O SOL A TRA­BA­LHAR PA­RA SI TO­DO O ANO

A Verdade - - SOLGÁS -

Sen­do Por­tu­gal um dos paí­ses da Eu­ro­pa com mai­or ín­di­ce de ra­di­a­ção so­lar, es­ta ener­gia po­de ser apro­vei­ta­da pa­ra a pro­du­ção de ener­gia elé­tri­ca. Nu­ma pers­pe­ti­va anu­al, a ener­gia fo­to­vol­tai­ca pro­du­zi­da e uti­li­za­da em re­gi­me de au­to­con­su­mo pro­por­ci­o­na pou­pan­ças sig­ni­fi­ca­ti­vas.

A ins­ta­la­ção de um sis­te­ma fo­to­vol­tai­co pa­ra au­to­con­su­mo per­mi­te ain­da al­te­rar o per­fil de con­su­mo, trans­fe­rin­do o fun­ci­o­na­men­to de al­guns equi­pa­men­tos pa­ra as ho­ras em que a ener­gia so­lar es­tá dis­po­ní­vel, po­ten­ci­an­do de for- ma sig­ni­fi­ca­ti­va a pou­pan­ça que es­ta­rá as­so­ci­a­da.

Es­tes sis­te­mas são apli­cá­veis no se­tor re­si­den­ci­al, co­mer­ci­al e in­dus­tri­al. Ca­da um des­tes se­to­res com abor­da­gens di­fe­ren­tes, têm con­di­ções bas­tan­te atra­ti­vas e mo­ti­va­do­ras pa­ra re­du­zir a fa­tu­ra.

No ca­so in­dus­tri­al, no­me­a­da­men­te, nas no­vas agri­cul­tu­ras, a ins­ta­la­ção de sis­te­mas fo­to­vol­tai­cos é um fa­tor de­ter­mi­nan­te pa­ra a con­cre­ti­za­ção de pro­je­tos fi­nan­ci­a­dos, ten­do se­lo de pro­du­ção sus­ten­tá­vel. É, de res­to, uma das im­po- si­ções pa­ra que o pro­je­to se­ja viá­vel e apro­va­do.

A ener­gia so­lar tér­mi­ca con­sis­te na trans­for­ma­ção da ra­di­a­ção so­lar em ca­lor, atra­vés dos pai­néis so­la­res tér­mi­cos.

Os sis­te­mas so­la­res tér­mi­cos re­pre­sen­tam uma tec­no­lo­gia com­pro­va­da, que per­mi­te uma re­du­ção dos con­su­mos ener­gé­ti­cos com o aque­ci­men­to das águas quen­tes sa­ni­tá­ri­as en­tre 70% a 80%; é de fá­cil in­ter­li­ga­ção com os sis­te­mas de águas quen­tes sa­ni­tá­ri­as exis­ten­tes; tem cer­ca de 25 anos de vi­da útil; e uma ins­ta­la­ção rá­pi­da.

Mais do que as águas quen­tes sa­ni­tá­ri­as, os sis­te­mas so­la­res tér­mi­cos po­dem aque­cer a sua pis­ci­na no ve­rão. Com­pa­ran­do com os mei­os tra­di­ci­o­nais de aque­ci­men­to de pis­ci­nas (cal­dei­ras a gás, ga­só­leo ou bom­ba de ca­lor), es­te sis­te­ma apre­sen­ta bai­xos cus­tos anu­ais.

Te­nha as­sim o sol a tra­ba­lhar pa­ra si to­do o ano, ob­ten­do ex­ce­len­tes ren­di­men­tos que vão bai­xar a sua fa­tu­ra ener­gé­ti­ca (Gás Ga­só­leo ou Ele­tri­ci­da­de).

Ex­plo­ra­ção agrí­co­la - Fo­to­vol­tai­cos

In­ter­mar­ché 648 pai­néis so­la­res

CCJ - Re­mo­de­la­ção de ca­sa

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.