Ein dumm­kopf in Hel­sin­ki*

Correio da Manha - - Opinião - ALFREDO LEI­TE JOR­NA­LIS­TA

Quem, co­mo eu, fez jor­na­lis­mo no Por­to du­ran­te os man­da­tos de Rui Rio ce­do per­ce­beu que a pre­ga­ção da mo­ral pe­lo au­tar­ca con­tra po­lí­ti­cos, fun­ci­o­ná­ri­os ca­ma­rá­ri­os, di­ri­gen­tes des­por­ti­vos e, so­bre­tu­do, jor­na­lis­tas so­a­va a opor­tu­nis­mo de oca­sião. En­tão, Rio só enganou in­gé­nu­os e dis­traí­dos. O tem­po veio dar ra­zão aos ou­tros.

Con­fron­ta­do com a rein­ci­dên­cia do seu se­cre­tá­rio-ge­ral e o fan­tas­ma­gó­ri­co pon­to pi­ca­do em reu­niões par­la­men­ta­res em que não participou, o ago­ra pre­si­den­te do PSD diz tra­tar-se de uma “ques­tiún­cu­la”. Nou­tros tem­pos, tal­vez o mo­ra­li­za­dor au­tar­ca dei­xas­se cair Jo­sé Sil­va­no, mas a mo­ral de Rio sa­be que a sua frágil e opa­ca car­rei­ra co­mo lí­der da opo­si­ção di­fi­cil­men­te re­sis­ti­ria a no­va tra­pa­lha­da na sua se­cre­ta­ria-ge­ral de­pois do atro­pe­lo éti­co com o cur­ri­cu­lum de Bar­rei­ras Du­ar­te, an­te­ces­sor no car­go.

Ques­ti­o­na­do em Hel­sín­quia pe­la CMTV so­bre o fac­to de a PGR es­tar a ava­li­ar o com­por­ta­men­to de Sil­va­no, Rio op­tou por na­da di­zer... em alemão. É uma ar­ro­gân­cia (ton­ta)* que tam­bém não sur­pre­en­de quem o co­nhe­ce do al­mo­xa­ri­fa­do por­tu­en­se. E só pro­va que o “ba­nho de éti­ca” que tan­to de­fen­de se es­tá a trans­for­mar nu­ma ba­nha­da.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.