Ca­e­rus pro­mo­ve Bu­si­ness The­a­ter nas es­co­las

A Verdade - - MARCO DE CANAVESES -

A equi­pa do Ca­e­rus – CLDS3G es­tá a per­cor­rer as es­co­las do con­ce­lho pa­ra le­var um pou­co do “mer­ca­do de tra­ba­lho” pa­ra a sa­la de au­la.

A Es­co­la EB 2,3 de San­de, a Es­co­la Se­cun­dá­ria de Al­pen­do­ra­da, a Es­co­la Profissional de Ar­que­o­lo­gia e De­sen­vol­vi­men­to Ru­ral e a Es­co­la Profissional de Ar­que­o­lo­gia são os es­ta­be­le­ci­men­tos que es­tão a re­ce­ber es­tas ati­vi­da­des.

“No Bu­si­ness The­a­ter, os jo­vens são de­sa­fi­a­dos a po­si­ci­o­na­rem-se nu­ma das qua­tro prin­ci­pais ati­vi­da­des eco­nó­mi­cas: agri­cul­tu­ra e pe­cuá­ria, in­dús­tria e ser­vi­ços, sen­do que os res­tan­tes fun­ci­o­nam co­mo com­pra­do­res. Após a dis­tri­bui­ção te­rão de cor­res­pon­der a de­sa­fi­os: re­sol­ver pro­ble­mas e fa­zer cres­cer os seus ‘ne­gó­ci­os’ de acor­do com a Lei da Ofer­ta e da pro­cu­ra”, foi ex­pli­ca­do pe­lo Ca­e­rus.

O ob­je­ti­vo pas­sa por per­ce­ber quem te­ve mais su­ces­so eco­nó­mi­co e es­miu­çar as ra­zões, os en­tra­ves e os obs­tá­cu­los que fo­ram sen­tin­do du­ran­te o pro­ces­so.

“Os alu­nos con­se­gui­ram per­ce­ber a ló­gi­ca dos mer­ca­dos e fa­zer evo­luir os seus con­cei­tos de ne­gó­cio, exis­tin­do fu­sões de ne­gó­ci­os, sub­con­tra­ta­ções e cri­a­ção de mer­ca­dos de dis­tri­bui­ção al­ter­na­ti­vos”, tal co­mo foi di­vul­ga­do pe­la en­ti­da­de.

Pa­ra o Ca­e­rus, a ati­vi­da­de é “ex­tre­ma­men­te po­si­ti­va na me­di­da em que per­mi­te aos alu­nos uma com­pre­en­são mais alar­ga­da do mun­do, es­ba­ten­do a ‘fron­tei­ra’ da es­co­la in­cluin­do vi­si­tas, em­pre­sas e ser­vi­ços. Per­mi­te, as­sim, mo­ti­var os alu­nos pa­ra a es­co­la­ri­da­de e ali­men­tar o seu pla­no de ori­en­ta­ção vo­ca­ci­o­nal”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.