Va­le com­pra Fer­rous e apos­ta nas si­ner­gi­as

Mi­ne­ra­do­ra vai pa­gar US$ 550 milhões por 100% de em­pre­sa con­tro­la­da pe­lo in­ves­ti­dor Carl Icahn

Valor Econômico - - | EMPRESAS INDÚSTRIA - Fran­cis­co Góes e Ra­fa­el Ro­sas

A com­pra da Fer­rous Re­sour­ces pe­la Va­le, co­mu­ni­ca­da on­tem ao mer­ca­do, re­pre­sen­ta um pri­mei­ro pas­so da mi­ne­ra­do­ra bra­si­lei­ra na es­tra­té­gia de fa­zer aqui­si­ções de pro­du­to­ras de mi­né­rio de fer­ro de mé­dio por­te, si­nér­gi­cas com su­as ope­ra­ções atu­ais. A Va­le vai pa­gar US$ 550 milhões por 100% da Fer­rous, que tem ope­ra­ções em Con­go­nhas (MG) e é con­tro­la­da pe­la Icahn En­ter­pri­ses, do in­ves­ti­dor e ati­vis­ta em em­pre­sas aber­tas, Carl Icahn. O pre­si­den­te da Va­le, Fa­bio Sch­varts­man, dis­se on­tem, em even­to com in­ves­ti­do­res, em Lon­dres, que a Fer­rous é exa­ta­men­te o que a em­pre­sa procura qu­an­do fa­la de “aqui­si­ção si­nér­gi­ca”.

A ex­pec­ta­ti­va da Va­le é que a ope­ra­ção seja con­cluí­da em 2019 uma vez que o ne­gó­cio ain­da pre­ci­sa­rá ser apro­va­do pe­lo Con­se­lho Ad­mi­nis­tra­ti­vo de De­fe­sa Econô­mi­ca (CADE). Par­te do va­lor a ser pa­go pe­la Va­le se­rá usa­do pe­la Fer­rous pa­ra qui­tar dí­vi­das com cre­do­res e com o con­tro­la­dor. A Icahn En­ter­pri­ses tem 77% do ca­pi­tal da Fer­rous e os ou­tros 23% per­ten­cem a cer­ca de 30 in­ves­ti­do­res. O mer­ca­do re­ce­beu bem a tran­sa­ção.

Em re­la­tó­rio, a cor­re­to­ra Itaú BBA dis­se que a Va­le es­tá pa­gan­do um va­lor in­trín­se­co (“en­ter­pri­se va­lue”) de US$ 140 por to­ne­la­da, aci­ma dos va­lo­res pa­gos no mer­ca­do por ou­tros em­pre­en­di­men­tos de mi­né­rio de fer­ro em ope­ra­ção. A cor­re­to­ra con­si­de­rou, po­rém, que o mon­tan­te pa­go pe­la Va­le po­de ser ex­pli­ca­do pe­lo po­ten­ci­al fu­tu­ro da Fer­rous de acres­cen­tar ca­pa­ci­da­de de pro­du­ção. Sch­varts­man dis­se que a Fer­rous vai adi­ci­o­nar 4 milhões de to­ne­la­das anu­ais de “pel­let fe­ed” de al­ta qua­li­da­de à pro­du­ção da Va­le. O “pel­let fe­ed” é ma­té­ria-pri­ma pa­ra a pro­du­ção de pe­lo­tas de mi­né­rio de fer­ro.

Em fa­to re­le­van­te, a Va­le in­for­mou que a aqui­si­ção da Fer­rous deve ge­rar ga­nho de US$ 180 milhões no lucro an­tes de juros, im­pos­tos, de­pre­ci­a­ção e amor­ti­za­ção (Ebit­da) da área de fer­ro­sos da com­pa­nhia em 2023, na com­pa­ra­ção com 2018. Aos in­ves­ti­do­res em Lon­dres, Sch­varts­man afir­mou que há si­ner­gi­as lo­gís­ti­cas a se­rem ex­plo­ra­das com a Fer­rous, que irá se in­cor­po­rar à in­fra­es­tru­tu­ra já exis­ten­te da Va­le.

As ope­ra­ções da Fer­rous, na mi­na de Vi­ga, es­tão pró­xi­mas da mi­na de Fá­bri­ca, da Va­le, am­bas no mu­ni­cí­pio de Con­go­nhas (MG). O di­re­tor-exe­cu­ti­vo de fer­ro­sos e car­vão da Va­le, Peter Pop­pin­ga, afir­mou que a proximidade da Fer­rous de Fá­bri­ca vai pro­por­ci­o­nar re­du­ção de cus­tos na ca­deia de pro­du­ção pe­la si­ner­gia na in­fra­es­tru­tu­ra lo­gís­ti­ca. A Va­le po­de­rá es­co­ar a pro­du­ção de Vi­ga pe­la MRS Lo­gís­ti­ca, fer­ro­via que se liga ao porto de Ita­guaí (RJ) e ao ter­mi­nal da Va­le, em Gu­aí­ba, vi­zi­nho a Ita­guaí. Mas tam­bém po­de­rá trans­por­tar a pro­du­ção de Vi­ga via Estrada de Fer­ro Vi­tó­ria a Mi­nas (EFVM), que ex­por­ta via Porto de Tu­ba­rão, em Vi­tó­ria (ES).

Pop­pin­ga dis­se que ho­je a Fer­rous pro­duz cer­ca de 3 milhões de fi­nos de mi­né­rio (“sin­ter fe­ed”) e de “pel­let fe­ed” (mi­né­rio com mai­or gra­nu­lo­me­tria). Es­ses pro­du­tos não têm qua­li­da­de mui­to al­ta, mas, se­gun­do Pop­pin­ga, com investimento re­la­ti­va­men­te pe­que­no, de cer­ca de US$ 20 milhões, se­rá pos­sí­vel trans­for­mar es­sa pro­du­ção em um vo­lu­me de 4 milhões de to­ne­la­das anu­ais de “pel­let fe­ed” de al­ta qua­li­da­de. Exis­te tam­bém na ope­ra­ção um com­po­nen­te de re­du­ção de cus­tos. Um ele­men­to des­sa re­du­ção é que a Va­le vai con­se­guir es­co­ar o mi­né­rio de Vi­ga a um cus­to menor do que a pró­pria Fer­rous tem ho­je. Tra­ta-se, as­sim, de uma aqui­si­ção de va­lor re­la­ti­va­men­te bai­xo pa­ra os pa­drões da Va­le, mas com um re­tor­no es­pe­ra­do al­to.

A re­por­ta­gem pro­cu­rou a Fer­rous, mas não con­se­guiu fa­lar com ne­nhum por­ta-voz da em­pre­sa. Em co­mu­ni­ca­do, a Icahn En­ter­pri­ses co­me­mo­rou a ope­ra­ção. Na no­ta, Carl Icahn dis­se que se man­te­ve na Fer­rous e in­ves­tiu re­cur­sos adi­ci­o­nais na em­pre­sa, na for­ma de ca­pi­tal e dí­vi­da, em mo­men­to em que ou­tros “fu­gi­am” do setor. Dis­se ain­da que, ao in­ves­tir na Fer­rous, foi pos­sí­vel “es­ta­bi­li­zar” a em­pre­sa e me­lho­rar sua si­tu­a­ção, as­sen­tan­do as ba­ses pa­ra a tran­sa­ção com a Va­le. Da­dos da cor­re­to­ra Itaú BBA in­di­cam que a Fer­rous te­ve re­cei­ta de R$ 295 milhões em 2017, com Ebit­da de R$ 55 milhões. As ven­das de mi­né­rio de fer­ro to­ta­li­za­ram 3 milhões de to­ne­la­das em 2017 e 3,6 milhões, em 2016. O atu­al po­ten­ci­al de Ebit­da da em­pre­sa, po­rém, é mai­or.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.