Ven­da do Wal­mart Bra­sil po­de atin­gir R$ 8 bi­lhões

Ne­go­ci­a­ção com a Ad­vent avan­ça e en­vol­ve 80% da sub­si­diá­ria

Valor Econômico - - | EMPRESAS SERVIÇOS&TECNOLOGIA - Adri­a­na Mat­tos e Ma­ria Luí­za Fil­guei­ras

O co­man­do glo­bal do Wal­mart ad­mi­tiu on­tem, pe­la pri­mei­ra vez, que “es­tá con­si­de­ran­do op­ções” pa­ra o ne­gó­cio no Bra­sil, em te­le­con­fe­rên­cia com ana­lis­tas. O Va­lor apu­rou que as con­ver­sas en­vol­vem a ven­da de 80% da ope­ra­ção bra­si­lei­ra pa­ra a em­pre­sa de pri­va­te equity Ad­vent In­ter­na­ti­o­nal por mon­tan­te en­tre R$ 7,5 bi­lhões e R$ 8 bi­lhões, con­si­de­ran­do as con­di­ções ne­go­ci­a­das no iní­cio des­te mês. Os ame­ri­ca­nos fi­ca­ri­am com os 20% res­tan­tes. Uma pro­pos­ta pa­ra que Luiz Faz­zio, ex­pre­si­den­te do Car­re­four, as­su­ma o co­man­do da re­de já foi apre­sen­ta­da ao exe­cu­ti­vo e as con­ver­sas avan­ça­ram nes­te mês.

A Ad­vent não co­men­ta o as­sun­to. O Wal­mart não se ma­ni­fes­tou so­bre in­for­ma­ções a res­pei­to da ven­da. Faz­zio não re­tor­nou aos pe­di­dos de en­tre­vis­ta. On­tem, Brett Biggs, vi­ce-pre­si­den­te exe­cu­ti­vo e di­re­tor fi­nan­cei­ro do gru­po, dis­se que a em­pre­sa tem si­do “cau­te­lo­sa” a res­pei­to de co­mo e pa­ra aon­de vai cres­cer. “Es­ta­mos con­ti­nu­a­men­te re­vi­san­do nos­so port­fó­lio e con­sis­ten­te com is­so, es­ta­mos con­si­de­ran­do op­ções pa­ra nos­sos ne­gó­ci­os no Bra­sil”, afir­mou pa­ra ana­lis­tas es­tran­gei­ros.

A Ad­vent tem di­rei­to de ex­clu­si­vi­da­de nas ne­go­ci­a­ções. Ca­so o acor­do se­ja con­cre­ti­za­do, a in­ten­ção é anun­ciá-lo ao mer­ca­do nas pró­xi­mas se­ma­nas. A ne­go­ci­a­ção es­tá con­si­de­ran­do o va­lor da car­tei­ra de imó­veis, um dos prin­ci­pais ati­vos da re­de, es­pe­ci­al­men­te pe­lo vo­lu­me de imó­veis pró­pri­os no Nor­des­te. Quando ad­qui­riu a ope­ra­ção da ca­deia Bom­pre­ço, em 2010, a em­pre­sa tam­bém com­prou no ano se­guin­te as lo­jas da re­de, na épo­ca per­ten­cen­tes ao em­pre­sá­rio João Car­los Pa­es Men­don­ça, e lo­ca­li­za­das em re­giões es­tra­té­gi­cas. Atu­al­men­te, o Wal­mart tem 450 lo­jas no país.

Há tam­bém uma pers­pec­ti­va, no cur­to pra­zo, de re­cu­pe­ra­ção de Ebitda, o lu­cro an­tes de ju­ros, im­pos­tos, amor­ti­za­ção e de­pre­ci­a­ção. Es­se va­lor es­te­ve, nos úl­ti­mos tri­mes­tres, pró­xi­mo de ze­ro, se­gun­do fon­te, e uma re­cu­pe­ra­ção de re­sul­ta­dos po­de­ria ga­ran­tir al­gum re­tor­no do Wal­mart com o ne­gó­cio, ain­da que co­mo só­cio minoritário. A em­pre­sa fa­tu­rou R$ 28,2 bi­lhões em 2017, que­da de 4,2% so­bre 2016.

A fa­se de au­di­to­ria de in­for­ma­ções por par­te da Ad­vent foi con­cluí­da no mês pas­sa­do, após qu­a­tro me­ses de aná­li­se mais pro­fun­da da si­tu­a­ção fi­nan­cei­ra e ope­ra­ci­o­nal. O pas­si­vo fis­cal e tra­ba­lhis­ta fo­ram pon­tos sen­sí­veis da aná­li­se. Es­se pas­si­vo é cal­cu­la­do na fai­xa de R$ 2 bi­lhões, va­lor que se­ria des­con­ta­do do to­tal da com­pra e fi­ca­ria de­po­si­ta­do em uma con­ta-ga­ran­tia, que faz fren­te a even­tu­ais pa­ga­men­tos des­sas pen­dên­ci­as por de­ter­mi­na­do pe­río­do. Após qui­ta­das as obri­ga­ções, o que so­bra fi­ca com o ven­de­dor, no ca­so, o Wal­mart.

Após a ma­triz ter co­men­ta­do na ma­nhã de on­tem so­bre o fu­tu­ro da ope­ra­ção no Bra­sil, o co­man­do da sub­si­diá­ria reu­niu mem­bros do pri­mei­ro es­ca­lão da equi­pe e bus­cou tran­qui­li­zar os fun­ci­o­ná­ri­os, se­gun­do fon­te ou­vi­da. Foi re­pe­ti­do o mes­mo po­si­ci­o­na­men­to ofi­ci­al da ma­triz men­ci­o­na­do aos ana­lis­tas.

O Va­lor apu­rou que mem­bros da di­re­to­ria já têm des­ti­no pro­vá­vel, ca­so a ven­da se­ja con­cluí­da. Par­te da equi­pe po­de ser trans­fe­ri­da pa­ra ope­ra­ções na Ásia, co­mo Chi­na, e pa­ra ou­tros paí­ses da Amé­ri­ca La­ti­na.

On­tem, o co­man­do da va­re­jis­ta nos EUA men­ci­o­nou que a ope­ra­ção bra­si­lei­ra afe­tou os nú­me­ros do bra­ço in­ter­na­ci­o­nal do gru­po. O lu­cro ope­ra­ci­o­nal des­ses ne­gó­ci­os cres­ceu 11% no pri­mei­ro tri­mes­tre, mas o país te­ve efei­to ne­ga­ti­vo no ba­lan­ço in­ter­na­ci­o­nal por con­ta do pro­ces­so de mi­gra­ção no co­mér­cio ele­trô­ni­co. Des­de o fim de 2017, a ven­da di­re­ta de pro­du­tos ao cli­en­te tem si­do re­du­zi­da no si­te, dan­do lu­gar à ope­ra­ção de “mar­ket­pla­ce” (shop­ping vir­tu­al). Es­sa mu­dan­ça de mo­de­lo de ne­gó­cio cos­tu­ma afe­tar a re­cei­ta lí­qui­da e as mar­gens das com­pa­nhi­as du­ran­te a tran­si­ção.

SILVIA COSTANTI / VA­LOR

Com 450 lo­jas, va­re­jis­ta fa­tu­rou R$ 28,2 bi no mer­ca­do bra­si­lei­ro em 2017

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.