En­saio pors­che pa­na­me­ra sport tu­ris­mo

O Pa­na­me­ra Sport Tu­ris­mo é o pre­tex­to per­fei­to pa­ra quem quer um Pors­che fa­mi­li­ar mas não equa­ci­o­na a com­pra de um SUV. O sta­tus e es­té­ti­ca são trun­fos fa­ce à con­cor­rên­cia.

Altagama Motor (Portugal) - - Sumário - Ber­nar­do Gon­za­lez Pau­lo Ca­lis­to

Quan­do um exe­cu­ti­vo des­por­ti­vo ga­nha uma veia fa­mi­li­ar, ‘bor­ra-se a pin­tu­ra’ ou cria-se al­go de es­pe­ci­al. A Pors­che op­tou pe­la se­gun­da

Quan­do a Pors­che de­ci­diu jun­tar ao seu por­te­fó­lio aque­la que é a pri­mei­ra car­ri­nha da sua his­tó­ria, a in­ter­pre­ta­ção de mui­tos é que es­ta­va a se­guir uma mo­da da ge­ne­ra­li­da­de dos cons­tru­to­res. Já pa­ra os pu­ris­tas da mar­ca de Es­tu­gar­da, tra­tou-se de mais uma ‘blas­fé­mia’ a jun­tar a ou­tras ‘ade­sões’ con­tro­ver­sas, co­mo os mo­de­los SUV e as mo­to­ri­za­ções Di­e­sel. Con­tu­do, o que os cri­a­ti­vos vi­ram nes­te mo­de­lo foi, aci- ma de tu­do, uma opor­tu­ni­da­de. Nes­te for­ma­to, o Pa­na­me­ra dei­xa de ser um gran tu­ris­mo pa­ra ser uma va­ri­an­te fa­mi­li­ar, e de es­té­ti­ca bem ape­la­ti­va. Aci­ma de tu­do, o Sport Tu­ris­mo traz a es­ta ga­ma um le­que de no­vas pos­si­bi­li­da­des, pois quem nun­ca pen­sou em com­prar um Pa­na­me­ra – mais a mais que a sua lo­ta­ção era li­mi­ta­da a qua­tro ocu­pan­tes – po­de ago­ra ver a coi­sa com ou­tros olhos. Na ver­da­de, não há uma di­fe­ren­ça abis­mal fa­ce ao seu ir­mão ‘ber- li­na’, já que até ao pi­lar B são idên­ti­cos, di­fe­rin­do ape­nas na zo­na tra­sei­ra, on­de a si­lhu­e­ta é mais ‘sportwa­gon’ do que ‘sta­ti­onwa­gon’, de­vi­do à me­nor in­cli­na­ção do úl­ti­mo pi­lar.

Sen­ti­do prá­ti­co

Além dos ga­nhos es­té­ti­cos, é na ver­ten­te prá­ti­ca que o Sport Tu­ris­mo (ST) vin­ga, com 425 li­tros de es­pa­ço de ba­ga­gei­ra. Não é um va­lor mui­to ele­va­do, so­bre­tu­do pe­lo fac­to de es­ta ver­são ser hí­bri­da, o que le­va a que as ba­te­ri­as ocu­pem mais vo­lu­me – nas ver­sões de mo­to­ri­za­ção ‘nor­mal’, a ba­ga­gei­ra che­ga aos 525 li­tros. Não obs­tan­te, o bo­cal mais bai­xo fa­ci­li­ta a car­ga de ob­je­tos, além de ofe­re­cer al­gu­ma mo­du­la­ri­da­de ex­tra ao re­ba­ter os ban­cos pos­te­ri­o­res pa­ra um es­pa­ço am­pliá­vel até aos 1.390 li­tros. Pe­lo me­nos nes­se as­pe­to, es­te mo­de­lo cum­pre re­qui­si­tos mí­ni­mos des­ta clas­se.

A vo­ca­ção mais fa­mi­li­ar do ST im­põe que nos ban­cos pos­te­ri­o­res vi­a­jem três – co­mo

op­ção, há a pos­si­bi­li­da­de de es­co­lher uma lo­ta­ção 2+2. A lar­gu­ra do tú­nel cen­tral apre­sen­ta al­guns de­sa­fi­os a quem se sen­ta no lu­gar do meio, as­sim co­mo a du­re­za das cos­tas. No en­tan­to, es­te por­me­nor apre­sen­ta-se co­mo o pre­tex­to per­fei­to pa­ra quem pre­ten­de uma car­ri­nha mas quer fu­gir às ha­bi­tu­ais pro­pos­tas pre­mium do mer­ca­do. Não ha­ja ilu­sões que, ao en­trar nes­ta clas­se de veí­cu­los, o Sport Tu­ris­mo apre­sen­ta co­mo prin­ci­pal trun­fo o sta­tus do seu lo­go­ti­po, além de uma es­té­ti­ca bem ape­la­ti­va, mo­to­res so­fis­ti- ca­dos e po­ten­tes e um ha­bi­tá­cu­lo bem re­fi­na­do.

Nos lu­ga­res da fren­te, não há al­te­ra­ções, des­ta­can­do-se o am­bi­en­te mui­to hi-te­ch na­que­le que po­de­mos con­si­de­rar um ver­da­dei­ro ‘pos­to de co­man­do’. A ex­ce­len­te er­go­no­mia é com­ple­men­ta­da por uma pa­nó­plia de re­gu­la­ções, fun­ções e in­for­ma­ções, qua­se tu­do con­cen­tra­do no ecrã cen­tral, e tu­do em prol de uma re­du­ção de bo­tões e co­man­dos na con­so­la cen­tral. Há short­cuts (co­man­dos) pa­ra as fun­ções pri­má­ri­as, em­bo­ra exi­ge sem­pre uma boa do­se de ha­bi­tu­a­ção. Com uma qua­li­da­de de mon­ta­gem e de re­ves­ti­men­tos ir­re­pre­en­sí­vel – cou­ro, fi­bra de car­bo­no e su­per­fí­ci­es (al­guns tá­teis) em pi­a­no black re­ma­ta­dos com re­bor­dos em alu­mí­nio – a ga­ma Pa­na­me­ra es­tá sem dú­vi­da no to­po da sua clas­se em ma­té­ria de re­quin­te. Na­tu­ral­men­te, e co­mo é cor­ren­te na mai­o­ria dos cons­tru­to­res ger­mâ­ni­cos, exis­tem inú­me­ros equi­pa­men­tos ex­tra que am­pli­fi­cam o ‘bom as­pe­to’ do ha­bi­tá­cu­lo e o bem-es­tar de to­dos os ocu­pan­tes a bor­do des­te Pa­na­me­ra Sport Tu­ris­mo. No ca­so da nos­sa uni­da­de, con- tá­mos com in­te­ri­or em pe­le li­sa (3.677€), es­cu­do Pors­che nos en­cos­tos de ca­be­ça (418€), te­to pa­no­râ­mi­co (2.177€), vi­dros es­cu­re­ci­dos (565€), cli­ma­ti­za­ção de qua­tro zo­nas (1.586€), ban­cos elé­tri­cos à fren­te (1.918€) e atrás (2.386€) com mas­sa­gem e ven­ti­la­ção (4.354€), pa­co­te in­te­ri­or em car­bo­no (1.684€) e in­ter­fa­ce USB atrás (332€), en­tre ou­tros. Tam­bém aqui o es­ta­tu­to da mar­ca se faz pa­gar…

Co­mo é que o fa­zem?

Ago­ra que a Pors­che anun­ci­ou o fim da era Di­e­sel nas su­as ga-

Pa­ra ob­ter­mos bai­xos con­su­mos, con­vém que o ST ‘dur­ma’ li­ga­do à cor­ren­te

mas, a ga­so­li­na pas­sa a ser o com­bus­tí­vel do­mi­nan­te, ain­da que o apoio da ener­gia elé­tri­ca se­rá cres­cen­te da­qui em di­an­te. É o ca­so des­te mo­de­lo, a pro­pos­ta mais aces­sí­vel de du­as va­ri­an­tes hí­bri­das. Es­ta me­câ­ni­ca é com­pos­ta por um V6 bi­tur­bo de 2,9 li­tros, que de­sen­vol­ve 330 CV, aos quais se jun­tam os 136 CV da uni­da­de elé­tri­ca. A con­ta­bi­li­da­de fi­nal são 462 CV quan­do o con­jun­to es­tá em ple­na pu­jan­ça, e tu­do ge­ri­do e trans­mi­ti­do às qua­tro ro­das via uma cai­xa PDK de oi­to ve­lo­ci­da­des e um sis­te­ma de tra­ção in­te­gral PTM (Pors­che Trac­ti­on Ma­na­ge­ment), ba­se­a­do num aco­pla­men­to mul­ti­dis­cos – no lu­gar de um di­fe­ren­ci­al cen­tral. Es­te ní­vel de ren­di­men­to não pres­su­põe ní­veis de con­su­mo pro­pri­a­men­te re­gra­dos, ain­da que na prá­ti­ca o pos­sam ser. Co­mo? Aí é que re­si­de o se­gre­do des­te Pa­na­me­ra. O fac­to de ser plug-in é a pre­mis­sa pa­ra as­se­gu­rar bai­xos con­su­mos, ou se­ja, pa­ra atin­gir tal ní­vel de efi­ci­ên­cia con­vém que fi­que li­ga­do à cor­ren­te de vés­pe­ra. Com a ba­te­ria de 14,1 kwh to­tal­men­te re­car­re­ga­da po­de­mos apro- vei­tar em ple­no os di­ver­sos mo­dos de con­du­ção – E-power, E-char­ge, E-hold e Hy­brid Au­to – pa­ra ir usan­do, per­du­ran­do e re­ge­ne­ran­do car­ga elé­tri­ca de for­ma a man­ter os con­su­mos den­tro de ní­veis acei­tá­veis. O ide­al se­rá guar­dá-la (E-hold) pa­ra pos­te­ri­or cir­cu­la­ção em zo­nas mais ur­ba­nas (E-power), on­de se des­pa­cha con­vic­ta­men­te, não sen­do ne­ces­sá­ri­as gran­des do­ses de ace­le­ra­dor. Re­ge­ne­rar car­ga de ba­te­ria tam­bém não é di­fí­cil, bas­tan­do de­sa­ce­le­rar mais ce­do e pre­co­ni­zar tra­va­gens mais su­a­ves e alon-

ga­das. Com uma ati­tu­de mais pon­de­ra­da fa­cil­men­te fa­ze­mos ren­der a au­to­no­mia das ba­te­ri­as de uns teó­ri­cos 50 km (em ‘con­du­ção pu­ra­men­te elé­tri­ca’) pa­ra aci­ma de 100 km em ‘con­du­ção al­ter­na­da’. Nes­tas con­di­ções não che­ga­mos per­to dos anun­ci­a­dos – e al­go fan­ta­si­o­sos – 2,6 l/100 km de mé­dia, an­tes de uns acei­tá­veis 8,5 li­tros. Na­da mau pa­ra um car­ro des­te pa­ta­mar de po­tên­cia.

Ve­lo­ci­da­de fu­ri­o­sa

Quan­do dei­xa­mos ao cri­té­rio do sis­te­ma o mo­do de pro­pul­são (Au­to Hy­brid), tu­do se de­sen­ro­la com ex­tre­ma su­a­vi­da­de, com o V6 bi­tur­bo e a uni­da­de elé­tri­ca a al­ter­na­rem-se ou a com­ple­men­ta­rem-se na lo­co­mo­ção pa­ra um de­sem­pe­nho mais efi­ci­en­te ou des­por­ti­vo. A ener­gia for­ne­ci­da pe­lo bi­ná­rio com­bi­na­do (700 N.m) pro­por­ci­o­na um po­der de ace­le­ra­ção con­tun­den- te – de­mo­ra so­men­te 3,1 se­gun­dos de 80 a 120 km/h –, com a cai­xa PDK a tor­nar tu­do flui­do e bem ave­lu­da­do. Em mo­men­tos mais apres­sa­dos, o go­zo es­tá em pi­sar for­te e sen­tir que o res­tan­te trân­si­to ‘en­gre­nou mar­cha-atrás’, tal a fú­ria que os 462 CV con­se­guem im­por. Os anun­ci­a­dos 275 km/h es­pe­lham bem o ‘cam­pe­o­na­to’ de pres­ta­ções des­te Sport Tu­ris­mo, que usu­frui de um ai­le­ron ati­vo no te- ja­di­lho, pa­ra ga­ran­tir mai­or efi­ci­ên­cia ae­ro­di­nâ­mi­ca e es­ta­bi­li­da­de. Além de ado­tar di­ver­sos ân­gu­los em fun­ção da ve­lo­ci­da­de e do mo­do de con­du­ção, es­te ai­le­ron as­su­me o pa­pel de air­bra­ke nas tra­va­gens de emer­gên­cia, ge­ran­do uma car­ga que po­de che­gar aos 50 kg.

Ape­sar de to­dos es­tes pre­di­ca­dos, o pe­so é um fa­tor na di­nâ­mi­ca des­ta car­ri­nha, al­go con­tor­na­do pe­la sus­pen­são

Com o fim da era Di­e­sel, sis­te­mas hí­bri­dos ga­so­li­na-elé­tri­co são o fu­tu­ro ime­di­a­to da lo­co­mo­ção pa­ra mo­de­los da Pors­che

pneu­má­ti­ca e pe­lo amor­te­ci­men­to ati­vo PASM. Gra­ças a is­to, o chas­sis res­pon­de com acu­ti­lân­cia e pre­ci­são às or­dens da di­re­ção (bas­tan­te di­re­ta), e o re­sul­ta­do é uma so­ber­ba sen­sa­ção de con­tro­lo e uma ca­pa­ci­da­de de cur­var a ve­lo­ci­da­des im­pró­pri­as pa­ra um au­to­mó­vel des­te por­te. Po­de não ser o mais ágil – ca­so ti­ves­se di­re­ção in­te­gral se­ria bri­lhan­te –, mas mu­da de di­re­ção com uma con­vic­ção es­ton­te­an­te, pe­lo que mes­mo em per­cur­sos mais si­nu­o­sos os mais de 2.200 kg de ta­ra es­tão bem es­ca­mo­te­a­dos. A tra­va­gem, su­por­ta­da por um quar­te­to de

dis­cos em com­pó­si­to, ven­ti­la­dos e per­fu­ra­dos – com ma­xi­las de 6 êm­bo­los à fren­te 4 atrás –, é po­ten­te e re­sis­ten­te à fa­di­ga, au­men­tan­do a sen­sa­ção de se­gu­ran­ça, so­bre­tu­do a rit­mos bem ele­va­dos.

Por­tan­to, se pro­cu­ra um pre­tex­to pa­ra jun­tar pres­ta­ções bem des­por­ti­vas num pa­co­te de vo­ca­ção mais fa­mi­li­ar, pe­lo pre­ço cer­to o Pa­na­me­ra Sport Tu­ris­mo é uma das me­lho­res op­ções da atu­a­li­da­de. Nes­ta mo­to­ri­za­ção, e des­de que bem ex­plo­ra­do, tem o con­dão de ofe­re­cer ex­ce­len­tes con­su­mos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.