Im­pac­to do FGTS se­rá mai­or, diz con­sul­to­ria

Valor Econômico - - Brasil -

Exer­cí­cio re­a­li­za­do pe­la LCA Con­sul­to­res es­ti­ma que o im­pac­to da li­be­ra­ção de re­cur­sos do FGTS e do PIS/Pa­sep so­bre a eco­no­mia po­de ser de 0,55 pon­to per­cen­tu­al (p.p.) em 12 me­ses, mai­or do que o 0,35 pon­to es­ti­ma­do pe­lo go­ver­no. A es­ti­ma­ti­va da con­sul­to­ria não le­va em con­ta o cha­ma­do sa­que-ani­ver­sá­rio do fun­do de ga­ran­tia, mas ape­nas o sa­que ime­di­a­to de R$ 500 por con­ta.

O efei­to se­ria con­cen­tra­do en­tre o úl­ti­mo tri­mes­tre des­te ano e o ter­cei­ro tri­mes­tre de 2020, com um pi­co no iní­cio do ano que vem. A LCA pro­je­ta que o ca­len­dá­rio de sa­ques vai se es­ten­der de se­tem­bro des­te ano a mar­ço do pró­xi­mo. No to­tal, en­tre sa­ques ime­di­a­tos do FGTS e PIS/Pa­sep, se­ri­am li­be­ra­dos R$ 42 bi­lhões.

A es­ti­ma­ti­va da con­sul­to­ria con­si­de­ra im­pac­tos di­re­tos e in­di­re­tos so­bre a eco­no­mia. Par­te dos re­cur­sos de­ve ir pa­ra o con­su­mo, e ou­tra, pa­ra o pa­ga­men­to de dí­vi­das. “O con­su­mo ten­de a ge­rar mais em­pre­gos, o que, por sua vez, in­cre­men­ta a ren­da, que pos­te­ri­or­men­te se­rá con­ver­ti­da em ren­da adi­ci­o­nal, e as­sim por di­an­te.”

Pa­ra o cálculo, a LCA in­cor­po­rou li­be­ra­ções se­me­lhan­tes do FGTS, em 2017, e do PIS/Pa­sep, em 2018. Se cer­ca de 60% dos re­cur­sos li­be­ra­dos fo­rem des­ti­na­dos ao con­su­mo, hi­pó­te­se bas­tan­te plau­sí­vel, se­gun­do a LCA, o im­pul­so já se­ria de 0,35 pon­to per­cen­tu­al no PIB.

Ou­tros as­pec­tos que tam­bém le­vam a crer que o efei­to so­bre a ati­vi­da­de econô­mi­ca po­de ser su­pe­ri­or ao es­ti­ma­do pe­lo go­ver­no é que a par­ce­la do sa­que do FGTS des­ti­na­da ao con­su­mo de­ve­rá ser mai­or na com­pa­ra­ção com 2017. Is­so por­que o pri­mei­ro é que o nú­me­ro de pes­so­as con­tem­pla­das (96 mi­lhões) é três ve­zes mai­or que em 2017. Des­te to­tal, 54,7 mi­lhões têm me­nos de R$ 500 pa­ra sa­car.

O sa­que mé­dio por pes­soa de­ve fi­car pró­xi­mo de R$ 415, um va­lor bai­xo e por­tan­to com mai­or pro­ba­bi­li­da­de de ser gas­to do que pou­pa­do. Ou­tro mo­ti­vo é a ina­dim­plên­cia 0,6 pon­to per­cen­tu­al me­nor, o com­pro­me­ti­men­to de ren­da 0,8 pon­to mais bai­xo e o ín­di­ce de con­fi­an­ça 5,8 pon­tos mai­or que em 2017. A ex­pan­são do em­pre­go for­mal, de 640 mil vagas en­tre ju­lho de 2017 e ju­nho de 2019, tam­bém aju­da.

So­bre o sa­que-ani­ver­sá­rio, a iniciativa po­de in­je­tar mais R$ 24 bi­lhões na eco­no­mia, nos cál­cu­los da LCA. É di­fí­cil es­ti­mar a ade­são dos tra­ba­lha­do­res a es­sa mo­da­li­da­de de sa­que por cau­sa da me­lho­ra da ren­ta­bi­li­da­de do fun­do e por ra­zões co­mo fal­ta de in­for­ma­ção e re­ti­ra­da por de­mis­são.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.