No­vo ofi­ci­a­li­za Che­quer e Loh­bau­er em SP

Valor Econômico - - POLÍTICA - Fer­nan­do Ta­qua­ri

O par­ti­do No­vo ofi­ci­a­li­za nes­te sábado as pré-can­di­da­tu­ras do em­pre­sá­rio Ro­gé­rio Che­quer ao go­ver­no de São Pau­lo e do exe­cu­ti­vo Ch­ris­ti­an Loh­bau­er ao Senado. Com uma pla­ta­for­ma de cam­pa­nha li­be­ral, em fa­vor da re­du­ção do Es­ta­do, am­bos es­trei­am em elei­ções e apos­tam no dis­cur­so da “re­no­va­ção” pa­ra ca­ti­var o elei­to­ra­do des­cren­te com a clas­se po­lí­ti­ca e na in­fluên­cia das mí­di­as so­ci­ais pa­ra com­pen­sar o pou­co tem­po de TV no ho­rá­rio elei­to­ral gra­tui­to.

A exem­plo de 2016, os pré-can­di­da­tos do No­vo não vão usar re­cur­sos pú­bli­cos pa­ra fi­nan­ci­ar su­as cam­pa­nhas, o que con­si­de­ram um trun­fo em re­la­ção aos con­cor­ren­tes. “Ao con­trá­rio dos de­mais par­ti­dos, não es­ta­mos pro­me­ten­do aos elei­to­res uma po­lí­ti­ca di­fe­ren­te, no­va e ali­nha­da aos in­te­res­ses da so­ci­e­da­de. Nós já a pra­ti­ca­mos. Não te­mos o ra­bo pre­so com ne­nhum gru­po de in­te­res­se”, diz Che­quer, que dei­xou o mo­vi­men­to Vem Pra Rua quando anun­ci­ou o in­te­res­se em dis­pu­tar a elei­ção es­ta­du­al.

O No­vo tam­pou­co de­ve fir­mar ali­an­ças com ou­tras si­glas. “Só fa­re­mos co­li­ga­ção com quem abrir mão do fun­do par­ti­dá­rio e do fun­do elei­to­ral. Nin­guém pa­re­ce dis­pos­to a es­se ti­po de ges­to”, afir­ma Loh­bau­er, que é ci­en­tis­ta po­lí­ti­co de for­ma­ção . As cam­pa­nhas se­rão cus­te­a­das pe­los pró­pri­os can­di­da­tos, por do­a­ções de pes­so­as fí­si­cas e por meio da con­tri­bui­ção men­sal de R$ 29 de ca­da um dos cer­ca de 20 mil fi­li­a­dos. A pro­xi­mi­da­de dos dois pré-can­di­da­tos com o em­pre­sa­ri­a­do, ba­se do par­ti­do, de­ve aju­dar na ar­re­ca­da­ção de re­cur­sos.

An­tes de ga­nhar po­pu­la­ri­da­de com o “Vem pra Rua”, Che­quer cons­truiu sua car­rei­ra co­mo em­pre­sá­rio no se­tor de co­mu­ni­ca­ções. Já Loh­bau­er te­ve pas­sa­gem pe­la Fi­esp, co­mo ge­ren­te de Re­la­ções In­ter­na­ci­o­nais, foi pre­si­den­te de As­sun­tos Cor­po­ra­ti­vos da far­ma­cêu­ti­ca Bayer, além de ter si­do pre­si­den­te da As­so­ci­a­ção Na­ci­o­nal de Ex­por­ta­do­res de Su­cos Cí­tri­cos. Em li­nha com os prin­cí­pi­os do No­vo, am­bos pre­ten­dem tra­zer pa­ra se­tor pú­bli­co a ex­pe­ri­ên­cia acu­mu­la­da na ini­ci­a­ti­va pri­va­da.

“Com me­nos po­lí­ti­cos em áre­as es­tra­té­gi­cas, po­de­mos re­du­zir a cor­rup­ção e me­lho­rar a qua­li­da­de dos ser­vi­ços bá­si­cos”, diz Che­quer, que tem 50 anos e pro­me­te um pen­te-fi­no, ca­so elei­to, pa­ra ava­li­ar car­gos e em­pre­sas que po­dem ser ex­tin­tos ou pri­va­ti­za­dos. “Fa­re­mos uma aná­li­se mi­nu­ci­o­sa. Não se­rá uma pri­va­ti­za­ção des­vai­ra­da”. Com uma má­qui­na mais efi­ci­en­te, diz que es­pe­ra au­men­tar o sa­lá­rio de pro­fes­so­res e o nú­me­ro de es­co­las com tem­po in­te­gral, além de in­for­ma­ti­zar to­do o aten­di­men­to no sis­te­ma pú­bli­co de saú­de.

Loh­bau­er, por sua vez, afir­ma que, uma vez se­na­dor, te­rá co­mo fo­co re­pre­sen­tar os in­te­res­ses do “mai­or Es­ta­do agrí­co­la e in­dus­tri­al” do país. Aos 51 anos, o ci­en­tis­ta po­lí­ti­co, que se apre­sen­ta­rá co­mo “Pro­fes­sor Ch­ris­ti­an” na cam­pa­nha, diz que os se­na­do­res elei­tos pe­lo Es­ta­do des­de a re­de­mo­cra­ti­za­ção pou­co fi­ze­ram pe­los pau­lis­tas. “Não é à toa que as pes­so­as que­rem re­no­va­ção e re­jei­tam os fi­gu­rões da po­lí­ti­ca”.

Pa­ra Loh­bau­er, o Senado vi­rou um lu­gar de “re­po­si­ção de am­bi­ções po­lí­ti­cas não aten­di­das” nos gran­des par­ti­dos. O re­sul­ta­do dis­so, res­sal­ta, é a fa­lên­cia do sis­te­ma. “Bas­ta no­tar que mui­tos di­re­to­res de es­ta­tais fla­gra­dos em ca­sos de cor­rup­ção fo­ram apro­va­dos pe­los se­na­do­res. O Senado não re­pro­va nin­guém. Qu­e­ro estar lá pa­ra ser o ter­ror da sa­ba­ti­na”, ar­gu­men­ta.

Che­quer e Loh­bau­er de­po­si­tam nas re­des so­ci­ais a es­pe­ran­ça de che­gar aos elei­to­res que nun­ca ou­vi­ram fa­lar do No­vo. Por is­so o ci­en­tis­ta po­lí­ti­co tem pu­bli­ca­do ví­de­os pa­ra co­men­tar a con­jun­tu­ra po­lí­ti­ca e econô­mi­co. Um de­les che­gou a ter se­te mi­lhões de vi­su­a­li­za­ções. “O en­ga­ja­men­to de nos­sos ami­gos, co­la­bo­ra­do­res e se­gui­do­res pa­ra divulgar nos­sa cau­sa se­rá fun­da­men­tal”, diz Che­quer.

Além dis­so, os dois já ini­ci­a­ram um ro­tei­ro de vi­a­gens pe­lo Es­ta­do. Pa­ra cum­prir o pé­ri­plo, Loh­bau­er alu­gou uma van, cus­to­mi­zou com o la­ran­ja do No­vo e o ade­si­vou com seu no­me na por­ta. Por ora, pas­sou por 42 mu­ni­cí­pi­os. An­tes do fim da pré-cam­pa­nha, vi­si­ta­rá mais 38 ci­da­des. “Quando a cam­pa­nha co­me­çar fa­rei tu­do igual de no­vo”. As vi­si­tas são or­ga­ni­za­das por sim­pa­ti­zan­tes da si­gla e en­vol­vem uma agen­da de pa­les­tras, se­gui­da de vi­si­tas às pra­ças e co­mér­cio lo­cal.

JOÃO BRI­TO/VA­LOR — 12/5/2011

Loh­bau­er: ex-exe­cu­ti­vo da Bayer qu­er ser “o ter­ror da sa­ba­ti­na” no Senado

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.