No­va PEC po­de atra­sar re­for­ma em me­ses

Pa­ra lí­de­res par­ti­dá­ri­os, se mu­dan­ças tra­ba­lhis­tas fo­rem acres­ci­das, tra­mi­ta­ção de­mo­ra­rá ain­da mais

Valor Econômico - - POLÍTICA - Rapha­el Di Cun­to e Mar­ce­lo Ri­bei­ro

O en­ca­mi­nha­men­to de uma no­va pro­pos­ta de emen­da à Cons­ti­tui­ção (PEC) pa­ra a re­for­ma da Pre­vi­dên­cia So­ci­al, sem apro­vei­tar o tex­to do go­ver­no Te­mer que já es­tá pron­to pa­ra o ple­ná­rio, de­ve atra­sar em al­guns me­ses a tra­mi­ta­ção do pro­je­to, afir­ma­ram on­tem lí­de­res dos par­ti­dos da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos. Es­se tem­po po­de au­men­tar ain­da mais, dis­se­ram, se o go­ver­no in­sis­tir na ideia do mi­nis­tro da Eco­no­mia, Pau­lo Gu­e­des, de fa­zer tam­bém uma re­for­ma tra­ba­lhis­ta pa­ra os jo­vens jun­to.

Os pro­ble­mas co­me­çam den­tro do pró­prio par­ti­do do pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro (PSL). Lí­der da si­gla na Câ­ma­ra, o de­pu­ta­do de­le­ga­do Wal­dir (PSL-GO) afir­mou on­tem que não sa­be se o go­ver­no en­ca­mi­nha­rá uma no­va PEC ou não. “Sou só lí­der do PSL. O in­te­res­se é do go­ver­no em me in­for­mar, não vou im­plo­rar in­for­ma­ção”, dis­se. Con­for­me o Va­lor re­ve­lou on­tem, o go­ver­no de­ci­diu man­dar uma no­va PEC por­que pre­ten­de fa­zer mu­dan­ças gran­des em re­la­ção à pro­pos­ta de Te­mer, o que não per­mi­ti­ria apro­vei­tar a PEC an­te­ri­or pa­ra vo­tar o tex­to di­re­to no ple­ná­rio.

Com is­so, a re­for­ma do go­ver­no Bol­so­na­ro te­rá que pas­sar pe­la Co­mis­são de Cons­ti­tui­ção e Jus­ti­ça (CCJ) da Câ­ma­ra e a ava­li­a­ção de uma co­mis­são es­pe­ci­al an­tes. No go­ver­no Te­mer, es­sas du­as fa­ses le­va­ram qua­tro me­ses. Ape­sar dis­so, o pre­si­den­te da Câ­ma­ra, Ro­dri­go Maia (DEM-RJ), afir­mou acre­di­tar que se­rá pos­sí­vel vo­ta-la em maio se o go­ver­no or­ga­ni­zar sua ba­se na Câ­ma­ra.

O lí­der do PSL afir­mou que o am­bi­en­te nun­ca foi tão fa­vo­rá­vel pa­ra apro­var a re­for­ma, com apoio dos go­ver­na­do­res e pre­fei­tos, mas evi­tou co­men­tar so­bre pra­zos. “Te­mos am­bi­en­te mui­to pro­pí­cio, o país to­do quer a re­for­ma pa­ra vol­tar a cres­cer, mas não va­mos co­lo­car tem­po não”, afir­mou. Qu­es­ti­o­na­do se acre­di­ta que é pos­sí­vel vo­tar pe­lo me­nos no pri­mei­ro se­mes­tre, ele con­tou nos de­dos os me­ses que fal­tam até ju­lho e con­cluiu: “Se apro­var no pri­mei­ro se­mes­tre aqui na Câ­ma­ra já es­tá ex­tra­or­di­ná­rio”. O tex­to ain­da pas­sa­rá pe­lo Se­na­do de­pois e po­de vol­tar à Câ­ma­ra se hou­ver mu­dan­ças.

Lí­der do ter­cei­ro mai­or par­ti­do da Câ­ma­ra, com 38 de­pu­ta­dos, Arthur Li­ra (AL) tam­bém dis­se que o pra­zo se­rá mais lon­go. “Co­mo é que, se vo­cê não tem ba­se [ali­a­da] nem ca­len­dá­rio, vai vo­tar um pro­je­to co­mo es­se em dois me­ses?”, ques­ti­o­nou. “Es­que­ce dois me­ses. Nas con­di­ções de ho­je, não vo­ta nem em seis me­ses a re­for­ma”, dis­se Li­ra.

So­bre a pro­pos­ta de Gu­e­des de pro­mo­ver mu­dan­ças na le­gis­la­ção tra­ba­lhis­ta den­tro da re­for­ma da pre­vi­dên­cia, o lí­der do PP afir­mou que is­so tor­na­rá mais di­fí­cil a vo­ta­ção. “O que foi apro­va­do pe­la co­mis­são mis­ta já não é fá­cil. Se vem al­go mai­or vai pre­ci­sar ain­da de mais de­ba­te”, dis­se.

O lí­der do PPS, de­pu­ta­do Da­ni­el Co­e­lho (PE), con­cor­da. “Mis­tu­rar dois te­mas tão di­ver­sos atra­pa­lha”, afir­mou. Ele faz ain­da dois aler­tas ao go­ver­no: mis­tu­rar a pau­ta de cos­tu­mes, co­mo o pro­je­to Es­co­la Sem Par­ti­do, com a agen­da econô­mi­ca atra­pa­lha­rá a se­gun­da, por di­vi­dir mais a Câ­ma­ra ao in­vés de bus­car con­sen­sos. “E a re­for­ma não po­de ser do Pau­lo Gu­e­des, tem que ser a do Bol­so­na­ro. Qu­em foi elei­to, tem pres­tí­gio e uma ex­pec­ta­ti­va po­si­ti­va de 60% da po­pu­la­ção é que pre­ci­sa en­cam­par o pro­je­to e de­fen­dê-lo”, pon­de­rou.

En­quan­to is­so, a opo­si­ção, jun­to com en­ti­da­des co­mo sin­di­ca­tos, con­fe­de­ra­ções e as­so­ci­a­ções de tra­ba­lha­do­res da ini­ci­a­ti­va pri­va­da e dos ser­vi­do­res pú­bli­cos, re­lan­ça­rá no dia 20 de mar­ço a Fren­te Par­la­men­tar Mis­ta em De­fe­sa da Pre­vi­dên­cia So­ci­al com uma cam­pa­nha crí­ti­ca ao sis­te­ma de ca­pi­ta­li­za­ção. A cam­pa­nha in­clui­rá um ví­deo vi­ral pa­ra as re­des so­ci­ais e um pa­les­tran­te chi­le­no (país on­de o sis­te­ma foi im­plan­ta­do) pa­ra fa­lar dos pro­ble­mas, que en­vol­ve­ri­am, se­gun­do re­pre­sen­tan­tes da fren­te, com pe­que­nas apo­sen­ta­do­ri­as e al­to ín­di­ce de sui­cí­dio en­tre ido­sos. A fren­te tam­bém sai­rá da al­ça­da do PT. O co­or­de­na­dor na Câ­ma­ra se­rá o de­pu­ta­do An­dré Fi­guei­re­do (PDT-CE). No Se­na­do, es­tá en­tre We­ver­ton Ro­cha (PDT-MA) ou Ran­dol­fe Ro­dri­gues (Re­de-AP).

MAR­CE­LO CAMARGO/ABR

Li­ra: “Co­mo é que, se vo­cê não tem ba­se nem ca­len­dá­rio, vai vo­tar um pro­je­to co­mo es­se em dois me­ses? Nas con­di­ções de ho­je, não vo­ta nem em seis me­ses”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.