Pa­ra TSE, vo­lu­me de fa­ke news fi­cou abai­xo do pre­vis­to

Valor Econômico - - POLÍTICA - Isa­do­ra Pe­ron e Luí­sa Mar­tins

Sob as crí­ti­cas de que o Tri­bu­nal Su­pe­ri­or Elei­to­ral (TSE) fa­lhou no com­ba­te às fa­ke news, o Con­se­lho Con­sul­ti­vo so­bre In­ter­net e Elei­ções reu­niu-se on­tem pe­la pri­mei­ra vez des­de o iní­cio da cam­pa­nha e ten­tou mi­ni­mi­zar a per­cep­ção de que as me­di­das to­ma­das pa­ra im­pe­dir a dis­se­mi­na­ção de no­tí­ci­as fal­sas não fo­ram efe­ti­vas.

Se­gun­do o se­cre­tá­rio-ge­ral do TSE, Es­tê­vão Wa­ter­loo, a ava­li­a­ção do con­se­lho foi a de que a vei­cu­la­ção de fa­ke news foi me­nor do que o es­pe­ra­do du­ran­te o pri­mei­ro tur­no da cam­pa­nha. “Nós es­pe­rá­va­mos um ce­ná­rio in­fi­ni­ta­men­te pi­or. Não é um ce­ná­rio sim­ples, não é um ce­ná­rio fá­cil, é um ce­ná­rio pre­o­cu­pan­te no mun­do in­tei­ro”, dis­se.

O con­se­lhei­ro Luiz Fer­nan­do Mar­tins Cas­tro, do Co­mi­tê Ges­tor da In­ter­net no Bra­sil, tam­bém afir­mou que a per­cep­ção ge­ral do gru­po foi que o “es­tra­go foi me­nor” do que o ima­gi­na­do.

Ape­sar da ten­ta­ti­va de pas­sar um ar de nor­ma­li­da­de ao fenô­me­no que tem si­do uma das mar­cas des­ta elei­ção, ou­tro in­te­gran­te do con­se­lho di­ver­giu des­sa ava­li­a­ção e ad­mi­tiu pre­o­cu­pa­ção com a quan­ti­da­de de fa­ke news. “Eu ve­jo com mui­ta pre­o­cu­pa­ção a ação de­li­be­ra­da e pro­va­vel­men­te co­or­de­na­da de al­gu­mas cam­pa­nhas em pro­du­zir con­teú­dos de­li­be­ra­da­men­te fal­sos com o ob­je­ti­vo de de­ses­ta­bi­li­zar o pro­ces­so elei­to­ral e de­sa­cre­di­tar a Jus­ti­ça Elei­to­ral”, afir­mou Thi­a­go Tavares, pre­si­den­te da as­so­ci­a­ção Sa­ferNet Bra­sil.

Pa­ra ele, o “vo­lu­me de con­teú­dos fal­sos pa­ra pro­vo­car da­no au­men­tou as­sus­ta­do­ra­men­te, so­bre­tu­do nos úl­ti­mos di­as que an­te­ce­de­ram a elei­ção”.

O con­se­lho, cri­a­do em de­zem­bro de 2017, es­ta­va há qua­tro me­ses sem se reu­nir. A úl­ti­ma vez foi an­tes mes­mo de a mi­nis­tra Ro­sa We­ber as­su­mir a pre­si­dên­cia do TSE.

Du­ran­te o en­con­tro, os con­se­lhei­ros de­ba­te­ram no­vas me­di­das pa­ra im­pe­dir a pro­pa­ga­ção de no­tí­ci­as fal­sas, es­pe­ci­al­men­te aque­las que têm si­do pro­du­zi­das con­tra a Jus­ti­ça Elei­to­ral e a se­gu­ran­ça das ur­nas ele­trô­ni­cas.

Um dos di­ag­nós­ti­cos é a di­fi­cul­da­de de mo­ni­to­rar es­sas in­for­ma­ções quan­do são trans­mi­ti­das pe­lo WhatsApp. Uma reu­nião pa­ra dis­cu­tir o as­sun­to com re­pre­sen­tan­tes da pla­ta­for­ma foi mar­ca­da pa­ra a pró­xi­ma se­ma­na. O con­se­lho tam­bém mar­cou no­vo en­con­tro pa­ra 22 de ou­tu­bro.

Se­gun­do o se­cre­tá­rio-ge­ral do TSE, a equi­pe téc­ni­ca da Cor­te tam­bém tra­ba­lha na ela­bo­ra­ção de um apli­ca­ti­vo pa­ra que ci­da­dãos pos­sam de­nun­ci­ar di­re­ta­men­te à Jus­ti­ça Elei­to­ral a exis­tên­cia de fa­ke news, mas não dis­se se a fer­ra­men­ta vai fi­car pron­ta an­tes do se­gun­do tur­no, mar­ca­do pa­ra o dia 28.

On­tem, o mi­nis­tro Ale­xan­dre de Mo­ra­es, do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF), tam­bém mi­ni­mi­zou o im­pac­to da dis­se­mi­na­ção de no­tí­ci­as fal­sas. “Não acho que as fa­ke news te­nham qu­al­quer in­fluên­cia na elei­ção. Ne­nhu­ma”, afir­mou Mo­ra­es.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.