Es­co­la dá lu­gar a no­va igre­ja na pa­ró­quia de Ba­nho

A Verdade - - MARCO DE CANAVESES -

po­pu­la­ção de Ba­nho, na fre­gue­sia de Ba­nho e

as­sis­tiu, no pas­sa­do dia 9 de de­zem­bro, a inau­gu­ra­ção da no­va igre­ja da pa­ró­quia de San­ta Eu­lá­lia de Ba­nho. Uma am­bi­ção de vá­ri­os anos des­ta po­pu­la­ção que, em di­as de fes­ta, não ca­bia to­da den­tro da an­ti­ga igre­ja, uma vez que es­ta é mui­to pe­que­na.

Es­ta obra nas­ceu nu­ma an­ti­ga es­co­la que es­ta­va de­sa­ti­va­da, de­pois da do­a­ção à fábrica da Igre­ja. A inau­gu­ra­ção da no­va igre­ja con­tou com a pre­sen­ça do Bis­po do Por­to, D. Ma­nu­el Lin­da, que mi­nis­trou a ce­ri­mó­nia que pre­ce­deu a inau­gu­ra­ção.

O pa­dre António Jor­ge já é pá­ro­co em Ba­nho há 15 anos e, se­gun­do dis­se ao Jor­nal A VER­DA­DE, es­te an­seio é an­ti­go. “Des­de a pri­mei­ra ho­ra que aqui che­guei que sen­ti es­sa di­fi­cul­da­de e es­sa ne­ces­si­da­de”, con­fi­den­ci­ou.

A opor­tu­ni­da­de sur­giu há três anos, de­pois da tra­di­ci­o­nal fes­ta da pa­ró­quia que se re­a­li­za, to­dos os anos, no ter­cei­ro do­min­go do mês de agos­to. Um dia atí­pi­co de ve­rão, com uma chu­va tor­ren­ci­al, o que fez com que a pro­cis­são não saís­se nes­se dia. Ma­nu­el Mo­rei­ra, pre­si­den­te da Câ­ma­ra Mu­ni­ci­pal na épo­ca, mar­cou pre­sen­ça na fes­ta e, após uma con­ver­sa com o pá­ro­co, a ideia de trans­for­mar a es­co­la nu­ma igre­ja sur­giu.

“A es­co­la es­ta­va de­sa­ti­va­da. Era um imó­vel que es­ta­va per­di­do, hou­ve a do­a­ção à fábrica da igre­ja, a câ­ma­ra mu­ni­ci­pal fez o pro­je­to e co­me­ça­mos a tra­ba­lhar no sen­ti­do de con­cre­ti­zar­mos a igre­ja”, ex­pli­cou o pa­dre António Jor­ge.

Pa­ra além da com­par­ti­ci­pa­ção por par­te da câ­ma­ra mu­ni­ci­pal no va­lor de 50 mil eu­ros, a con­cre­ti­za­ção des­ta obra foi pos­sí­vel gra­ças à união da pa­ró­quia. “Mon­ta­mos uma tas­qui­nha, ar­ran­ja­mos qua­tro gru­pos da pa­ró­quia, ca­da fim-de-se­ma­na há um gru­po que tra­ba­lha e co­me­ça­mos a fa­zer re­fei­ções ao sábado à noi­te ou ao do­min­go ao meio dia. Há sem­pre bas­tan­te gen­te que vem. Sa­bem que a co­mer na tas­qui­nha ou a le­var pa­ra ca­sa es­tão a aju­dar a pa­ró­quia”, cons­ta­tou o pá­ro­co.

O atu­al pre­si­den­te da Jun­ta de Fre­gue­sia de Ba­nho e Car­va­lho­sa, Lu­ci­a­no Cos­ta, tam­bém mar­cou pre­sen­ça na inau­gu­ra­ção. De acor­do com o au­tar­ca, a an­ti­ga igre­ja “era mui­to pe­que­na pa­ra tan­ta gen­te”.

“Es­ta é uma gran­de obra, de re­le­vo pa­ra a fre­gue­sia. Acre­di­ta­mos que vai aju­dar a tra­zer um pro­gres­so di­fe­ren­te pa­ra a nos­sa fre­gue­sia”, su­bli­nhou o pre­si­den­te.

Acom­pa­nha­da pe­lo vi­ce-pre­si­den­te Má­rio Bruno Ma­ga­lhães e pe­lo ve­re­a­dor Pau­lo Cou­to, a pre­si­den­te da Câ­ma­ra Mu­ni­ci­pal de Mar­co de Ca­na­ve­ses, Cris­ti­na Vi­ei­ra, es­te­ve tam­bém pre­sen­te. Se­gun­do a au­tar­ca, es­ta obra “que a po­pu­la­ção há mui­to am­bi­ci­o­na­va é mui­to im­por­tan­te pa­ra a fre­gue­sia”.

“Foi uma de­li­be­ra­ção da câ­ma­ra mu­ni­ci­pal ce­der uma es­co­la que es­ta­va de­vo­lu­ta, sem cri­an­ças, pa­ra ser reu­ti­li­za­da pa­ra um es­pa­ço de cul­to”, con­si­de­rou a pre­si­den­te.

A inau­gu­ra­ção con­tou com cen­te­nas de pes­so­as que qui­se­ram es­tar pre­sen­tes num dia tão im­por­tan­te pa­ra a pa­ró­quia de San­ta Eu­lá­lia de Ba­nho.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.