Em­pre­sas te­rão de con­tra­tar mais de­fi­ci­en­tes

Em­pre­sas de mé­dia e gran­de di­men­são obri­ga­das a con­tra­tar en­tre 1% e 2% de pes­so­as com de­fi­ci­ên­cia

Destak - - ATUALIDADE - JOÃO MO­NIZ Com Agên­cia Lu­sa

Foi on­tem pu­bli­ca­do o no­vo re­gi­me que es­ta­be­le­ce o sis­te­ma de quo­tas de em­pre­go pa­ra pes­so­as com de­fi­ci­ên­cia (com um grau de in­ca­pa­ci­da­de igual ou su­pe­ri­or a 60%), que a par­tir de 1 de fe­ve­rei­ro to­das as em­pre­sas pú­bli­cas ou pri­va­das de mé­dia ou gran­de di­men­são te­rão de cumprir. As em­pre­sas com um nú­me­ro igual ou su­pe­ri­or a 75 em­pre­ga­dos de­vem con­tra­tar pe­lo me­nos 1% de tra­ba­lha­do­res com de­fi­ci­ên­cia, en­quan­to as em­pre­sas de gran­de di­men­são (mais de 249 fun­ci­o­ná­ri­os) es­tão obri­ga­das a con­tra­tar pe­lo me­nos 2%.

Es­tá pre­vis­to um pe­río­do de tran­si­ção de cin­co anos pa­ra as em­pre­sas com um nú­me­ro de tra­ba­lha­do­res en­tre os 75 e os 100 fun­ci­o­ná­ri­os e de qua­tro anos pa­ra as en­ti­da­des com mais de 100 em­pre­ga­dos. Os em­pre­ga­do­res que, du­ran­te es­te pe­río­do de tran­si­ção, pas­sem a in­te­grar o gru­po das em­pre­sas de mé­dia ou gran­de di­men­são te­rão mais dois anos adi­ci­o­nais pa­ra cumprir a lei.

Con­tra­or­de­na­ções de­fi­ni­das

Quem não cumprir as quo­tas fi­ca su­jei­to a uma con­tra­or­de­na­ção gra­ve. Já o não cum­pri­men­to dos re­qui­si­tos em ma­té­ria de apoi­os téc­ni­cos ou de adap­ta­ção do pos­to de tra­ba­lho im­pli­ca uma con­tra­or­de­na­ção le­ve. O re­gi­me não se aplica às em­pre­sas que com­pro­vem a im­pos­si­bi­li­da­de de o apli­car nos postos de tra­ba­lho ou que não en­con­trem can­di­da­tos com de­fi­ci­ên­cia em nú­me­ro su­fi­ci­en­te ins­cri­tos nos cen­tros de em­pre­go.

© SER­GIO LE­MOS Obri­ga­ção só não tem efeito ca­so não ha­ja ins­cri­tos nos cen­tros de em­pre­go

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.