Itaú BBA pro­je­ta 15 ofer­tas de ações no país até ju­nho

Vo­lu­me fi­nan­cei­ro de ope­ra­ções po­de che­gar a R$ 30 bi­lhões no pri­mei­ro se­mes­tre de 2019

Valor Econômico - - FINANÇAS - Ma­ria Luí­za Fil­guei­ras

Nas três úl­ti­mas se­ma­nas, o che­fe glo­bal de banco de investimento do Itaú BBA, Ro­de­rick Gre­en­le­es, no­tou uma mu­dan­ça no rit­mo das em­pre­sas e in­ves­ti­do­res. A mar­ca da gui­na­da fo­ram os pri­mei­ros anún­ci­os da equi­pe econô­mi­ca do go­ver­no elei­to, que le­vou as com­pa­nhi­as a abri­rem as ga­ve­tas pa­ra re­vi­si­tar seus pla­nos de cap­ta­ção e pro­je­tos de ex­pan­são. Com is­so, começam a re­to­mar con­ta­to com in­ves­ti­do­res es­tran­gei­ros, que podem co­me­çar a re­tor­nar ao país.

“Uma amos­tra dis­so é que as ofer­tas de ações fo­ram re­to­ma­das de­pois de qua­se seis me­ses sem ope­ra­ção”, diz Gre­en­le­es. Du­as ofer­tas pú­bli­cas ini­ci­ais (IPOs) e du­as ofer­tas sub­se­quen­tes (“fol­low-ons”) fo­ram anun­ci­a­dos ao mer­ca­do, do banco BMG, da em­pre­sa de tec­no­lo­gia Ti­vit, da ope­ra­do­ra de saúde No­tre Da­me In­ter­mé­di­ca e da lo­ca­do­ra de veí­cu­los Uni­das. Co­mo o banco é um dos co­or­de­na­do­res das ofer­tas, Gre­en­le­es não co­men­ta so­bre qual­quer ope­ra­ção es­pe­cí­fi­ca.

A pro­je­ção do exe­cu­ti­vo é que ha­ja um vo­lu­me re­le­van­te de ofer­tas no pri­mei­ro se­mes­tre de 2019. “Nos­sa es­ti­ma­ti­va é en­tre 10 e 15 ofer­tas de ações no se­mes­tre, en­tre IPOs e fol­low-ons. Pa­ra o ano to­do ain­da é mui­to di­fí­cil es­ti­mar, vai de­pen­der do de­sem­pe­nho do no­vo go­ver­no, do rit­mo de re­for­mas”, diz Gre­en­le­es.

Ele des­ta­ca que as em­pre­sas têm até 12 de fe­ve­rei­ro pa­ra pre­ci­fi­car uma ofer­ta ini­ci­al usan­do os ba­lan­ços do ter­cei­ro tri­mes­tre. “Quem quer co­lo­car a ofer­ta no co­me­ço do ano tem que es­tar tra­ba­lhan­do ago­ra pa­ra co­me­çar ro­ad-show na se­gun­da se­ma­na de ja­nei­ro”, ex­pli­ca. “Ve­mos es­sa ja­ne­la acon­te­cen­do, mas o pro­ces­so deve ser mais in­ten­so na ja­ne­la de abril, qu­an­do as com­pa­nhi­as te­rão seus re­sul­ta­dos anu­ais.”

O vo­lu­me mé­dio das ope­ra­ções deve gi­rar en­tre R$ 1 bi­lhão e R$ 1,5 bi­lhão, por is­so o banco tem tra­ba­lha­do com um ce­ná­rio de vo­lu­me da or­dem de R$ 30 bi­lhões no pri­mei­ro se­mes­tre.

Gre­en­le­es con­si­de­ra que não era ape­nas o ce­ná­rio elei­to­ral bra­si­lei­ro que vi­nha man­ten­do o in­ves­ti­dor es­tran­gei­ro mais aris­co — se re­fle­tin­do em mais res­ga­tes do que apli­ca­ções na bol­sa bra­si­lei­ra. “A bol­sa ame­ri­ca­na en­tre­gou no fim do ano qua­se tu­do que ti­nha ga­nha­do em 10 me­ses, o que já dei­xa o in­ves­ti­dor mais cau­te­lo­so”, diz. “Tam­bém tem o ce­ná­rio de al­ta de juros nos Es­ta­dos Uni­dos, que atra­pa­lha es­se flu­xo de ca­pi­tal es­tran­gei­ro. Es­se é o prin­ci­pal ris­co em re­la­ção a atra­ção dos in­ves­ti­do­res in­ter­na­ci­o­nais.”

Lis­ta­gens de gru­pos bra­si­lei­ros no ex­te­ri­or podem con­ti­nu­ar acon­te­cen­do, mas em menor me­di­da. Es­te ano, as em­pre­sas de meio de pa­ga­men­to PagSe­gu­ro e Sto­ne e a de educação Ar­co fi­ze­ram ofer­ta no ex­te­ri­or e o gru­po fri­go­rí­fi­co Mi­ner­va anun­ci­ou uma ofer­ta de sub­si­diá­ria no Chi­le. “Lis­ta­gens no ex­te­ri­or são mais es­pe­cí­fi­cas, prin­ci­pal­men­te pa­ra o setor de tec­no­lo­gia. Es­se ano aca­bou fi­can­do mais con­cen­tra­do por­que o mer­ca­do lo­cal foi menor”, ava­lia.

Pa­ra Gre­en­le­es, as com­pa­nhi­as con­ti­nu­a­rão bus­can­do a es­tra­té­gia de ter in­ves­ti­do­res ân­co­ras em su­as ofer­tas, pa­ra ter mais tran­qui­li­da­de da cap­ta­ção, e tam­bém man­te­rão pro­ces­sos du­plos — o cha­ma­do “du­al track”, qu­an­do co­lo­cam uma ofer­ta na rua e ten­tam fa­zer ven­da direta de participação ao mes­mo tem­po. “O ân­co­ra dá mais se­gu­ran­ça na exe­cu­ção, mas é mais re­le­van­te em ce­ná­rio vo­lá­til. Vi­mos es­te ano vá­ri­os ti­pos, aque­le que vem na ca­pa do pros­pec­to ou o que ga­ran­te com­pra no book”, co­men­ta.

CLAU­DIO BELLI/VA­LOR

Gre­en­le­es, che­fe glo­bal de banco de investimento do BBA: ja­ne­la de abril, com ba­lan­ços anu­ais, deve ser mais in­ten­sa

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.