O que foi o mas­sa­cre de sá­ba­do à noi­te e por que se fa­la em Ni­xon?

Edição Público Porto - - MUNDO -

Con­cor­ren­do com os ana­lis­tas po­lí­ti­cos que co­men­ta­vam o sur­pre­en­den­te des­pe­di­men­to do di­rec­tor do FBI, Ja­mes Co­mey, os his­to­ri­a­do­res fo­ram cha­ma­dos a ex­pli­car por que cir­cu­la­vam pe­las re­des so­ci­ais re­fe­rên­ci­as ao #mas­sa­cre­de­sá­ba­doà­noi­te e com­pa­ra­ções de Do­nald Trump com Ri­chard Ni­xon.

O epi­só­dio que fi­cou co­nhe­ci­do co­mo o “mas­sa­cre de sá­ba­do à noi­te” re­fe­re­se à de­ci­são, co­mu­ni­ca­da in­tem­pes­ti­va­men­te pe­lo Pre­si­den­te Ni­xon a 20 de Ou­tu­bro de 1973, de des­pe­dir o pro­cu­ra­dor es­pe­ci­al Ar­chi­bald Cox, que di­ri­gia as in­ves­ti­ga­ções ao ca­so Wa­ter­ga­te. A de­ci­são foi con­si­de­ra­da “di­ta­to­ri­al” pe­lo pro­cu­ra­dor-ge­ral El­li­ot Ri­chard­son e o seu vi­ce Wil­li­am Ruc­kelshaus: os dois re­cu­sa­ram-se a exe­cu­tar a or­dem do Pre­si­den­te — que se tor­nou o exem­plo mai­or de abu­so do po­der exe­cu­ti­vo —, e de­mi­ti­ram-se. Ni­xon aca­ba­ria por so­frer um pro­ces­so de des­ti­tui­ção e re­sig­nar ao car­go an­tes de ser afas­ta­do pe­lo Con­gres­so.

Mas di­zem os es­pe­ci­a­lis­tas, o “mas­sa­cre de ter­ça-fei­ra à tar­de” pro­ta­go­ni­za­do por Do­nald Trump é di­fe­ren­te, até por­que o pro­cu­ra­dor-ge­ral, Jeff Ses­si­ons, foi o pro­po­nen­te da de­mis­são do di­rec­tor do FBI. Ou­tra di­fe­ren­ça é que Do­nald Trump ain­da con­ta com a pro­tec­ção da ban­ca­da do seu par­ti­do, mes­mo se vá­ri­os re­pu­bli­ca­nos cri­ti­ca­ram a sua de­ci­são.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.