Tra­ba­lha­do­res admitem pe­dir in­sol­vên­cia da Soares da Cos­ta, se PER não for cum­pri­do

“Se a em­pre­sa não cum­prir até fi­nal do mês”, sin­di­ca­to im­pul­si­o­na­rá “um ple­ná­rio de tra­ba­lha­do­res” pa­ra de­ci­dir di­rec­ção a to­mar

Edição Público Porto - - ECONOMIA -

“Mui­tos tra­ba­lha­do­res” da Soares da Cos­ta pre­ten­dem pe­dir a in­sol­vên­cia da em­pre­sa, se até fi­nal de Se­tem­bro con­ti­nu­a­rem sem re­ce­ber os pa­ga­men­tos pre­vis­tos no pro­ces­so es­pe­ci­al de re­vi­ta­li­za­ção (PER), afir­mou on­tem o Sin­di­ca­to da Cons­tru­ção de Por­tu­gal.

“O PER es­tá em in­cum­pri­men­to. A par­tir do fi­nal de Agos­to de­via ser cum­pri­da a pri­mei­ra pres­ta­ção, o que não es­tá a acon­te­cer, e há mui­tos tra­ba­lha­do­res que que­rem pe­dir a in­sol­vên­cia da em­pre­sa, se até fi­nal de Se­tem­bro a si­tu­a­ção não fi­car re­sol­vi­da, con­for­me ga­ran­tiu o pre­si­den­te exe­cu­ti­vo [da cons­tru­to­ra, Jo­a­quim Fi­tas]”, afir­mou Al­ba­no Ri­bei­ro, pre­si­den­te do sin­di­ca­to em de­cla­ra­ções à Lu­sa.

Sa­li­en­tan­do que o sin­di­ca­to “quer fa­zer tu­do pa­ra as­se­gu­rar a vi­a­bi­li­za­ção” da Soares da Cos­ta, es­tan­do mes­mo dis­pos­to a “re­ti­rar o pro­ces­so-crime” que in­terpôs con­tra a em­pre­sa por re­ten­ção das quo­ti­za­ções sin­di­cais dos seus as­so­ci­a­dos, Al­ba­no Ri­bei­ro ad­mi­te, con­tu­do, que “os tra­ba­lha­do­res são so­be­ra­nos”.

“Se a em­pre­sa não cum­prir até fi­nal do mês, va­mos fa­zer um ple­ná­rio de tra­ba­lha­do­res e de­ci­dir que di­rec­ção to­mar”, afir­mou.

An­tes dis­so, o sin­di­ca­to pre­ten­de reunir-se com o mi­nis­tro do Pla­ne­a­men­to e das In­fra-es­tru­tu­ras, Pe­dro Marques, pa­ra “sen­si­bi­li­zar o Go­ver­no pa­ra o lan­ça­men­to de obras im­por­tan­tes — co­mo a fer­ro­via, hos­pi­tais e escolas — às quais a Soares da Cos­ta po­de de­pois con­cor­rer, por­que em Por­tu­gal já não tem obras, só tem em An­go­la”.

“Va­mos pe­dir ho­je uma reu­nião de ca­rác­ter ur­gen­te ao mi­nis­tro, pa­ra a qual con­vi­da­mos tam­bém o pre­si­den­te exe­cu­ti­vo da Soares da Cos­ta e ou­tros par­cei­ros so­ci­ais”, adi­an­tou Al­ba­no Ri­bei­ro.

Se­gun­do o di­ri­gen­te sin­di­cal, o Sin­di­ca­to da Cons­tru­ção re­pre­sen­ta, ac­tu­al­men­te, “mais de 400 tra­ba­lha­do­res” da Soares da Cos­ta, dos quais 233 es­tão com o con­tra­to de tra­ba­lho sus­pen­so, 173 res­cin­di­ram com a em­pre­sa e cer­ca de 70 es­tão em si­tu­a­ção de inac­ti­vi­da­de, ten­do to­dos eles di­ver­sos me­ses (na mai­o­ria dos casos entre se­te a 11 me­ses) de sa­lá­ri­os em atra­so.

Em de­cla­ra­ções es­ta se­ma­na ao jor­nal PÚ­BLI­CO, o pre­si­den­te da ad­mi­nis­tra­ção da cons­tru­to­ra, Jo­a­quim Fi­tas, ad­mi­tiu que as di­fi­cul­da­des cam­bi­ais es­tão “a im­por al­guns atra­sos”, mas ga­ran­tiu que a em­pre­sa é viá­vel, que o pla­no de re­cu­pe­ra­ção vai ser cum­pri­do e que os tra­ba­lha­do­res — que são credores pri­vi­le­gi­a­dos — ve­rão a si­tu­a­ção sa­la­ri­al re­gu­la­ri­za­da até ao fi­nal do mês. Em de­cla­ra­ções, on­tem, à agên­cia, fon­te ofi­ci­al da cons­tru­to­ra rei­te­rou a intenção de re­gu­la­ri­zar “até ao fi­nal do mês” o pla­no de pa­ga­men­tos pre­vis­to no PER.

NELSON GARRIDO

Mai­o­ria dos tra­ba­lha­do­res tem se­te a 11 me­ses de sa­lá­ri­os em atra­so

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.