Quais as prai­as em que é per­mi­ti­do e proi­bi­do le­var cães?

Nes­ta al­tu­ra do ano há uma dú­vi­da que as­so­la os do­nos: Exis­tem prai­as ca­ni­nas em Por­tu­gal? E quais as prai­as em que é per­mi­ti­do e proi­bi­do le­var cães?

Caes & Companhia - - Nesta Edição -

Vá­ri­os paí­ses já pos­su­em prai­as ca­ni­nas, es­tas são um des­ti­no pre­fe­ren­ci­al pa­ra os do­nos que que­rem usu­fruir da pre­sen­ça do seu com­pa­nhei­ro. Em Por­tu­gal te­mos du­as prai­as ca­ni­nas, mas es­pe­ra­mos ter mais bre­ve­men­te!

Pe­ni­che

A pri­mei­ra praia do país pa­ra per­ma­nên­cia e cir­cu­la­ção de cães foi inau­gu­ra­da em Pe­ni­che, em agos­to de 2016. O es­pa­ço es­co­lhi­do foi a praia do Por­to da Areia Nor­te, uma área com cer­ca de 80 me­tros de ex­ten­são, na mar­gi­nal que le­va ao Ca­bo Car­vo­ei­ro, e on­de a au­tar­quia in­ves­tiu “cer­ca de 2.500 eu­ros em dis­pen­sa­do­res de sacos (pa­ra re­co­lha de de­je­tos), na co­lo­ca­ção de si­na­lé­ti­ca e na afi­xa­ção de edi­tais com as re­gras de fun­ci­o­na­men­to”, dis­se, na oca­sião, à Lu­sa o pre­si­den­te da Câ­ma­ra de Pe­ni­che, An­tó­nio Jo­sé Cor­reia.

Viana do Castelo

A se­gun­da praia pa­ra cães foi inau­gu­ra­da a 15 de ju­nho de 2017, em Viana do Castelo,

na praia do Co­ral. A praia pa­ra cães do Co­ral es­tá si­tu­a­da em área sob ju­ris­di­ção do por­to de mar de Viana do Castelo. A cri­a­ção da­que­le es­pa­ço re­sul­tou de uma par­ce­ria en­tre a Ad­mi­nis­tra­ção dos Por­tos do Dou­ro, Lei­xões e Viana (APDL), da Câ­ma­ra Mu­ni­ci­pal, da Ca­pi­ta­nia lo­cal e de uma as­so­ci­a­ção lo­cal de de­fe­sa dos ani­mais, a Vi­la Animal. Os cães têm de usar tre­la e de es­tar re­gis­ta­dos. Cães de ra­ças po­ten­ci­al­men­te pe­ri­go­sas têm obri­ga­to­ri­a­men­te de usar açai­me.

Es­po­sen­de

No âm­bi­to do Pla­no Es­tra­té­gi­co Mu­ni­ci­pal pa­ra o Bem-es­tar Animal, a Câ­ma­ra Mu­ni­ci­pal de Es­po­sen­de pre­ten­de abrir du­as prai­as pa­ra cães, uma na Apú­lia e ou­tra nas Ma­ri­nhas. A au­tar­quia con­ta­va ter tu­do pron­to até ao fi­nal do mês de ju­nho, mas à da­ta de fe­cho des­ta edi­ção ain­da não ti­nham si­do inau­gu­ra­das.

Épo­ca bal­ne­ar 2018

Pa­ra sa­ber as da­tas da Épo­ca Bal­ne­ar das

prai­as que lhe in­te­res­sam con­sul­te a Por­ta­ria n.º 118-A/2018 de 2 de maio. Du­ran­te a épo­ca bal­ne­ar não po­dem ser le­va­dos pa­ra a praia ani­mais, se­ja em que al­tu­ra do dia for. Fo­ra des­te pe­río­do, não exis­tin­do con­ces­são, não exis­te in­ter­di­ção. https://dre.pt/ap­pli­ca­ti­on/fi­le/ a/115200774

Prai­as con­ces­si­o­na­das

Pa­ra per­ce­ber se o nos­so cão nos po­de fa­zer com­pa­nhia nu­ma ida à praia, te­mos de sa­ber se a praia pa­ra on­de va­mos é con­ces­si­o­na­da ou não. As prai­as con­ces­si­o­na­das são prai­as em que de­ter­mi­na­da área (que po­de ser a área to­tal da praia ou ape­nas uma área par­ci­al) es­tá li­cen­ci­a­da ou au­to­ri­za­da pa­ra a prestação de ser­vi­ços aos uten­tes por uma en­ti­da­de pri­va­da. São ge­ral­men­te aque­las prai­as que têm ba­res de praia ou res­tau­ran­tes. Nes­tes ca­sos, a ges­tão da praia (os mei­os de vi­gi­lân­cia, os mei­os de so­cor­ro ou os equi­pa­men­tos) é le­va­da a ca­bo pe­lo seu con­ces­si­o­ná­rio, e a fis­ca­li­za­ção

des­tes are­ais é fei­ta pe­la Po­lí­cia Ma­rí­ti­ma. Re­gra ge­ral, o aces­so às prai­as con­ces­si­o­na­das é in­ter­di­to du­ran­te to­da a Épo­ca Bal­ne­ar, coin­ci­den­te com a épo­ca de con­ces­são.

Prai­as não con­ces­si­o­na­das

Nas prai­as não con­ces­si­o­na­das não é tão co­mum a proi­bi­ção de en­tra­da e per­ma­nên­cia de cães.

Nes­tas prai­as pa­ra que a proi­bi­ção de cir­cu­la­ção de cães se­ja le­gí­ti­ma, te­rá de exis­tir si­na­lé­ti­ca apro­pri­a­da nos lo­cais em que se pre­ten­da res­trin­gir o aces­so aos ani­mais na praia. A fis­ca­li­za­ção des­tas prai­as é da res­pon­sa­bi­li­da­de da Po­lí­cia Mu­ni­ci­pal. Pa­ra que o seu animal não pos­sa fre­quen­tar a praia em ques­tão, têm de ve­ri­fi­car-se dois re­qui­si­tos cu­mum­la­ti­vos: a si­na­lé­ti­ca apro­pri­a­da nas zo­nas que se que­rem/ têm co­mo in­ter­di­tas e o Edi­tal à en­tra­da da zo­na con­ces­si­o­na­da. Mes­mo que um exis­ta sem o ou­tro, não se ve­ri­fi­ca o im­pe­di­men­to.

Se­ja exi­gen­te com a si­na­lé­ti­ca, por­que mui­tas ve­zes a mes­ma não é vá­li­da e é uti­li­za­da com efei­tos me­ra­men­te dis­su­a­so­res, es­pe­ci­al­men­te em prai­as não con­ces­si­o­na­das!

Cães de as­sis­tên­cia

Ex­ce­ção a es­ta res­tri­ção à en­tra­da de ani­mais nas prai­as são os cha­ma­dos “cães de as­sis­tên­cia”, uma vez que a es­tes não po­dem ser apli­ca­das quais­quer res­tri­ções, po­den­do fre­quen­tar to­dos os lo­cais on­de o seu do­no se en­con­tre.

Coi­mas apli­cá­veis

Se se tra­tar de uma praia cu­ja si­na­lé­ti­ca se­ja le­gí­ti­ma e te­nha o de­vi­do Edi­tal de in­ter­di­ção não po­de le­var o seu cão pa­ra o are­al.

As coi­mas apli­cá­veis po­dem che­gar aos 2.500€. ■

Mar­ta Man­ta Fo­to: Shut­ters­tock

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.