vi­san­do com is­so a es­pi­o­na­gem, rou­bo de pro­pri­e­da­de in­te­lec­tu­al ou pré-po­si­ci­o­na­men­to pa­ra ações ofen­si­vas, acres­cen­tou.

“Mi­lhões de má­qui­nas no mun­do to­do estão sen­do al­vos”, dis­se Ci­a­ran Mar­tin, pre­si­den­te do Na­ti­o­nal Cy­ber Se­cu­rity Cen­tre do Rei­no Uni­do. Ele de­fi­niu o aler­ta co­mo par­te de uma “re­a­ção ali­a­da con­tra agres­são no es­pa­ço ci­ber­né­ti­co pa­tro­ci­na­da pe­lo Es­ta­do”.

O aler­ta con­jun­to sur­ge no mo­men­to em que au­men­tam as ten­sões en­tre os EUA e a Rús­sia, após os ata­ques mi­li­ta­res li­de­ra­dos pe­los ame­ri­ca­nos con­tra a Sí­ria na sex­ta-fei­ra. A Ca­sa Bran­ca tam­bém dis­se on­tem que es­tá con­si­de­ran­do a pos­si­bi­li­da­de de im­por mais san­ções con­tra a Rús­sia pe­lo apoio do país ao uso de su­pos­tas ar­mas quí­mi­cas pe­lo re­gi­me do pre­si­den­te sí­rio Bashar al-As­sad.

Mas Rob Joy­ce, co­or­de­na­dor de se­gu­ran­ça ci­ber­né­ti­ca da Ca­sa Bran­ca, dis­se que o aler­ta não es­tá re­la­ci­o­na­do aos ata­ques na Sí­ria.

No en­tan­to, os bom­bar­dei­os fo­ram du­ra­men­te cri­ti­ca­dos por Vla­di­mir Pu­tin, o pre­si­den­te da Rús­sia, que dis­se que Mos­cou “con­de­na ve­e­men­te­men­te o ata­que”.

O Pen­tá­go­no dis­se an­te­ri­or­men­te que o nú­me­ro de robôs rus­sos ati­vos nas re­des so­ci­ais cres­ceu 2.000% de­pois dos ata­ques à Sí­ria.

As re­des de in­fluên­cia on­li­ne su­pos­ta­men­te li­ga­das à Rús­sia “vi­sam no ge­ral de­sa­cre­di­tar ou mi­nar os EUA e seus ali­a­dos, e mais es­pe­ci­fi­ca­men­te nos­sos ob­je­ti­vos, mo­ti­va­ções e nos­sas ações na Sí­ria”, dis­se o ma­jor Da­ve East­burn, por­ta-voz do Pen­tá­go­no.

A Rús­sia ne­ga as acu­sa­ções oci­den­tais de que es­tá or­ga­ni­zan­do ata­ques ci­ber­né­ti­cos.

De­pois que os EUA e o Rei­no Uni­do acu­sa­ram a Rús­sia, em fe­ve­rei­ro, de es­tar por trás do ata­que “ran­somwa­re” 2017 NotPetya, que atin­giu prin­ci­pal­men­te usuá­ri­os da Ucrâ­nia, o Krem­lin dis­se que as acu­sa­ções não ti­nham “com­pro­va­ção” e fa­zi­am par­te de uma cam­pa­nha rus­so­fó­bi­ca sem fun­da­men­to.

Pu­tin tam­bém ne­ga que a Rús­sia te­nha usa­do a in­ter­net pa­ra in­ter­fe­rir na elei­ção ame­ri­ca­na de 2016, uma ale­ga­ção que se tor­nou al­vo de uma in­ves­ti­ga­ção es­pe­ci­al nos EUA.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.