PE­LE MO­RE­NA-OLI­VA

Women’s Health (Brazil) - - Moda + Beleza -

PRO­BLE­MA A SER SOLUCIONADO

Hi­per­pig­men­ta­ção

A pe­le mo­re­na-oli­va possui um FPS 7, en­tão as ru­gas de­mo­ram 40 ou 50 anos pa­ra apa­re­cer (mas não abu­se dis­so pa­ra se li­vrar do pro­te­tor so­lar, ok?!). O pon­to não tão po­si­ti­vo é que es­se ti­po de pe­le en­ve­lhe­ce de ou­tra ma­nei­ra, sen­do pro­pen­sa a me­las­mas.

Michelle Pal­mi­ro, dermatologista da Clí­ni­ca Pal­mi­ros, em São Pau­lo, es­cla­re­ce que o me­las­ma é ca­rac­te­ri­za­do pe­lo sur­gi­men­to de man­chas es­cu­ras na pe­le, mais fre­quen­te nas mu­lhe­res, sen­do re­la­ci­o­na­do ao uso de an­ti­con­cep­ci­o­nais fe­mi­ni­nos, ex­po­si­ção so­lar, mu­dan­ças hor­mo­nais e pre­dis­po­si­ção ge­né­ti­ca. “En­con­tra­mos me­las­ma mais fre­quen­te­men­te em pes­so­as com fo­to­ti­po mo­re­no. O me­la­nó­ci­to al­te­ra­do re­ce­be uma men­sa­gem do agen­te cau­sa­dor (por exem­plo, a ra­di­a­ção so­lar) e en­tra em con­ta­to com ou­tras cé­lu­las, for­man­do uma re­de de co­mu­ni­ca­ção pa­ra pro­du­zir mais pig­men­to co­mo pro­te­ção”, afir­ma Michelle.

A me­lhor ma­nei­ra de evi­tar es­se ti­po de pro­ble­ma é ter um con­tro­le hor­mo­nal ade­qua­do, com bai­xa ex­po­si­ção a al­tas tem­pe­ra­tu­ras e ao sol.

Nos ca­sos mais gra­ves, um pe­e­ling quí­mi­co com­bi­na­do com o mi­cro­a­gu­lha­men­to pode fa­zer as man­chas de­sa­pa­re­ce­rem.

Ou­tra so­lu­ção mais em con­ta é uti­li­zar pro­du­tos cla­re­a­do­res, de apli­ca­ção pon­tu­al.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.