Ga­ma suv hyun­dai Fa­mí­lia aven­tu­rei­ra

A ga­ma SUV da Hyun­dai apre­sen­ta co­mo no­vi­da­des a no­va ge­ra­ção San­ta Fe, o re­no­va­do Tuc­son e a ver­são Di­e­sel do Kau­ai. Três ir­mãos que par­ti­lham um ADN aven­tu­rei­ro, que ti­ve­mos opor­tu­ni­da­de de ex­pe­ri­men­tar sob o sol tór­ri­do da Ca­ta­lu­nha.

Altagama Motor (Portugal) - - Contacto -

Num dia de ca­lor in­ten­so na ca­pi­tal da Ca­ta­lu­nha, a Hyun­dai co­lo­cou a car­ne to­da no as­sa­dor e apre­sen­tou de uma as­sen­ta­da to­das as no­vi­da­des na ga­ma SUV. A no­va ge­ra­ção do San­ta Fe e os re­no­va­dos Tuc­son e Kau­ai fo­ram os com­pa­nhei­ros de uma tar­de na es­tra­da.

O mai­or dos SUV, o San­ta Fe, é com­ple­ta­men­te no­vo e é o pri­mei­ro a ser tes­ta­do. Não dei­xa de ser no­tó­ria a evo­lu­ção no re­quin­te de um ha­bi­tá­cu­lo que, ago­ra, pas­sa a in­cluir sem­pre a ter­cei­ra fi­la de ban­cos. A qua­li­da­de de cons­tru­ção es­tá mui­to pró­xi­ma do que de me­lhor se faz na in­dús­tria au­to­mó­vel, com por­me­no­res co­mo a li­nha do ta­bli­er que se pro­lon­ga pe­las por­tas a fa­zer lem­brar… o Audi R8. O mai­or SUV da Hyun­dai tem um as­pe­to vo­lu­mo­so e um de­sign mais agres­si­vo, com a gre­lha Cas­ca­ding que faz par­te do ADN vi­su­al dos SUV da Hyun­dai. A dis­tân­cia en­tre ei­xos cres­ceu 70 mm (2765 mm), num mo­de­lo que apre­sen­ta 4,77 me­tros de com­pri­men­to e 1,89 de lar­gu­ra.

Das vá­ri­as ver­sões à pro­va, ex­pe­ri­men­tá­mos o 2.2 CRDI de 200 CV com cai­xa au­to­má­ti­ca de oi­to ve­lo­ci­da­des e tra­ção in­te­gral, em­bo­ra es­te mo­tor tam­bém es­te­ja dis­po­ní­vel nas va­ri­an­tes 4×2 ou 4×4 com cai­xa ma­nu­al de seis re­la­ções. Ape­sar de ain­da não ha­ver pre­ços, vão exis­tir du­as ver­sões Di­e­sel 2.0

CRDI, uma com 150 CV e ou­tra com 185 CV, en­quan­to a va­ri­an­te a ga­so­li­na é as­se­gu­ra­da pe­lo blo­co 2.4 GDI de 185 CV.

Co­mo qual­quer SUV atu­al, o San­ta Fe con­duz-se com gran­de fa­ci­li­da­de e, ape­sar das di­men­sões e pe­so, man­tém uma pos­tu­ra se­re­na, mes­mo em per­cur­sos si­nu­o­sos. A car­ro­ça­ria não es­con­de al­gum ba­lan­ço em rit­mo vi­vo, mas o ní­vel de ade­rên­cia e a sen­sa­ção de se­gu­ran­ça es­tão sem­pre num bom pa­ta­mar.

O ha­bi­tá­cu­lo am­plo per­mi­te boa vi­si­bi­li­da­de pa­ra trás, gra­ças à di­mi­nui­ção do ta­ma­nho dos pi­la­res pos­te­ri­o­res, e há no­vi­da­des no equi­pa­men­to, co­mo o ecrã sa­li­en­te no meio do ta­bli­er, que po­de ser de 7 ou 8 po­le­ga­das, e o he­ad-up dis­play, com pro­je­ção no pa­ra-bri­sas.

Tuc­son re­no­va­do

O se­gun­do SUV a ser ex­pe­ri­men­ta­do foi o re­no­va­do Tuc­son. Não se tra­ta de uma ge­ra­ção pro­pria- men­te no­va, mas sur­ge com ar­gu­men­tos re­for­ça­dos de for­ma a man­ter a boa car­rei­ra co­mer­ci­al da­que­le que é o SUV mais ven­di­do da mar­ca co­re­a­na.

Por fo­ra tu­do foi re­de­se­nha­do, des­de os pa­ra-cho­ques, gre­lha e por­ta da ma­la até aos fa­róis com tec­no­lo­gia LED.

Por den­tro sen­te-se o in­ves­ti­men­to da mar­ca em apro­xi­mar­se de pa­drões de qua­li­da­de pra­ti­ca­do pe­las re­fe­rên­ci­as, não só na tex­tu­ra dos ma­te­ri­ais e dos aca­ba- men­tos, mas tam­bém em ter­mos de er­go­no­mia. Tal co­mo no San­ta Fe, tam­bém exis­te um ecrã tá­til cen­tral com di­men­sões que vão das 5 até às 8 po­le­ga­das, um car­re­ga­dor de smartpho­nes por in­du­ção e li­ga­ção Ap­ple Car­play e An­droid Au­to.

Sen­te-se a me­lho­ria de qua­li­da­de e er­go­no­mia no Tuc­son

A mai­or re­vo­lu­ção no ‘no­vo’ Tuc­son acon­te­ceu na me­câ­ni­ca, no­me­a­da­men­te com a in­tro­du­ção do blo­co 1.6 CRDI – ver­sões de 115 e 136 CV – que vem subs­ti­tuir o an­te­ri­or Di­e­sel de 1,7 li­tros. Em­bo­ra os res­pon­sá­veis da Hyun­dai de­fen­dam que os mo­to­res a ga­só­leo são a so­lu­ção mais ade­qua­da pa­ra a fi­lo­so­fia dos seus SUV, exis­tem dois pro­pul­so­res a ga­so­li­na, o at­mos­fé­ri­co 1.6 GDI, de 132 CV, e o so­bre­a­li­men­ta­do 1.6 T-GDI de 177. Ou­tra no­vi­da­de é a in­tro­du­ção de uma ver­são Di­e­sel mild hy­brid, com trans­mis­são au­to­má­ti­ca de 8 re­la­ções, aco­pla­da a um mo­tor 2.0 CRDI de 185 CV as­sis­ti­do por uma ba­te­ria de 48V, a qual aju­da na ace­le­ra­ção, mas não per­mi­te ro­lar em mo­do elé­tri­co.

O Tuc­son que nos acom­pa­nhou du­ran­te a apre­sen­ta­ção in­ter­na­ci­o­nal es­ta­va equi­pa­do com o mo­tor 1.6 CRDI de 136 CV, que ape­sar de so­lí­ci­to, não es- con­de al­gum es­for­ço pa­ra mo­ver os mais de 1.600 kg de pe­so nos bai­xos re­gi­mes, já que de­pois da inér­cia ini­ci­al ven­ci­da, con­ven­ce pe­la uti­li­za­ção e, cla­ro, pe­los con­su­mos con­ti­dos.

Kau­ai com ver­são Di­e­sel

Com a in­tro­du­ção do mo­tor 1.6 CRDI no Tuc­son, a Hyun­dai apro­vei­tou pa­ra alar­gar a ofer­ta da ga­ma Kau­ai com es­ta uni­da­de, tam­bém nas ver­sões de 115 e 136 CV.

O me­nos po­ten­te só po­de es­tar equi­pa­do com tra­ção di­an­tei­ra e cai­xa ma­nu­al de seis ve­lo­ci­da­des, en­quan­to a ver­são de 136 CV já po­de ser es­co­lhi­da com tra­ção às qua­tro ro­das e cai­xa au­to­má­ti­ca de du­pla em­brai­a­gem de se­te re­la­ções, a qual po­de me­lho­rar os con­su­mos em cer­ca de 20% fa­ce à ver­são a ma­nu­al.

A ver­são Di­e­sel mais aces­sí­vel do Kau­ai vai es­tar dis­po­ní­vel já a par­tir do mês de agosto com pre­ços que co­me­çam nos 25.700€.

Ber­nar­do Gon­za­lez

O San­ta Fe con­ta com um de­sign mais agres­si­vo e pa­ta­ma­res de qua­li­da­de su­pe­ri­o­res fa­ce à ge­ra­ção an­te­ri­or

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.