Pas­to­ra co­man­da­rá Di­rei­tos Hu­ma­nos

Da­ma­res Al­ves de­fen­de pac­to pe­la in­fân­cia e cri­ti­ca abor­to

Valor Econômico - - POLÍTICA - Mar­ce­lo Ri­bei­ro e Car­la Araú­jo

O pre­si­den­te elei­to Jair Bol­so­na­ro in­di­cou a pas­to­ra Da­ma­res Al­ves, da Igre­ja Qu­a­dran­gu­lar, pa­ra o Mi­nis­té­rio da Mu­lher, Fa­mí­lia e Di­rei­tos Hu­ma­nos. A pas­ta fi­ca­rá com a Fun­da­ção Na­ci­o­nal do In­dio ( Fu­nai), que sai­rá do or­ga­no­gra­ma do Mi­nis­té­rio da Justiça. O Mi­nis­té­rio do Meio Am­bi­en­te é a úni­co sem ti­tu­lar na fu­tu­ra com­po­si­ção da Es­pla­na­da dos Mi­nis­té­ri­os. Da­ma­res afir­mou ter fa­mi­li­a­ri­da­de com as ques­tões in­dí­ge­nas.

“Mi­nha his­tó­ria de lu­ta com os po­vos in­dí­ge­nas me qua­li­fi­ca pa­ra es­tar cui­dan­do tam­bém da Fu­nai. Fu­nai não é pro­ble­ma, ín­dio não é pro­ble­ma nes­te go­ver­no. Pre­si­den­te só es­ta­va es­pe­ran­do o me­lhor lu­gar pa­ra co­lo­car a Fu­nai”, de­fen­deu. Da­ma­res Al­ves, uma as­ses­so­ra do se­na­dor Mag­no Mal­ta (PR-ES) , mui­to li­ga­do a Bol­so­na­ro e que não se re­e­le­geu, é ad­vo­ga­da e na­tu­ral do Pa­ra­ná.

In­da­ga­da so­bre as crí­ti­cas de Bol­so­na­ro a demarcações de ter­ras in­dí­ge­nas, a fu­tu­ra mi­nis­tra afir­mou que o te­ma é de­li­ca­do e po­lê­mi­co e ga­ran­tiu quer o as­sun­to se­rá dis­cu­ti­do pe­lo pró­xi­mo go­ver­no.

Da­ma­res dis­se ain­da que o pre­si­den­te elei­to te­ve em­ba­sa­men­to ao afir­mar que não de­mar­ca­ria "um mi­lí­me­tro a mais" de ter­ras in­dí­ge­nas du­ran­te a cam­pa­nha pre­si­den­ci­al . "Ele ti­nha em­ba­sa­men­to pa­ra is­so. Eu, par­ti­cu­lar­men­te, ques­ti­o­no al­gu­mas áre­as in­dí­ge­nas, mas is­so é um as­sun­to que va­mos fa­lar mui­to e va­mos dis­cu­tir".

Além de apon­tar um pac­to pe­la in­fân­cia co­mo uma de su­as pri­o­ri­da­des, a pas­to­ra afir­mou que pre­ten­de dar des­ta­que a po­lí­ti­cas pú­bli­cas vol­ta­das às mu­lhe­res e de­fen­deu a igual­da­de sa­la­ri­al. “Ne­nhum ho­mem vai ga­nhar mais do que mu­lher nes­sa na­ção de­sen­vol­ven­do a mes­ma fun­ção. Is­so já é lei e o Mi­nis­té­rio Pú­bli­co es­tá aí pa­ra es­tar fis­ca­li­zan­do. Se de­pen­der de mim, vou pa­ra a por­ta das em­pre­sas que o fun­ci­o­ná­rio ho­mem de­sen­vol­ven­do o mes­mo tra­ba­lho que a mu­lher ga­nhe mais. Aca­bou is­so no Brasil”.

Con­trá­ria ao abor­to, a fu­tu­ra mi­nis­tra dis­se que a prá­ti­ca só po­de ser acei­ta nos ca­sos ne­ces­sá­ri­os e pre­vis­tos em lei: em ca­sos de es­tu­pro, ris­co de vi­da à mu­lher e fe­to anen­ce­fá­li­co. “Es­ta pas­ta não vai lidar com te­ma abor­to. Vai lidar com proteção de vidas e não com mor­tes. Eu acre­di­to que a le­gis­la­ção não deve ser al­te­ra­da. Dá pa­ra a gen­te trabalhar ape­nas es­sas si­tu­a­ções e a gen­te lu­tar pa­ra sal­var as du­as vidas: a da mu­lher e do be­bê”.

“O abor­to não de­sen­gra­vi­da ne­nhu­ma mu­lher. A mu­lher ca­mi­nha o res­to da vi­da com o abor­to. Se a gra­vi­dez é um pro­ble­ma que du­ra só no­ve me­ses, eu di­go que o abor­to é um pro­ble­ma que ca­mi­nha a vi­da in­tei­ra com a mu­lher. Que­re­mos um Brasil sem abor­to”, con­cluiu a fu­tu­ra mi­nis­tra.

RA­FA­EL CAR­VA­LHO/GO­VER­NO DE TRAN­SI­ÇÃO

Da­ma­res Al­ves: pas­to­ra que ad­vo­ga­da as­su­mi­rá mi­nis­té­rio da Mu­lher, Fa­mí­lia e Di­rei­tos Hu­ma­nos dis­se que gra­vi­dez é um pro­ble­ma “que só du­ra no­ve me­ses”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.