As com­pen­sa­ções são di­fí­ceis de ob­ter

Tri­bu­nal de Con­tas Eu­ro­peu (TCE) aler­ta pa­ra cons­tran­gi­men­tos im­pos­tos aos pas­sa­gei­ros. Go­ver­no lu­so ten­ta evi­tar mul­ta por fai­xas ho­rá­ri­as nos ae­ro­por­tos

Destak - - ATUALIDADE - JOÃO MONIZ jmo­niz@des­tak.pt

Na te­o­ria es­tá tu­do bem, com os di­rei­tos dos pas­sa­gei­ros aé­re­os na UE bem pro­te­gi­dos com o re­gu­la­men­to EC 261, que pre­vê in­dem­ni­za­ções até 600 eu­ros por atra­sos ou can­ce­la­men­tos de vo­os. O pro­ble­ma es­tá na prá­ti­ca.

Num no­vo re­la­tó­rio, que o Des­tak con­sul­tou, o TCE es­cre­ve que «os pas­sa­gei­ros da UE dis­põem de am­plos di­rei­tos, mas ain­da pre­ci­sam de lu­tar por eles». A pri­mei­ra di­fi­cul­da­de é o des­co­nhe­ci­men­to que sub­sis­te en­tre os con­su­mi­do­res, le­van­do a que es­tes não re­cla­mem pe­los seus di­rei­tos.

O se­gun­do obs­tá­cu­lo es­tá re­la­ci­o­na­do com os cons­tran­gi­men­tos im­pos­tos pe­las com­pa­nhi­as aé­re­as. Mui­tas ig­no­ram as queixas e pe­di­dos de in­dem­ni­za­ção dos seus pas­sa­gei­ros até que es­tes re­cor­rem a uma ter­cei­ra iden­ti­da­de. O que le­va o TCE a des­ta­car o con­tri­bu­to das agên­ci­as de com­pen­sa­ções e dos ór­gãos al­ter­na­ti­vos de re­so­lu­ção de li­tí­gi­os.

Es­te ór­gão eu­ro­peu aler­ta, por úl­ti­mo, que re­du­zir os cus­tos de as­sis­tên­cia e com­pen­sa­ção su­por­ta­dos pe­las trans­por­ta­do­ras, bem co­mo au­men­tar os tem­pos de es­pe­ra de 3 pa­ra 5 ho­ras, ba­seia-se em da­dos mui­to li- mi­ta­dos que fo­ram for­ne­ci­dos à Co­mis­são Eu­ro­peia pe­las par­tes in­te­res­sa­das: as com­pa­nhi­as.

Al­te­ra­ção nas fai­xas ho­rá­ri­as

A Co­mis­são Eu­ro­peia de­ci­diu ins­tau­rar uma ação no Tri­bu­nal de Jus­ti­ça da UE de­pois de Por­tu­gal não ter to­ma­do as me­di­das ne­ces­sá­ri­as pa­ra cum­prir as nor­mas co­muns da UE re­la­ti­vas à atri­bui­ção de fai­xas ho­rá­ri­as nos ae­ro­por­tos. Em cau­sa es­tá uma mul­ta de 1,849 mi­lhões de eu­ros, acres­ci­da de 7452 eu­ros por ca­da dia que o Es­ta­do não exe­cu­te o acór­dão.

Uma pe­na­li­za­ção que o Go­ver­no por­tu­guês es­pe­ra evi­tar de­pois de on­tem ter apro­va­do um no­vo mo­de­lo pa­ra a ges­tão das cha­ma­das ‘slots’. Na prá­ti­ca, a atri­bui­ção de va­ga nas pis­tas na­ci­o­nais pa­ra par­ti­das e che­ga­das pas­sa das mãos da ANA - Ae­ro­por­tos pa­ra uma en­ti­da­de co­or­de­na­do­ra in­de­pen­den­te e sem fins lu­cra­ti­vos.

Ges­tão das ‘slots’ pa­ra aviões era fei­ta pe­la ANA, vis­ta co­mo par­te in­te­res­sa­da

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.