A tan­ga da hos­pi­ta­li­da­de

Destak - - DESPORTO - JOÃO MA­LHEI­RO Jor­na­lis­ta

Opaís da bo­la va­ti­ci­na­va, qua­se sem re­ser­vas, o triun­fo do FC Por­to em Al­va­la­de e a pro­lep­se de um cam­peão anun­ci­a­do. Eram qua­se du­as de­ze­nas de triun­fos con­se­cu­ti­vos, in­di­ca­ti­vo in­so­fis­má­vel de uma equi­pa pu­jan­te, ta­len­to­sa e ga­nha­do­ra. O Spor­ting con­tra­ri­ou as pre­vi­sões, im­pon­do uma igual­da­de, que até as­sen­tou bem, num des­pi­que sem no­tas ou apon­ta­men­tos de ex­ce­lên­cia, in­clu­si­ve mo­dor­ren­to a lar­gos es­pa­ços.

Ain­da as­sim, ter­mi­na­da es­ta pri­mei­ra vol­ta da com­pe­ti­ção, a tur­ma da ca­pi­tal nor­te­nha des­fru­ta de um avan­ço e de um em­ba­lo pou­co sus­cep­tí­veis de neu­tra­li­za­ção, por mais que Benfica, Bra­ga e Spor­ting se re­cu­sem, le­gi­ti­ma­men­te, a ru­bri­car uma de­cla­ra­ção de re­nún­cia à con­quis­ta do tí­tu­lo na­ci­o­nal.

“O Por­to é o lu­gar on­de pa­ra mim co­me­çam as ma­ra­vi­lhas e to­das as an­gús­ti­as”. A fra­se de So­fia de Mello Brey­ner, nes­ta al­tu­ra, no que ao fu­te­bol diz res­pei­to, pa­re­ce de­sa­jus­ta­da. A ma­ra­vi­lha de um pro­vá­vel bi­cam­pe­o­na­to pa­re­ce bem mais ad­qui­ri­da do que as im­pro­vá­veis an­gús­ti­as do in­su­ces­so. O FC Por­to tem tu­do a seu fa­vor, des­de a qui­e­tu­de da li­de­ran­ça à es­ta­bi­li­da­de as­so­ci­a­ti­va, pas­san­do até pe­la be­ne­vo­lên­cia ex­ces­si­va (Al­va­la­de foi uma iso­la­da an­tí­te­se) do edi­fí­cio que su­pe­rin­ten­de a ar­bi­tra­gem.

Fal­ta a se­gun­da vol­ta da Li­ga. No seu re­du­to, van­ta­gem acres­ci­da, o FC Por­to re­ce­ci­o­na Benfica e Spor­ting. Há anos, mui­tos anos, Ra­ma­lho Or­ti­gão dei­xou es­cri­ta uma re­fle­xão. “O por­tu­en­se não gos­ta de Lis­boa (…); de Lis­boa vin­ga-se, re­ce­ben­do os lis­bo­e­tas com amá­vel hos­pi­ta­li­da­de e com a mais ob­se­qui­a­da bi­zar­ria”. Na bo­la, far­ta cer­te­za, mais ain­da es­te ano, com in­tra­tá­vel hos­pi­ta­li­da­de e com a mais ob­se­qui­a­da au­to­cra­cia. Ain­da que o Bra­ga não me­re­ça ser apa­ga­do do ma­pa dos no­tá­veis, Benfica e Spor­ting só po­dem ter mo­ti­vos pa­ra te­mer sen­ten­ças no púl­pi­to do Dragão.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.