Con­tac­to Audi A1 Sport­back

A se­gun­da ge­ra­ção do Audi A1 li­ber­ta-se do ró­tu­lo de ‘veí­cu­lo de aces­so’ pa­ra ga­nhar ma­tu­ri­da­de e mo­der­ni­zar-se em to­dos os seus as­pe­tos. A sua che­ga­da ao mer­ca­do na­ci­o­nal es­tá mar­ca­da pa­ra o ou­to­no

Altagama Motor (Portugal) - - Sumário - Ka­ram el She­nawy

A no­va ge­ra­ção do A1 pas­sa a es­tar dis­po­ní­vel ape­nas com cin­co por­tas e uma ati­tu­de mais des­por­ti­va

In­de­pen­den­te­men­te do mo­ti­vo, nem to­dos po­de­mos op­tar por um au­to­mó­vel da mar­ca dos qua­tro anéis, da hé­li­ce, do fe­li­no ou da es­tre­la – Audi, BMW, Ja­guar e Mer­ce­des-benz, res­pe­ti­va­men­te. Por es­se mo­ti­vo, em 2010, a Audi de­ci­diu dar o sal­to pa­ra o seg­men­to dos uti­li­tá­ri­os, pois era aque­le que, jun­ta­men­te com o dos com­pac­tos, mai­o­res ven­das re­gis­ta­va. Is­to, até à apa­ri­ção dos SUV… E as­sim nas­ceu o A1, ten­do co­mo ba­se me­câ­ni­ca o seu pri­mo Volkswa­gen Po­lo. Oi­to anos e 830.000 uni­da­des de­pois, o mais com­pac­to dos Audi re­no­va-se por com­ple­to.

Fo­mos co­nhe­cer em pri­mei­ra mão es­ta se­gun­da ge­ra­ção, nu­ma ve­lha e aban­do­na­da ofi­ci­na de com­boi­os, on­de, sem dú­vi­da, era uma pe­ça con­tras­tan­te: fren­te a tu­do o que é an­ti­go, es­ban­ja mo­der­ni­da­de, in­cluin­do o seu an­te­ces­sor. Pa­ra is­so, os es­ti­lis­tas ale­mães não só fi­ze­ram cres­cer as di­men­sões – 56 mi­lí­me­tros no com­pri­men­to e 34 mm na lar­gu­ra, re­du­zin­do a al­tu­ra em 13 mm –, co­mo tam­bém se de­ram ao lu­xo de re­to­car a pre­cei­to al­guns as­pe­tos cru­ci­ais, co­mo a in­te­gra­ção de to­dos os ele­men­tos do pa­ra-cho­ques ou da tra­sei­ra. Na fren­te, a gre­lha sin­gle­fra­me, mais bai­xa e am­pla, pas­sa a ser oc­to­go­nal, sen­do la­de­a­da por no­vos fa­róis em LED (op­ci­o­nais) e uma as­si­na­tu­ra lu­mi­no­sa diur­na iné­di­ta. As en­tra­das de ar so­bre­di­men­si­o­na­das, o ca­pot com ner­vu­ras mais pro­nun­ci­a­das e as três aber­tu­ras horizontais – por ci­ma da gre­lha, ao es­ti­lo do Audi Sport quat­tro – com­ple­tam o vi­su­al na di­an­tei­ra. E a in­fluên­cia do mí­ti­co mo­de­lo des­por­ti­vo não se fi­cou por aí, no­tan­do-se tam­bém no pi­lar C mais lar­go e in­cli­na­do. A sec­ção pos­te­ri­or, por seu tur­no, ga­nha po­de­rio, com um pa­ra-cho­ques vo­lu­mo­so, gru­pos óti­cos mais lar­gos e es­ti­li­za­dos e um di­fu­sor de gran­des di­men­sões que ocul­ta os es­ca­pes – com

ex­ce­ção à ver­são de 200 CV. Se lhe acres­cen­tar­mos um ele­va­do grau de per­so­na­li­za­ção, po­de­re­mos con­cluir que os 4,03 me­tros do vis­to­so A1 Sport­back, o úni­co dis­po­ní­vel (pois a car­ro­ça­ria de três por­tas de­sa­pa­re­ce), es­tão des­ti­na­dos a ser uma das re­fe­rên­ci­as do seg­men­to.

Qua­li­da­de di­gi­tal

Ao abrir as por­tas da­mos con­ta do gran­de sal­to qua­li­ta­ti­vo pro­ta­go­ni­za­do pe­lo A1 re­la­ti­va­men­te ao seu an­te­ces­sor, so­bre­tu­do se fa­lar­mos tam­bém da ver­ten­te tec­no­ló­gi­ca. Her­da o ecrã cen­tral dos ir­mãos A8, A7 Sport­back, A6 e Q8, ex­ce­ção fei­ta à fun­ção ca­pa­ci­ti­va (vi­bra­ção) ao to­que. De sé­rie, es­te tem 8,8 po­le­ga­das, mas em op­ção po­der ser de 10,25 po­le­ga­das – tal co­mo sur­ge nas ima­gens. O pai­nel de ins­tru­men­tos di­gi­tal Audi vir­tu­al cock­pit con­fi­gu­rá­vel, de 12,5 po­le­ga­das, se­rá stan­dard em to­das as ver­sões, adi­ci­o­nan­do a fun­ção de na­ve­ga­ção quan­do es­co­lhi­do o sis­te­ma MMI Na­ve­ga­ção Plus. Ape­sar da apos­ta di­gi­tal, o A1 Sport­back não re­nun­cia to­tal­men­te aos bo­tões fí­si­cos, dis­pon­do, por ou­tro la­do, de ilu­mi­na­ção con­fi­gu­rá­vel nu­ma ga­ma alar­ga­da de co­res. Es­te pack op­ci­o­nal de con­tor­no e am­bi­en­te as­se­gu­ra, atra­vés de 30 ele­men­tos de LED, um ha­bi­tá­cu­lo mais lu­mi­no­so, re­al­çan­do o de­sign in­te­ri­or.

A ha­bi­ta­bi­li­da­de é um ar­gu­men­to de pe­so nes­ta ge­ra­ção, cres­cen­do fa­ce ao seu an­te­ces­sor. Atrás, há es­pa­ço pa­ra dois adul­tos com al­tu­ra em re­dor dos 1,85 me­tros, en­quan­to a ba­ga­gei­ra al­can­ça ago­ra os 335 li­tros na con­fi­gu­ra­ção ba­se (ali­nha­do com mui­tos dos seus con­cor­ren­tes), ou se­ja, mais 65 li­tros. A sua ca­pa­ci­da­de po­de che­gar aos 1090 li­tros com o re­ba­ti­men­to dos ban­cos tra­sei­ros.

Ou­tra no­vi­da­de é a ofer­ta me­câ­ni­ca, que se des­pe­de por com­ple­to do ga­só­leo, em con­so­nân­cia com a po­lí­ti­ca ca­da vez mais evi­den­te do gru­po ger­mâ­ni­co. No mo­men­to da sua che­ga­da, pre­vis­ta pa­ra o ou­to­no, as úni­cas si­glas que exis­ti­rão na ga­ma se­rão as TFSI, re­fe­ren­tes à pro­pul­são a ga­so­li­na. Es­tão pre­vis­tos três blo­cos, com a so­lu­ção de en­tra­da a fa­zer-se com a uni­da­de de 1,0 li­tros e três ci­lin­dros em dois ní­veis de po­tên­cia: 95 CV e 116 CV, res­pe­ti­va­men­te 25 TFSI e 30 TFSI. Se­guem-se dois mo­to­res de qua­tro ci­lin­dros, o 1.5

O A1 cres­ce em di­men­sões e es­tá mais es­ti­li­za­do nos por­me­no­res da car­ro­ça­ria

de 150 CV (35 TFSI) e o 2.0 de 200 CV (40 TFSI).

To­dos eles es­ta­rão as­so­ci­a­dos a uma cai­xa ma­nu­al de seis ve­lo­ci­da­des ou au­to­má­ti­ca S tro­nic de se­te ve­lo­ci­da­des, com ex­ce­ção da ver­são 40 TFSI, que ape­nas es­ta­rá dis­po­ní­vel com a cai­xa au­to­má­ti­ca.

Se­gu­ran­ça me­lho­ra­da

No­ta ain­da pa­ra o equi­pa­men­to de se­gu­ran­ça, com o A1 Sport­back a dis­por das mais re­cen­tes tec­no­lo­gi­as nes­ta ma­té­ria, co­mo o avi­so de saí­da in­vo­lun­tá­ria de fai­xa, com cor­re­ção da di­re­ção e aler­tas por vi­bra­ção no vo­lan­te. Ou­tro equi­pa­men­to dig­no de re­gis­to é o Adap­ti­ve Spe­ed As­sist, que na prá­ti­ca é um crui­se con­trol adap­ta­ti­vo que man­tém a dis­tân­cia pa­ra o veí­cu­lo da fren­te atra­vés de tec­no­lo­gia de ra­dar. O sis­te­ma tem fun­ci­o­na­men­to en­tre os 30 e os 200 km/h.

Por en­quan­to, ain­da não exis­tem pre­ços pa­ra o no­vo A1, mas sa­be-se que te­rá ní­veis de equi­pa­men­to ba­se, ad­van­ced e S li­ne. A per­so­na­li­za­ção te­rá for­te pre­pon­de­rân­cia, dis­pon­do de dez co­res de car­ro­ça­ria com pos­si­bi­li­da­de de ter te­ja­di­lho em cor con­tras­tan­te en­tre o pi­lar A e o spoi­ler do te­ja­di­lho.

No in­te­ri­or so­bres­sa­em as res­sal­ta a boa ha­bi­ta­bi­li­da­de tra­sei­ra O A1 dei­xa de ter mo­to­res Di­e­sel, sen­do a ofer­ta com­ple­ta com uni­da­des ga­so­li­na de 95 a 200 CV

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.