Ven­das cres­cem 31%, mas lan­ça­men­tos ca­em no 1 tri

Valor Econômico - - | EMPRESAS INDÚSTRIA - (CQ)

As pré­vi­as ope­ra­ci­o­nais já di­vul­ga­das pe­las in­cor­po­ra­do­ras de ca­pi­tal aber­to apon­tam dois mo­vi­men­tos bem dis­tin­tos no pri­mei­ro tri­mes­tre, na com­pa­ra­ção anu­al: ex­pan­são de ven­das, mas queda dos lan­ça­men­tos. Me­ta­de das 16 in­cor­po­ra­do­ras de ca­pi­tal aber­to — Cy­re­la, Di­re­ci­o­nal En­ge­nha­ria, Even Cons­tru­to­ra e In­cor­po­ra­do­ra, EZTec, Ga­fi­sa, MRV En­ge­nha­ria, RNI Ne­gó­ci­os Imo­bi­liá­ri­os e Ten­da — já di­vul­ga­ram seus nú­me­ros ope­ra­ci­o­nais.

Em con­jun­to, as oi­to com­pa­nhi­as lan­ça­ram o Va­lor Ge­ral de Ven­das (VGV) de R$ 2,185 bi­lhões, o que re­pre­sen­ta queda de 18,2% an­te o in­ter­va­lo de ja­nei­ro a mar­ço de 2017. Por ou­tro la­do, as ven­das lí­qui­das cres­ce­ram 30,7%, pa­ra R$ 3,042 bi­lhões, dei­xan­do cla­ro, se­gun­do ana­lis­tas, que a de­man­da por imó­veis es­tá aque­ci­da nes­te mo­men­to.

Cha­ma­ram a aten­ção do mer­ca­do as que­das de lan­ça­men­tos apre­sen­ta­das por MRV e Ten­da, res­pec­ti­va­men­te, de 33,5% e 11,8%. Nos dois ca­sos, hou­ve pos­ter­ga­ção da apre­sen­ta­ção de par­te dos pro­je­tos de­vi­do ao atra­so na ob­ten­ção de li­cen­ças em al­guns mer­ca­dos. Os lan­ça­men­tos da MRV fo­ram mais afe­ta­dos por­que a em­pre­sa vem au­men­tan­do a fa­tia das re­giões me­tro­po­li­ta­nas no port­fó­lio.

Na ava­li­a­ção de um ana­lis­ta se­to­ri­al, a me­lho­ra da ati­vi­da­de pode ocor­rer em pro­por­ção me­nor do que se es­pe­ra­va, mas não há in­di­ca­ti­vos de mu­dan­ça na ten­dên­cia de re­to­ma­da. “Ha­ve­ria pre­o­cu­pa­ção, de fa­to, se as em­pre­sas es­ti­ves­sem lan­çan­do bas­tan­te e ven­den­do pou­co”, diz ou­tro ana­lis­ta.

A Even tam­bém re­du­ziu lan­ça­men­tos, de R$ 418 mi­lhões pa­ra R$ 51 mi­lhões. Se­gun­do o pre­si­den­te da in­cor­po­ra­do­ra, Dany Musz­kat, a ex­pec­ta­ti­va pa­ra o pri­mei­ro tri­mes­tre já era lan­çar ape­nas um em­pre­en­di­men­to e não foi frus­tra­da nem pe­lo atra­so da li­be­ra­ção de li­cen­ças de­cor­ren­te da gre­ve que ocor­reu na Pre­fei­tu­ra de São Paulo nem pe­la li­mi­nar que sus­pen­deu o di­rei­to de pro­to­co­lo na ci­da­de de São Paulo.

Por es­se di­rei­to, pro­je­tos pro­to­co­la­dos an­tes de a no­va Lei de Zo­ne­a­men­to ter en­tra­do em vi­gor es­ta­ri­am sub­me­ti­dos às re­gras an­te­ri­o­res. O im­pac­to da li­mi­nar nos lan­ça­men­tos de­ve ocor­rer prin­ci­pal­men­te a par­tir do se­gun­do tri­mes­tre. Le­van­ta­men­to do Se­co­viSP re­a­li­za­do com 38 in­cor­po­ra­do­ras que atu­am na ca­pi­tal pau­lis­ta apon­tou que dos 174 pro­je­tos pre­vis­tos pa­ra es­te ano, 88 fo­ram im­pac­ta­dos pe­la li­mi­nar.

Con­for­me Musz­kat, os pro­je­tos da Even com lan­ça­men­to pro­gra­ma­do pa­ra o se­gun­do tri­mes­tre não são afe­ta­dos pe­la li­mi­nar.

A sur­pre­sa po­si­ti­va, na ava­li­a­ção de ana­lis­tas, foi a pré­via da Ga­fi­sa. A in­cor­po­ra­do­ra, que não ha­via apre­sen­ta­do ne­nhum pro­je­to no pri­mei­ro tri­mes­tre do ano pas­sa­do, lan­çou R$ 139 mi­lhões. O prin­ci­pal des­ta­que foi as ven­das te­rem do­bra­do, pa­ra R$ 235,76 mi­lhões. Ana­lis­tas des­ta­ca­ram tam­bém a queda de 51,2% dos dis­tra­tos, pa­ra R$ 57,7 mi­lhões.

No tri­mes­tre, a EZTec lan­çou um em­pre­en­di­men­to, com VGV de R$ 105,5 mi­lhões. A com­pa­nhia sus­pen­deu o pro­je­to que es­ta­va pre­vis­to pa­ra ser o se­gun­do do ano, com VGV de R$ 100 mi­lhões de­vi­do à li­mi­nar. A EZTec man­tém, po­rém, me­ta de lan­çar de R$ 500 mi­lhões a R$ 1 bi­lhão nes­te ano. A em­pre­sa re­gis­trou ven­das lí­qui­das de R$ 121 mi­lhões no tri­mes­tre, o tri­plo do mes­mo pe­río­do de 2017. Foi o melhor de­sem­pe­nho em on­ze tri­mes­tres sem con­si­de­rar a ven­da da tor­re A do EZTowers no ter­cei­ro tri­mes­tre do ano pas­sa­do.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.