Mais 300 mi­lhões de eu­ros pa­ra a Saú­de em 2019

Saú­de, Edu­ca­ção, Ci­ên­cia, Cul­tu­ra, De­fe­sa, Ha­bi­ta­ção e trans­por­tes ur­ba­nos são as apos­tas do Go­ver­no pa­ra 2019

Edição Público Porto - - POLÍTICA - São Jo­sé Al­mei­da

No Or­ça­men­to do Es­ta­do (OE) pa­ra 2019 o Go­ver­no vai apos­tar no in­ves­ti­men­to pú­bli­co. Entre as pri­o­ri­da­des des­te in­ves­ti­men­to de­ve­rá sur­gir a Saú­de, pa­ra ten­tar fa­zer fa­ce ao des­gas­te do Ser­vi­ço Na­ci­o­nal de Saú­de.

Nes­te mo­men­to, es­tá pre­vis­to que o in­ves­ti­men­to em Saú­de se­ja de mais mil mi­lhões de eu­ros do que em 2015, o úl­ti­mo Or­ça­men­to fei­to pe­lo Go­ver­no de Pe­dro Pas­sos Co­e­lho. Es­te va­lor re­pre­sen­ta uma su­bi­da de 300 mi­lhões de eu­ros em re­la­ção a 2018.

O mai­or au­men­to per­cen­tu­al no OE2019 vai pa­ra a Ci­ên­cia e a Cul­tu­ra ve­rá as su­as ver­bas fi­nan­cei­ras su­bi­rem em per­cen­ta­gens iné­di­tas. Pre­vis­to es­tá tam­bém mais di­nhei­ro pa­ra a Edu­ca­ção.

Até a De­fe­sa se­rá uma apos­ta em 2019. An­tó­nio Cos­ta anun­ci­ou nas ce­ri­mó­ni­as da co­me­mo­ra­ção do Dia do Es­ta­do-Mai­or Ge­ne­ral das For­ças Ar­ma­das que o au­men­to or­ça­men­tal pa­ra a De­fe­sa de­ve­rá ser de 1,6%. De acor­do com a ex­pli­ca­ção da­da ao PÚ­BLI­CO por um mem­bro do Go­ver­no, a apos­ta de An­tó­nio Cos­ta é fa­zer a De­fe­sa ser tam­bém mo­tor da es­tra­té­gia de de­sen­vol­vi­men­to in­dus­tri­al.

Sem pôr em cau­sa as re­gras eu­ro­pei­as que obri­gam a concursos in­ter­na­ci­o­nais, o Go­ver­no quer que o cum­pri­men­to dos com­pro­mis­sos com a NATO tenha con­sequên­ci­as na eco­no­mia por­tu­gue­sa — mes­mo que is­so im­pli­que dei­xar pa­ra se­gun­do pla­no o prin­cí­pio de con­tra­tar as em­pre­sas que fa­zem o pre­ço mais bai­xo. Daí es­ta­rem a ser es­tu­da­das soluções que pas­sam, por exem­plo, pe­lo far­da­men­to dos mi­li­ta­res vol­tar a ser fei­to em Por­tu­gal.

O Go­ver­no pre­ten­de tam­bém in­ves­tir na ha­bi­ta­ção e na fer­ro­via e na po­lí­ti­ca de trans­por­tes ur­ba­nos, em que pa­re­ce es­tar ga­ran­ti­da a descida do pre­ço dos pas­ses so­ci­ais a ní­vel na­ci­o­nal.

Des­ta­que-se ain­da que es­tá pre­vis­to pe­lo Go­ver­no a ad­mis­são de mais mil qua­dros na ad­mi­nis­tra­ção pú­bli­ca que se­rão con­tra­ta­dos pa­ra os cen­tros de pla­ne­a­men­to e de con­cep­ção de po­lí­ti­cas dos vá­ri­os mi­nis­té­ri­os e de­par­ta­men­tos de Es­ta­do.

Sem aumentos

Qu­an­to às ne­go­ci­a­ções com os par­cei­ros so­bre as op­ções do OE2019, as pro­pos­tas fei­tas pe­los par­cei­ros par­la­men­ta­res, BE, PCP e PEV, man­têm o ob­jec­ti­vo de re­po­si­ção de ren­di­men­tos e es­tão a ser ne­go­ci­a­das.

Ex­cluí­da es­ta­rá a pos­si­bi­li­da­de de o Go­ver­no ce­der ao BE e ao PCP o au­men­to sa­la­ri­al dos funcionários pú­bli­cos.

Na ad­mi­nis­tra­ção pú­bli­ca os des­con­ge­la­men­tos de­ve­rão pros­se­guir de acor­do com o pre­vis­to já no Or­ça­men­to do Es­ta­do pa­ra 2018. No Go­ver­no há quem fri­se que só o des­con­ge­la­men­to das car­rei­ras dos funcionários pú­bli­cos e o res­pec­ti­vo au­men­to sa­la­ri­al re­pre­sen­ta­rá em 2019 um es­for­ço de cer­ca de mais 3% na despesa do Es­ta­do. O mes­mo res­pon­sá­vel go­ver­na­men­tal lem­bra que, no Pro­gra­ma de Es­ta­bi­li­da­de, en­tre­gue em Bruxelas em Maio, só são pre­vis­tos aumentos sa­la­ri­ais pa­ra os funcionários pú­bli­cos em 2020.

Es­tá tam­bém em es­tu­do pe­lo Go­ver­no as medidas pro­pos­tas pe­lo PCP e pe­lo BE pa­ra a Se­gu­ran­ça So­ci­al, no­me­a­da­men­te mais um au­men­to ex­tra­or­di­ná­rio de pen­sões de re­for­ma. O Go­ver­no po­de­rá tam­bém avan­çar com me­lho­ri­as em pres­ta­ções so­ci­ais co­mo o abo­no de fa­mí­lia e as pres­ta­ções so­ci­ais de in­ser­ção. E con­ti­nu­a­rá a di­mi­nuir a tri­bu­ta­ção no IRS.

A bai­xa do cus­to da factura de elec­tri­ci­da­de é ou­tra me­di­da pro­pos­ta pe­los par­cei­ros de ali­an­ça par­la­men­tar que es­tá a ser ana­li­sa­da. Um mi­nis­tro ga­ran­tiu que “a fis­ca­li­da­de so­bre a ener­gia es­tá a ser vis­ta em con­jun­to”, en­quan­to ou­tro mem­bro do Go­ver­no ad­mi­tiu que es­ta me­di­da po­de­rá não ser ex­ten­sí­vel ao gás.

PAU­LO PI­MEN­TA

Ser­vi­ço Na­ci­o­nal de Saú­de se­rá apos­ta de in­ves­ti­men­to no OE2019

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.