Con­tas po­de­rão ser pa­gas tam­bém em ban­co di­gi­tal

Valor Econômico - - Primeira Página - Ta­li­ta Mo­rei­ra e Flá­via Fur­lan

Em mais um pas­so pa­ra am­pli­ar a com­pe­ti­ção en­tre ins­ti­tui­ções fi­nan­cei­ras e re­du­zir a con­cen­tra­ção no se­tor, o go­ver­no pre­pa­ra mu­dan­ça nas nor­mas pa­ra o pa­ga­men­to de con­tas e im­pos­tos de for­ma a fa­ci­li­tar o aces­so de fintechs e ban­cos pe­que­nos e mé­di­os a es­sas ope­ra­ções. Em pa­ra­le­lo, a Re­cei­ta Fe­de­ral es­tu­da per­mi­tir que tri­bu­tos fe­de­rais se­jam pa­gos com car­tões de cré­di­to.

Os ser­vi­ços de ar­re­ca­da­ção es­tão ho­je nas mãos dos gran­des ban­cos e ge­ra­ram, de ja­nei­ro a se­tem­bro de 2019, re­cei­ta de R$ 8,9 bi­lhões pa­ra Itaú, Ban­co do Bra­sil, Bra­des­co, Cai­xa e San­tan­der.

Atu­al­men­te, quan­do um cli­en­te quer pa­gar de for­ma ele­trô­ni­ca uma con­ta de ener­gia, uma fa­tu­ra de te­le­fo­ne ou um tributo, é pre­ci­so que os go­ver­nos ou a em­pre­sa pres­ta­do­ra do ser­vi­ço te­nham con­vê­nio com o ban­co e o re­mu­ne­rem pe­lo uso do ca­nal. Co­mo os gran­des ban­cos têm as mai­o­res re­des de aten­di­men­to, o mer­ca­do é do­mi­na­do por eles.

A in­ten­ção é per­mi­tir que o pa­ga­men­to pos­sa ser fei­to em qual­quer ins­ti­tui­ção, mes­mo que não se­ja a con­ve­ni­a­da. O as­sun­to vem sen­do dis­cu­ti­do en­tre a Fe­bra­ban e a As­so­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Ban­cos (ABBC), sob a su­per­vi­são do Ban­co Cen­tral. A in­ten­ção do BC é dei­xar que o mer­ca­do fa­ça sua au­tor­re­gu­la­ção. A Câ­ma­ra In­ter­ban­cá­ria de Pa­ga­men­tos (CIP), res­pon­sá­vel pe­la li­qui­da­ção das ope­ra­ções, tam­bém acom­pa­nha as con­ver­sas.

O mo­de­lo em es­tu­do pre­vê mu­dan­ças na for­ma pe­la qual as in­for­ma­ções da con­ta são cri­a­das. Em vez de o ban­co de­ten­tor do con­vê­nio ge­rar o có­di­go de bar­ras pa­ra o pa­ga­men­to, co­mo é ho­je, a CIP as­su­mi­ria es­se pa­pel pa­ra to­do o mer­ca­do. Com is­so, o pa­ga­men­to po­de­rá ser fei­to em qual­quer ins­ti­tui­ção, in­clu­si­ve em fintechs e ban­cos di­gi­tais, co­mo Nu­bank, Ori­gi­nal e ou­tros.

Os gran­des ban­cos es­tão aber­tos a re­dis­cu­tir o mo­de­lo, mas que­rem ga­ran­tir sua re­mu­ne­ra­ção. Sus­ten­tam que os pa­ga­men­tos ge­ram re­cei­ta, mas im­pli­cam cus­tos altos pa­ra a re­de fí­si­ca.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.